Para Ana Gomes, a culpa do divórcio entre PS e Bloco de Esquerda é do próprio partido

Tiago Petinga / Lusa

A ex-eurodeputada e candidata presidencial Ana Gomes.

A candidata presidencial Ana Gomes não tem dúvidas: foi o PS que não quis um acordo com o Bloco de Esquerda no Orçamento do Estado para 2021. Em relação a Marcelo Rebelo de Sousa, disse que o Presidente não exigiu um acordo escrito “porque, no fundo, queria instabilidade”.

Em entrevista ao Jornal de Negócios, Ana Gomes atribuiu ao Partido Socialista a responsabilidade de não ter havido acordo com o Bloco de Esquerda no Orçamento do Estado para 2021. “Foi o PS que não quis um entendimento”, disse a candidata às eleições presidenciais de janeiro do próximo ano.

A ex-eurodeputada disse que o Governo e o Bloco de Esquerda deveriam ter assinado um acordo escrito logo no início da legislatura. “Se eu fosse Presidente aquando das últimas legislativas, se os partidos não tomassem a iniciativa de fazer um acordo escrito, trataria de pedir um acordo escrito para os vincular“, referiu.



Na sequência deste tema, não deixou de lançar farpas ao atual Presidente da República, afirmando que, se tivesse estado no seu lugar, “teria exigido esse acordo”. “Critico Marcelo Rebelo de Sousa que não o exigiu porque, no fundo, queria instabilidade” para ganhar “relevância num quadro de instabilidade entre os partidos que formam o Governo”, atirou.

Sobre a morte do cidadão ucraniano nas instalações do SEF no aeroporto de Lisboa, Ana Gomes apontou a atuação “contraditória” de Marcelo Rebelo de Sousa, que ora apoia demasiado o Governo, ora lhe puxa o tapete. Neste caso, o Presidente da República “esteve mal, desde logo, ao não intervir publicamente no caso”.

“Não é o Presidente que demite ministros, é uma competência do primeiro-ministro. Mas sempre que este e outros Presidentes quiseram que determinados ministros fossem afastados, foram afastados. Lembro-me da antecessora do atual ministro, afastada pelo que disse Marcelo”, disse, numa referência a Constança Urbano de Sousa.

Já em relação às sondagens que dão vitória a Marcelo Rebelo de Sousa entre o eleitorado socialista, Ana Gomes diz que não acredita “nesses números”. A candidata a Belém disse que além de Pedro Nuno Santos e Duarte Cordeiro, “há outros membros do Governo” que a apoiam. No entanto, manteve o mistério e não revelou quem.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. É preciso ser-se muito falsa, esta Gomes! Sabe que a bloquista agora mais gorda do que ela (fez-lhes bem o tacho do Parlamento Europeu), não vai nem por sombras ganhar, está a fazer o canto para quando da desistência à candidatura (agora ela não tem uma Maria de Belém para dar com pau), vota na Gomes dizendo aos putativos seguidores para fazerem o mesmo.

RESPONDER

Cientistas criam frango impresso em 3D (e que é cozinhado através de lasers)

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Columbia mostrou que diferentes tipos de lasers podem ser usados ​​para cozinhar frango impresso em 3D. De acordo com um comunicado de imprensa, o frango impresso a 3D passou …

"Contra tudo e contra todos". Moedas fez história em Lisboa

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS-PP/MPT/PPM/Aliança à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas, afirmou hoje ter vencido “contra tudo e contra todos”, porque “a democracia não tem dono”, agradeceu o “voto de confiança” e comprometeu-se …

Ventura admite que “vitória não foi total” ao falhar objetivo de ficar em terceiro

O líder do Chega admitiu hoje que a “vitória não foi total” nas autárquicas de domingo, ao falhar o objetivo de ser a terceira força política, mas defendeu que se “fez história” em Portugal, recusando …

Liveblog Autárquicas. Carlos Moedas ganha Lisboa

Realizam-se este domingo Eleições Autárquicas em Portugal, nas quais está em jogo a eleição de 308 presidentes de câmaras municipais, os seus vereadores e assembleias municipais, bem como 3091 assembleias de freguesia. Acompanhe tudo no …

Contra a "vigarice" das sondagens, "o PSD teve um excelente resultado"

O PSD conseguiu todos os objectivos a que se propôs nestas eleições autárquicas, segundo Rui Rio. O presidente do PSD considera que o partido teve "um excelente resultado" contra a "vigarice" das sondagens e "contra …

Medina assume derrota em Lisboa. "É uma indiscutível vitória de Carlos Moedas"

Fernando Medina acaba de assumir a derrota nas eleições autárquicas, felicitando Carlos Moedas pela vitória na Câmara de Lisboa. "É uma indiscutível vitória pessoal e política de Carlos Moedas", sublinha Medina. "Foi um privilégio servir esta …

Costa: "PS continua a ser o maior partido autárquico nacional"

António Costa canta vitória nas eleições autárquicas, apesar de ainda não se conhecerem os resultados finais de Lisboa, Sintra e Loures. Para o secretário-geral socialista, não há dúvida de que o "PS continua a ser …

O "primeiro amarelo" para Costa e o "CDS superou todos os objectivos"

"O CDS superou todos os objectivos a que se propôs nestas autárquicas". É assim que Francisco Rodrigues dos Santos, líder do CDS-PP, canta vitória, considerando que António Costa "viu o seu primeiro cartão amarelo". Na reacção …

Pegadas provam que as Américas foram povoadas milhares de anos antes do que pensávamos

Investigadores descobriram evidências da presença de humanos nas Américas: pegadas com, pelo menos, cerca de 23.000 anos. A nossa espécie começou a migrar para fora de África há cerca de 100.000 anos. Além da Antártida, as …

Jerónimo assume que CDU ficou "aquém", mas não é "determinante para a política nacional"

Jerónimo de Sousa reconhece que os resultados da CDU, nas eleições autárquicas, ficaram "aquém" dos objectivos, mas alerta que não são "determinantes para a política nacional" e rejeita a hipótese de deixar a liderança do …