Afinal, a menina símbolo das crianças migrantes nos EUA não foi retirada à mãe

A menina que se tornou símbolo da política de imigração de Donald Trump, que está a levar à separação de famílias de imigrantes ilegais, e que fez a capa da revista Time não foi retirada à mãe na fronteira com o México, garante o seu pai.

A imagem da pequena hondurenha Yanela Denise a chorar, com um casaco cor-de-rosa, olhando para a mãe, foi feita durante a detenção de um grupo que tentava cruzar ilegalmente a fronteira.

A fotografia foi amplamente divulgada nos meios de comunicação e nas redes sociais, e numa montagem feita para a capa da Time, Yanela foi colocada em frente ao presidente Donald Trump, que a observa do alto, com a legenda ao lado “Bem-vinda à América”.

No entanto, a icónica fotografia não representa na realidade uma das centenas de crianças  recentemente retiradas aos pais e colocadas em campos de detenção junto à fronteira entre os EUA e o México.

A fotografia da menina foi captada no dia 12 de Junho na cidade de McAllen, no Texas, por John Moore, um fotógrafo que já venceu o Prémio Pulitzer. Moore contou à BBC que, momentos antes de ser detida, a mãe estava a amamentar a criança.

Mãe e filha chegaram aos EUA de barco, através do Rio Grande, que banha o México e os EUA. Moore afirma que foram levadas juntas por agentes da Patrulha de Fronteira.

A foto gerou revolta contra as medidas anunciadas, em Abril passado, pela Presidência de Trump, que prevêem que crianças sem documentação, detidas na fronteira entre EUA e México, possam ser separadas dos pais, e ajudou a impulsionar 17 milhões de dólares em doações.

Mas a menina e a mãe nunca foram separadas, segundo confirma o pai da criança, Denis Valera, em declarações à agência de notícias Reuters. O homem diz que as duas foram detidas juntas na fronteira da cidade de McAllen, quando a mulher tentava pedir asilo.

Valera afirma também que a mãe e a filha deixaram a cidade hondurenha de Puerto Cortes sem o avisar, e deixando para trás os três outros filhos do casal, que têm 14, 11 e seis anos de idade, segundo anunciou o jornal Daily Mail.

Denis Valera (e) afirma que a mulher saiu de casa com a pequena Yanela (c) sem o avisar de que tentaria entrar no EUA

A revista Time continua a defender a sua capa, declarando que não foi à toa que a menina hondurenha se tornou no “símbolo mais visível do actual debate sobre a imigração na América”. “A nossa capa e reportagem capturam o que está em jogo neste momento”, escreveu o editor-chefe, Edward Felsenthal, numa nota enviada à CNN.

O presidente Donald Trump, por seu turno, acusou os democratas de fazerem política com “uma história falsa de dor e tristeza”.

Cerca de 2,3 mil crianças foram retiradas das suas famílias desde que a política de “tolerância zero” de Trump, em relação à imigração ilegal, começou, em Maio passado. Foram colocadas em centros de detenção provisórios administrados pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) dos EUA.

Alguns abrigos, incluindo três no Texas, recebem crianças com menos de cinco anos de idade. Cerca de 500 voltaram às famílias desde Maio, informou o Departamento de Segurança Interna dos EUA.

ZAP // BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Se as pessoas são “todas iguais” porque é que nos países dominados por latinos e africanos é só crime fome e miséria? Porque é que o México, por exemplo, não é tão rico como os EUA? Na África e nos países sul-americanos só sabem fazer filhos para mandar para a Europa e para os EUA.

RESPONDER

Afinal, "cura milagrosa" para o cancro pode matar

O jornal britânico The Guardian denuncia o esquema do autoproclamado "Genesis II Church of Health and Healing" - que na verdade não é nem uma igreja nem uma instituição de saúde. Este sábado terá lugar em …

Há uma cidade na Venezuela que é "invisível"

Guanta está lá, embora não seja fácil vê-la. Vistas a partir de El Morro, do outro lado da baía, as suas luzes piscam sob uma nuvem baixa. É uma nuvem diferente das outras, mais espessa, mais …

Há novas regras para subir ao Everest. E é preciso apresentar currículo

O Nepal acaba de anunciar novas regras para escalar o Evereste. Com 8848 metros de altitude, é a montanha mais alta do mundo e verdadeira obsessão para alguns alpinistas, colecionadores de cumes, e cujo número …

"Não há comida, nem dinheiro". Bolsonaro reduz horário do exército

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse esta sexta-feira que todo o país "está sem dinheiro", o que levará o Exército a trabalhar em horário reduzido, acrescentando que há falta de comida para os recrutas. "O Exército …

“Vacinada contra o socialismo”, Zita Seabra troca PSD pelo Iniciativa Liberal

A ex-dirigente comunista Zita Seabra, que até há poucos meses era militante do PSD, deixou os sociais-democratas para os trocar pela recém-criada Iniciativa Liberal. Zita Seabra disse ao Expresso que acredita que “os caminhos para refazer …

O bom gigante que quis voltar agora não quer sair

O Sporting ainda está a preparar o plantel para a época que acaba de arrancar, e a cada vez mais provável permanência de Bruno Fernandes obriga a SAD a vender alguns dos seus ativos. Bas …

"Lá vai o 'experto' dos pneumáticos". Ana Gomes volta a provocar Luís Filipe Vieira

A ex-eurodeputada socialista, Ana Gomes, utilizou um artigo publicado na revista económica norte-americana Forbes para voltar ao tema do financiamento de clubes de futebol. Nas redes sociais, Ana Gomes provocou o "experto dos pneumáticos" com a …

Fenprof acusa Governo de eleitoralismo com antecipação de colocação de docentes

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) acusou o Ministério da Educação de ter mais interesse nas eleições do que nas escolas e nos professores, comentando desta forma a antecipação da divulgação das listas de colocação …

Guimarães vê perigo em pedreiras e fecha estrada. Ministério do Ambiente não

A freguesia de Airão Santa Maria tem uma estrada encerrada entre duas pedreiras desde março. A Câmara Municipal de Guimarães entendeu que estava em causa a segurança da população e mandou cortar o caminho com …

Água do mar está mais fria no Algarve do que no Minho (e já se sabe porquê)

Nas regiões mais a sul do país, em especial na costa ocidental mas mesmo em algumas zonas do Algarve, a água do mar está mais fria do que no norte do país. A culpa, escreve o …