/

Na Alemanha, Elvis Presley e Karl Marx controlam o trânsito

(cv)

Elvis Presley Ampelmännchen

Na Alemanha, os símbolos de trânsito Ampelmännchen são um icónico marco turístico. A invenção da Alemanha Oriental inspirou outros mais.

Karl Peglau foi um psicólogo de trânsito alemão que inventou os icónicos símbolos de trânsito Ampelmännchen usados na antiga República Democrática Alemã em 1961. O Ampelmännchen representa uma pessoa simbólica nos semáforos de pedestres vermelhos e verdes.

Peglau queria criar um semáforo que fosse atrativo para as crianças, mas facilmente acessível e compreensível para os idosos. A silhueta tem uma passada confiante e um chapéu que a tornaram icónica.

Em 1997, o Governo alemão tentou substituir o Ampelmännchen pela versão mais leve e genérica usada na antiga Alemanha Ocidental. Uma campanha foi lançada por habitantes e teve sucesso na preservação do Ampelmännchen de Peglau no Oriente.

Agora, 60 anos depois, serve de inspiração para uma nova geração de símbolos de trânsito personalizados, projetados não apenas para a segurança de pedestres, mas também para atrair o turismo, escreve o Atlas Obscura.

Nas cidades de Bad Nauheim e Friedberg, em Hessen, um Elvis Presley Ampelmännchen controla o trânsito de pedestres com os seus passos de dança característicos. O ‘Rei do Rock’ esteve nestas duas cidades germânicas enquanto servia no exército norte-americano.

Em Trier, na região vinícola de Moselle, no sudoeste da Alemanha, o trânsito pedestre fica ao encargo do famoso filósofo alemão Karl Marx. Foi a forma encontrada pela sua cidade-natal para festejar o seu 200.º aniversário.

Para Trier, o Karl Marx Ampelmännchen “foi uma forma de tirar Marx do seu pedestal e torná-lo mais tangível para o público”, explicou Nicole Lauer, chefe do departamento de Relações Públicas e Marketing de Trier.

Os Ampelmännchen têm servido como verdadeiras ferramentas de marketing na Alemanha, quase como os yuru-chara — uma espécie de mascote criada para promover um local, região, evento, organização ou empresa — no Japão.

As lâmpadas Ampelmännchen lançaram um frenesim de souvenirs, desde canecas até roupa interior com o pequeno homenzinho dos semáforos.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.