Agência europeia de aviação prepara-se para autorizar regresso do Boeing 737 MAX

A Agência Europeia para Segurança da Aviação (EASA) manifestou hoje intenção de aprovar o regresso da aeronave Boeing 737 MAX aos céus da União Europeia (UE), mas apenas se forem cumpridos requisitos técnicos e de pilotagem.

Em causa está uma proposta hoje divulgada pela EASA relativa ao Boeing 737 MAX, na qual são estabelecidas as condições e assinalada a intenção da agência de “aprovar a aeronave para regressar aos céus europeus numa questão de semanas”.

Depois de, em meados de novembro, os Estados Unidos terem dado luz verde ao regresso do avião, que esteve fora do mercado devido a dois acidentes que mataram 346 pessoas em cinco meses, é agora a vez de a UE divulgar, através da sua agência, as condições para aprovação.

Em concreto, e como as investigações da EASA “mostraram que a principal causa” dos acidentes foi relativa a um software que se destinava a tornar a aeronave mais fácil de manusear, a agência europeia exige que este programa operacional seja revisto e que passem a ser emitidos alertas em caso de mau funcionamento, para evitar uma “total perda de controlo da aeronave”.

Acresce que “a análise do fator humano foi outra área de foco”, tendo a agência chegado à conclusão que “muitos pilotos nem sequer sabiam” que existia este software.

Por essa razão, passa a ser exigida “formação obrigatória para todos os pilotos do 737 MAX antes de voltarem a pilotar o avião”, bem como atualizações nos manuais de voos.

A EASA vai, ainda, exibir testes dos sistemas e um primeiro voo de teste sem passageiros antes da utilização comercial de cada aeronave desta gama.

Após este processo, no qual estiveram envolvidos cerca de 20 peritos da agência durante cerca de 20 meses, a EASA tem agora “a confiança necessária para declarar que a aeronave será segura para voltar a voar”, vinca este organismo europeu.

Citado pelo comunicado, o diretor executivo da EASA, Patrick Ky, sublinha que esta análise europeia foi feita de forma “independente” daquela realizada pelos Estados Unidos, embora “em estreita colaboração” com o regulador norte-americano e com a fabricante Boeing, visando então que “os trágicos acidentes não se repitam”.

Tal investigação comunitária culminou na proposta de requisitos hoje divulgada, que estará em consulta pública durante 28 dias até ser adotada.

Para janeiro de 2021 está prevista a publicação final desta diretiva, que significará a autorização formal para a aeronave Boeing 737 MAX poder operar no espaço aéreo da UE.

Na semana passada, os Estados Unidos autorizaram que o Boeing 737 MAX volte a voar, quase dois anos depois da proibição na sequência de dois acidentes que mataram 346 pessoas em cinco meses.

Porém, tal como a EASA, a administração federal de aviação dos Estados Unidos (FAA) exigiu algumas modificações nos aviões antes de poderem voltar a operar, bem como formação para pilotos e trabalhos de manutenção e de verificação nos aparelhos.

O Boeing 737 MAX fará, no entanto, o seu regresso num setor duramente atingido pela pandemia de covid-19, com as companhias aéreas financeiramente perturbadas e um tráfego reduzido.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pela primeira vez, um restaurante vegan ganha uma estrela Michelin em França

Um restaurante de comida totalmente vegan em França foi o primeiro do país a receber a desejada estrela Michelin. Localiza-se perto de Bordéus. A concessão da estrela ao ONA (Origine Non-Animale) é mais uma evidência de …

Onze mineiros resgatados com vida de uma mina de ouro na China

Onze mineiros presos há duas semanas dentro de uma mina de ouro na China, devido a uma explosão, foram hoje trazidos em segurança para a superfície, informou a televisão estatal chinesa. No dia 10 de janeiro, …

Multimilionário oferece 1 milhão em prémios por evidências de vida após a morte

Um empresário de Las Vegas, nos Estados Unidos, está a oferecer um milhão de dólares em prémios em troca de evidências de que existe vida após a morte. O investidor imobiliário e empresário espacial Robert Bigelow, …

Marcelo reeleito com 55% a 62% dos votos. Ana Gomes em segundo lugar

Marcelo Rebelo de Sousa foi reeleito para um segundo mandato como Presidente da República, após vencer as eleições deste domingo com 55% a 62% dos votos.  Segundo as primeiras projeções, Ana Gomes deverá ficar em …

Itália vai processar Pfizer e AstraZeneca devido a atrasos nas vacinas. UE pede "transparência"

A Itália vai processar a Pfizer Inc e a AstraZeneca devido aos atrasos na entrega das vacinas contra a covid-19 e para garantir os fornecimentos – não para obter compensações, disse neste domingo o ministro …

Declínio cognitivo relacionado com a idade pode ser reversível

Cientistas conseguiram reverter em ratos o declínio cognitivo causado pelo envelhecimento. O objetivo dos investigadores é que as farmacêuticas baseiem-se neste estudo para criar um composto que possa ser administrado em humanos. As células específicas do …

Afluência às urnas é menor (mas há mais votantes). Abstenção deverá ficar entre os 56 e 60%

A afluência às urnas às 16:00 nas presidenciais de hoje em Portugal, 35,4%, é a segunda mais baixa desde as eleições de 2006, ano em que este número passou a ser divulgado pela administração eleitoral. Esta …

Reino Unido já vacinou quase 6 milhões. Alemanha aumenta controlo nas fronteiras

O Reino Unido já administrou a primeira das duas doses da vacina contra o novo coronavírus em cerca de seis milhões de pessoas, quando o número de mortes no país devido à pandemia está perto …

Polícia desmantela rede de tráfico internacional de armas (e descobre santuário dedicado a Hitler)

Em dezembro, as autoridades espanholas conseguiram desmantelar uma rede ilegal de armas que operava em toda a Europa, e acabou por capturar os traficantes. O que a polícia não esperava era encontrar um armazém cheio …

Diminuição da esperança média de vida é "consequência inevitável" da pandemia

A esperança média de vida em Portugal vai necessariamente diminuir em consequência da pandemia de covid-19, defendeu um especialista, explicando que isso decorre do efeito combinado da morte de idosos, mas também de jovens em …