Afinal a extinção dos neandertais foi lenta (e quase uma agonia)

A extinção dos fascinantes neandertais, que antecederam o homem moderno, foi afinal lenta, segundo defende o arqueólogo espanhol Joseba Ríos-Garaizar, refutando a tese de que as alterações climáticas precipitaram o seu desaparecimento há cerca de 38 mil anos.

“Há que acabar com a ideia de que os neandertais se extinguiram basicamente porque eram incapazes de se adaptar ao meio ambiente e ao clima”, afirmou o especialista, em declarações à agência noticiosa espanhola EFE.

Segundo Joseba Ríos-Garaizar, alguns estudos sugerem que, há 70 mil anos, a população neandertal sofreu uma “grande contração” ligada a “um agravamento do clima muito rápido”, com uma diminuição dos recursos disponíveis, que provocou provavelmente o isolamento de uns grupos e a extinção de outros.

Apesar destas circunstâncias, os neandertais foram capazes de superar essas adversidades, lembra o arqueólogo, ao ponto de “as suas melhores expressões culturais se terem produzido imediatamente depois”.

O perito espanhol sublinha que os neandertais viveram em “lugares geográficos com características muito distintas”, tanto em “épocas glaciares duríssimas”, como em ambientes “quase tropicais”, aos quais foram “capazes de se adaptar” graças a “uma tecnologia” que era “variável e diferente” consoante as situações.

No entanto, Ríos-Garaizar admite como provável que a chegada dos primeiros homens modernos à Europa, há 43 mil anos, tenha surpreendido os neandertais num momento de “equilíbrio precário”, confrontados com a presença de “uma nova espécie” que “era competidora direta pelos mesmos recursos”.

Na Europa, a população neandertal “estava a diminuir aos poucos”, ao contrário da dos homens modernos, que começava a proliferar vinda de África e do Médio Oriente, de acordo com o arqueólogo.

Em declarações ao 20 Minutos, Ríos-Garaizar explica que “a extinção dos neandertais foi um processo lento, quase agónico, um fenómeno que teve início antes da chegada à Europa dos homem modernos”.

A chegada do Homo sapiens, diz o antropologista, apenas se limitou a dar um impulso ao processo, ajudando a acelerar o declive dos neandertais até ao seu desaparecimento, há uns 38 mil de anos.

Esta nova teoria contraria as diversas ideias correntes acerca das razões que terão levado à extinção do neandertais. Segundo a mais recente dessas teorias, os neandertais extinguiram-se em vez dos homo sapiens porque calhou – terá resultado de um mero efeito probabilístico de migrações casuais do Homo sapiens.

Uma outra teoria, veiculada em 2016, defende que os neandertais terão desapareceido porque não tinham agasalhos – ou por “falta de inteligência” para fazer roupas de peles de animais, ou por ter deixado que as tradições culturais os impedissem de as fabricar. E como se sabe, dê por onde der, aconteça o que acontecer, a culpa é dos neandertais.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Nova tecnologia militar aquece as mãos em temperaturas negativas sem luvas

Cientistas do exército norte-americano criaram uma tecnologia capaz de aquecer as mãos dos soldados em baixas temperaturas sem serem necessárias luvas. Se completar uma tarefa do dia-a-dia com luvas pode revelar-se complicado, imagine-se tentar recarregar uma …

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …

CRISPR tornou galinhas resistentes a um vírus comum

A técnica de edição genética CRISPR tem sido usada para tornar as galinhas resistentes a um vírus comum, uma abordagem que poderia aumentar a produção de ovos e de carne em todo o mundo. Mesmo quando …

A Cybertruck de Musk poderá ser "incrivelmente barata" de produzir

A Cybertruck de Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, pode ser "incrivelmente barata" de produzir graças à sua inovadora tecnologia de carroçaria, afirmou um especialista em entrevista à Autoline Network. O engenheiro Sandy …