Alterações climáticas podem expor base militar secreta da Guerra Fria

A base Camp Century foi construída por baixo da camada de gelo, na Gronelândia, pelos EUA, durante a época da Guerra Fria. Hoje o aquecimento global pode fazê-la aflorar e pôr em risco a população circundante devido aos perigosos e contaminantes componentes.

No ponto mais árido da Guerra Fria, há aproximadamente 60 anos, os EUA desenharam uma rede de lugares móveis parra o lançamento de mísseis nucleares por baixo da camada de gelo da Gronelândia.

O objetivo era preparar uma possível guerra com a União Soviética. Um destes sítios era Camp Century do projeto Iceworm. Para o local, foram dispensados uns quantos soldados que lá viviam com o único propósito de prevenir que a base fosse completamente coberta pela neve, cita a RT.

Quando o projeto Iceworm foi dado como terminado, em 1967, a base de Camp Century foi encerrada e abandonada. Os militares encarregues daquele projeto assumiram que o material perigoso da base – como combustíveis e materiais radioativos – se manteriam enterrados debaixo da espessa camada de gelo na Gronelândia para sempre.

No entanto, as temperaturas têm aumentado devido às alterações climáticas e os contaminantes perigosos ameaçam “renascer” do gelo, pondo em risco os habitantes da Gronelândia e arredores.

De acordo com um relatório publicado pelo Pentágono este ano, e citado pelo Motherboard, Camp Century não é a única instalação militar dos EUA no exterior ameaçada pelas alterações climáticas: mais de metade das bases militares de Washington por todo o mundo poderiam estar em risco.

No entanto, o projeto Iceworm pode ser um caso de estudo útil, segundo Jeff Colgan, professor associado de Ciências Políticas e Estudos Internacionais da Universidade de Brown.

Para o especialista, a pergunta quem deveria ser responsabilizado pelo destino de Camp Century transformou-se numa “batata quente” política, uma vez que não é claro de quem é a responsabilidade de limpar a zona.

Colgan avaliou o impacto das alterações climáticas nas bases militares como um problema político e diplomático, retirando o peso ambiental da questão.

Como Camp Century foi resultado de um tratado internacional entre a Dinamarca e os EUA, já que na altura a Gronelândia era uma colónia dinamarquesa, o projeto Iceworm mostra o quão complexas podem ser situações como estas.

“Não é uma questão prioritária. Na verdade, até é pouco falado em Washington. As únicas pessoas realmente preocupadas com esta questão estão na Gronelândia”, remata.

O Serviço Geológico da Dinamarca e Gronelândia, uma instituição de investigação independente na órbita do Ministério da Energia da Dinamarca, tem monitorizado as camadas de gelo da Gronelândia há anos e agora está especificamente a observar Camp Century.

Entretanto, os responsáveis políticos terão que determinar as medidas a tomar em relação a esta ameaça das alterações climáticas sobre as instalações militares. Das centenas de bases dos EUA espalhadas pelo mundo, “não é claro quantas enfrentam uma ameaça pelas alterações climáticas, como a da Gronelândia”, afirmou Colgan.

Outros lugares, como ilhas no Pacífico, também poderiam sofrer com o impacto das alterações climáticas, concluiu.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

FIFA tem reserva de 1.400 milhões de euros e está a pensar em ajudar clubes por todo o mundo

"O futebol não é o mais importante" e "ninguém sabe quando voltará a ser o que era", face à pandemia de Covid-19, alertou o presidente da FIFA, Gianni Infantino. "Todos gostaríamos de ter o futebol de volta …

Este ano não há São João nem Santo António. Festas populares canceladas em Lisboa e Porto

As Câmaras Municipais de Lisboa e do Porto resolveram cancelar as festividades de Santo António e de são João, respectivamente, por causa da pandemia de Covid-19. As marchas populares só voltam no próximo ano, com …

Sem ajudas do Governo, "não sei se os grandes vão continuar a ser grandes"

"É complicado encontrar soluções", assume o presidente do Marítimo numa altura em que o futebol está parado por causa da pandemia de Covid-19. A situação é "aflitiva" para muitos clubes, diz Carlos Pereira que acredita …

Governo dá tolerância de ponto nos dias 9 e 13 de abril

O primeiro-ministro assinou um despacho a conceder tolerância de ponto nos próximos dias 9 e 13, no período da Páscoa, a todos os trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado. “É …

Depois do papel higiénico, vendas de snacks e bebidas alcoólicas disparam

A Associação Espanhola de Supermercados fez um estudo sobre as alterações de consumo desde que foi decretado o estado de emergência. A procura por papel higiénico disparou meados de março, mas os produtos mais procurados …

Bloco quer proibir banca de distribuir lucros (e pede ajuda ao PSD)

O Bloco de Esquerda quer proibir os bancos de distribuírem dividendos em 2020 e pede ajuda ao PSD para o conseguir. Em videoconferência, Mariana Mortágua lançou um desafio ao líder social-democrata. O Bloco de Esquerda anunciou …

Ordens duvidam dos números de infetados (e admitem fazer o seu próprio levantamento)

Segundo os números anunciados na quarta-feira, havia 1.124 profissionais de saúde e oito deles estavam internados em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI). Mas estes números não convencem as Ordens. De acordo com o Observador, o bastonário …

Europa tem que ser o seu "próprio Plano Marshall". Centeno defende solução sem o "estigma" da austeridade

Mário Centeno continua a incentivar uma solução conjunta assente na ideia da solidariedade europeia perante "uma crise inesperada e sem precedentes" devido à pandemia de Covid-19. Como presidente do Eurogrupo, o ministro das Finanças de …

Há mais de 10 mil infetados em Portugal. DGS vai fazer testes de imunidade à população

O boletim epidemiológico da Direção-geral da Saúde deste sábado regista 10.524 casos de infeção por covid-19 em Portugal. Há mais 20 mortes, num total de 266 óbitos. Nas últimas 24 horas, até à meia-noite, foram registados …

Quase meio milhão de portugueses estão em lay-off. "Sistema é errado", diz Francisco Louçã

Uma semana depois de o Governo ter aberto a porta ao lay-off simplificado, mais de 22 mil empresas já recorreram a este novo regime. Atualmente, há 425.287 trabalhadores nessa situação. Francisco Louçã considera este sistema …