Os neandertais extinguiram-se em vez dos homo sapiens porque calhou

Um estudo realizado por dois biólogos evolutivos, baseado em simulações estatísticas de grupos populacionais, permitir concluir que a substituição dos Neandertais pelos humanos modernos foi um mero efeito probabilístico de migrações casuais do Homo sapiens.

Na Idade Paleolítica, os Homo neanderthalensis foram o auge da sofisticação: dominaram a Europa e parte da Ásia durante 300 mil anos, produziram ferramentas e jóias, construiram cavernas e cuidaram dos seus doentes e idosos. Pensa-se até que tenham criado um tipo primitivo de medicina dentária.

Mas qual foi a verdadeira causa para que o Homo sapiens conseguisse sobreviver até aos dias de hoje e os Neandertais tivessem desaparecido?

Segundo um estudo publicado na Nature Communications na semana passada, realizado por Oren Kolodny e Marcus Feldman, biólogos da Universidade de Standford, a extinção dos Neandertais ficou a dever-se a uma simples questão de dinâmica migratória – e mau timing.

O Homo sapiens evoluiu e formou grandes populações na África. No final do Paleolítico Médio, começaram a migrar para a Eurásia, uma região habitada naquela época por outras espécies de hominídeos, os neandertais.

Neandertais e humanos coexistiram no decorrer de 10.000 ou 15.000 anos e chegaram a trocar material genético durante as relações entre espécies que ocorreram ocasionalmente. No entanto, no ano 36.000 a. C. apenas o homem moderno tinha conseguido sobreviver, enquanto os Neandertais se tinham extinto.

A velocidade de substituição dos Neandertais pelos Homo sapiens levou os cientistas a assumir que os humanos modernos tinham alguma vantagem seletiva – uma característica que nos fazia evolucionalmente mais bem sucedidos do que os Neandertais.

Talvez os seres humanos fossem mais inteligentes, mais inovadores e melhores a encontrar novas maneiras de controlar o território e garantir alimentos. “É como se todos estivessem a procurar razões para justificar a extinção dos Neandertais“, disse Oren Kolodny.

A maioria das explicações científicas culpam fatores externos pela extinção de Neandertais, como as mudanças climáticas, as epidemias ou a competição entre as duas espécies pelo nicho ecológico e recursos.

“Duas espécies semelhantes não podem nunca ocupar o mesmo nicho ecológico, ao mesmo tempo, a não ser que uma delas se adapte com uma especialização”, realça Kolodny. “Por exemplo, em Israel é comum encontrar no mesmo nicho duas espécies de ratinhos noturnos, mas uma delas adaptou-se e tornou-se ativa durante o dia”.

No entanto, muitos destes estudos começam a partir da premissa de que o homem moderno teve uma vantagem evolutiva e uma superioridade cognitiva em relação a outras espécies.

A explicação proposta por Kolodny e Feldman não nega o possível efeito dos fatores externos, mas não os aceita como razão principal. Os autores do estudo afirmam que a migração constante do Homo sapiens do continente africano para a Europa foi suficiente para provocar a substituição de Neandertais por homens modernos.

Os cientistas simularam as mudanças de população de ambos os grupos ao longo do tempo. Para isso, partiram de duas populações (homens modernos e Neandertais) localizadas em duas áreas diferentes (África e Europa). Na simulação, as duas espécies não se misturaram nem possuíam vantagens evolutivas uma sobre a outra.

Os Neandertais permaneceram circunscritos ao mesmo território, enquanto o Homo sapiens migrou da África para a Europa, até encher o continente europeu de representantes de uma só espécie. Todas as experiências realizadas foram repetidas milhares de vezes e em todas elas o Homo sapiens saiu como vencedor.

Os cientistas chegaram à conclusão de que o mero processo migratório do homem moderno garantiu, em termos probabilísticos, a substituição da população Neandertal pelos nossos antepassados.

“Os Neandertais não eram mais brutos, ou menos inteligentes que o Homo sapiens, não eram uma espécie de macacos evoluídos que vagueavam pela terra à espera da nossa chegada. Eram apenas uma espécie muito semelhante a nós, que partilhou o planeta connosco”, explica Kolodny.

“Na realidade, o destino deles poderia ter sido o nosso“, conclui.

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Nota: A expressão “humanos” foi substituída no título por “homo sapiens“, e no texto da notícia por “homens modernos”, uma vez que o homo neanderthalensis era, obviamente, um humano. Obrigado ao leitor João Barbosa pelo reparo enviado por email.

