Para Ana Gomes, a culpa do divórcio entre PS e Bloco de Esquerda é do próprio partido

Tiago Petinga / Lusa

A ex-eurodeputada e candidata presidencial Ana Gomes.

A candidata presidencial Ana Gomes não tem dúvidas: foi o PS que não quis um acordo com o Bloco de Esquerda no Orçamento do Estado para 2021. Em relação a Marcelo Rebelo de Sousa, disse que o Presidente não exigiu um acordo escrito “porque, no fundo, queria instabilidade”.

Em entrevista ao Jornal de Negócios, Ana Gomes atribuiu ao Partido Socialista a responsabilidade de não ter havido acordo com o Bloco de Esquerda no Orçamento do Estado para 2021. “Foi o PS que não quis um entendimento”, disse a candidata às eleições presidenciais de janeiro do próximo ano.

A ex-eurodeputada disse que o Governo e o Bloco de Esquerda deveriam ter assinado um acordo escrito logo no início da legislatura. “Se eu fosse Presidente aquando das últimas legislativas, se os partidos não tomassem a iniciativa de fazer um acordo escrito, trataria de pedir um acordo escrito para os vincular“, referiu.

Na sequência deste tema, não deixou de lançar farpas ao atual Presidente da República, afirmando que, se tivesse estado no seu lugar, “teria exigido esse acordo”. “Critico Marcelo Rebelo de Sousa que não o exigiu porque, no fundo, queria instabilidade” para ganhar “relevância num quadro de instabilidade entre os partidos que formam o Governo”, atirou.

Sobre a morte do cidadão ucraniano nas instalações do SEF no aeroporto de Lisboa, Ana Gomes apontou a atuação “contraditória” de Marcelo Rebelo de Sousa, que ora apoia demasiado o Governo, ora lhe puxa o tapete. Neste caso, o Presidente da República “esteve mal, desde logo, ao não intervir publicamente no caso”.

“Não é o Presidente que demite ministros, é uma competência do primeiro-ministro. Mas sempre que este e outros Presidentes quiseram que determinados ministros fossem afastados, foram afastados. Lembro-me da antecessora do atual ministro, afastada pelo que disse Marcelo”, disse, numa referência a Constança Urbano de Sousa.

Já em relação às sondagens que dão vitória a Marcelo Rebelo de Sousa entre o eleitorado socialista, Ana Gomes diz que não acredita “nesses números”. A candidata a Belém disse que além de Pedro Nuno Santos e Duarte Cordeiro, “há outros membros do Governo” que a apoiam. No entanto, manteve o mistério e não revelou quem.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. É preciso ser-se muito falsa, esta Gomes! Sabe que a bloquista agora mais gorda do que ela (fez-lhes bem o tacho do Parlamento Europeu), não vai nem por sombras ganhar, está a fazer o canto para quando da desistência à candidatura (agora ela não tem uma Maria de Belém para dar com pau), vota na Gomes dizendo aos putativos seguidores para fazerem o mesmo.

RESPONDER

PJ faz buscas na Câmara de Torres Vedras para investigar contratos públicos

A Polícia Judiciária (PJ) está a efetuar, esta terça-feira, buscas na Câmara de Torres Vedras, no distrito de Lisboa, no âmbito de três processos de contratação pública, confirmou à agência Lusa fonte oficial do município. A …

Henrique Araújo eleito presidente do Supremo Tribunal de Justiça

O magistrado Henrique Araújo, de 67 anos, foi eleito esta terça-feira presidente do Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Mas terá de abandonar o cargo quando completar os 70 anos. Os candidatos à presidência do Supremo Tribunal …

Pandemia fez duplicar ataques informáticos em Portugal

Os ataques informáticos contra entidades públicas e empresas quase duplicaram em 2020: registaram-se 1.418 incidentes graves, um aumento de 90%. O "Relatório Cibersegurança - Riscos e Conflitos 2021" do Observatório do Centro Nacional de Cibersegurança (CNCS), …

Áustria deixará de administrar a vacina da AstraZeneca

A Áustria deixará de usar a vacina da AstraZeneca devido a problemas de entrega e à relutância da população à vacina, após decisões semelhantes tomadas pela Noruega e Dinamarca. "Provavelmente, continuaremos a administrar as primeiras doses …

Portugal com duas mortes e 386 novos casos de covid-19

Portugal registou esta terça-feira 386 novos casos de infeção por covid-19 e mais duas mortes, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde.  De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), nas …

Audição a Nuno Vasconcellos por confirmar. Advogado avisou que a rede não é boa

A audição de Nuno Vasconcellos na comissão de inquérito ao Novo Banco, agendada para a próxima quinta-feira, ainda está por confirmar. No site do Parlamento, o agendamento previsto para a audição de Nuno Vasconcellos, antigo presidente …

Portugal com maior queda do PIB na União Europeia no primeiro trimestre

A economia da zona euro recuou 1,8% e a da União Europeia 1,7% no primeiro trimestre do ano, face ao período homólogo, com Portugal a apresentar a maior quebra, de 5,4%. De acordo com uma estimativa …

Corrida dos portugueses ao novo estatuto de imigrante entope consulados do Reino Unido

Mais de 380 mil portugueses já se candidataram ao novo estatuto de imigrante no Reino Unido, mas os postos consulares não estão a conseguir dar resposta a esta corrida. Segundo o jornal Público, os atrasos dos …

Autoridade Tributária demora, em média, 20,7 dias a pagar reembolso de IRS

Até ao momento, foram reembolsados 1.180.738 contribuintes, num valor total de 1.125 milhões de euros, de acordo com dados do Ministério das Finanças. O ECO avança que a Autoridade Tributária e Aduaneira já devolveu 1.125 milhões …

Médicos de família admitem que recuperados podem passar a grupo de risco

A área das sequelas da infeção pelo vírus SARS-CoV-2 "é uma zona muito cinzenta", sobre a qual Portugal “não tem ainda orientações totalmente definidas”. Nuno Jacinto, presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), …