  2. Conversa…. A cadeia evolutiva se desenvolveu na África. Quando os Africanos chegaram na Europa, que por sinal era o nome de uma Deusa Africana, os europeus não passavam de ruminantes primitivos comedores de capim. Por isso mesmo foram escravizados pelos Cushitas desenvolvidos. Devido a muitas guerras o Imperio Africano acabou abandonando a sua colônia mas o pouco que aprenderam e as diversas migrações ao Egito (Mizraim) fez com que a cultura e sabedoria africana fosse transferida aos povos da floresta européia. Dos Colchians(Indo Europeus) surgiram diversos povos como os Etruscos,Celtas,etc… Enquanto muitos impérios lutavam entre si na Africa, a colônia Colchita ou (cushita, pois eram descendentes de africanos) se fortaleceu, cresceu, desenvolveu culturas próprias e por fim invadiu Mizraim(Egito). Basta ler o livro de Heródoto para saber que tudo que a Grécia sabe aprendeu com os africanos. Inúmeros livros confirmam isso, é só pesquisar.

RESPONDER

Dinheiro, imóveis e arte. João Rendeiro perde fortuna para o Estado

Um milhão e meio de euros em numerário, contas e ativos bancários, obras de arte e quatro imóveis em Lisboa, Cascais e Oeiras vão ser arrestados a João Rendeiro, ex-presidente do Banco Privado Português (BPP). Segundo …

A primeira eco-casa impressa em 3D "nasceu" em Itália

A empresa de impressão 3D WASP e o Mario Cucinella Architects concluíram a casa TECLA. É o primeiro modelo de habitação eco-sustentável a ser construído a partir de matérias-primas locais usando tecnologia de impressão 3D.  O …

Partido de Le Pen desviou 6,8 milhões de fundos europeus, segundo jornal francês

O partido francês de extrema-direita União Nacional (RN, sigla original), liderado por Marine Le Pen, terá desviado 6,8 milhões de euros de fundos do Parlamento Europeu, revela este domingo um inquérito policial noticiado pelo Le …

Proporção divina. Antiga fórmula grega pode ser responsável pelo sucesso dos musicais

Desde 1972, quando "Jesus Christ Superstar" estreou na Broadway, os mais populares musicais quase unanimemente empregaram uma fórmula centenária conhecida como “a proporção divina” - e, surpreendentemente, parecem tê-lo feito acidentalmente. A proporção divina é um …

Egito já iniciou obras de alargamento do Canal do Suez

A Autoridade do Canal do Suez iniciou este sábado obras para ampliar dez quilómetros do troço sul, onde o navio Ever Given encalhou em março passado, causando o bloqueio de uma das vias de navegação …

Museu do Prado descobre erro de 500 anos numa das suas esculturas

O Museu do Prado, em Madrid, descobriu que uma das suas esculturas, que se pensava ser do século XV, é afinal uma obra do século XX. Em comunicado, o museu espanhol explicou que a escultura – …

Costa entrou em “modo avestruz” e Cabrita é uma “mancha”. Líder do CSD não poupa nas críticas

Francisco Rodrigues dos Santos fez duras críticas ao primeiro-ministro, António Costa, e ao ministro da Administração Interna, Eduarda Cabrita. O presidente do CDS-PP disse que o primeiro-ministro entrou "em modo avestruz no caso João Galamba" referindo-se …

Morreu o prefeito de São Paulo que venceu a covid-19, mas que perdeu a batalha para o cancro

O prefeito da cidade brasileira de São Paulo, Bruno Covas, morreu este domingo, aos 41 anos, vítima de cancro, segundo a imprensa brasileira e várias personalidades que nas redes sociais têm lamentado a sua morte. Bruno …

China não está a conseguir macacos de laboratório suficientes para responder à procura da comunidade científica

A proibição do comércio de animais selvagens e o crescimento da investigação científica estão a causar uma escassez de macacos de laboratório na China. A oferta cada vez menor de macacos de laboratório, amplamente usados em …

Câmara do Porto recusa hastear bandeira LGBT no dia contra a homofobia

A Câmara Municipal do Porto recusou hastear a bandeira LGBTI+ na próxima segunda-feira, dia 17 de Maio, data em que se assinala o Dia Internacional Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia. Segundo o Público, a autarquia …