Neandertais e humanos podem ter “trocado ideias”

Thomas Higham / BBC

-

Humanos modernos e Neandertais coexistiram na Europa por um período dez vezes mais longo do que se pensava anteriormente, segundo um novo estudo.

O processo mais completo já feito de datação de ossos e ferramentas Neandertais indica que as duas espécies viveram lado a lado por cinco mil anos.

De acordo com os investigadores, os novos resultados indicam que os dois grupos podem mesmo ter trocado ideias e hábitos culturais.

O estudo foi publicado na revista Nature.

Até agora, restos de Neandertais foram datados por diversos laboratórios, mas muitos resultados foram considerados pouco fiáveis.

Agora, uma equipa internacional de cientistas recolheu mais de 400 amostras dos espaços europeus arqueológicos mais importantes. As amostras foram purificadas e analisadas na Universidade de Oxford, usando sofisticados métodos de datação.

Convivência

De acordo com o professor Thomas Higham, da Universidade de Oxford, os resultados mostram a melhor compreensão que já se obteve sobre a interação entre nossos ancestrais e os Neandertais, sobre quando eles se encontraram pela primeira vez e sobre o porquê da extinção Neandertal.

“Acho que podemos deixar de lado a ideia da extinção rápida dos Neandertais ter sido causada apenas pela chegada dos humanos modernos. Em vez disso, vemos um processo mais complexo no qual há uma sobreposição mais prolongada das duas populações, na qual pode ter havido troca de ideias e de cultura.”

Algumas datações anteriores indicavam que os humanos modernos e os Neandertais coexistiram na Europa apenas por 500 anos.

Tais descobertas alimentaram a especulação de que os nossos ancestrais podem ter massacrado os Neandertais ou ter-lhes transmitido doenças para as quais tinham pouca ou nenhuma resistência.

As novas datações, no entanto, indicam que as duas espécies conviveram na Europa durante até 5 mil anos. Isso suporta a visão de alguns arqueólogos que indicam que os avanços tardios nas técnicas Neandertais de confecção de ferramentas de pedra e no uso de jóias foram copiados dos humanos.

Thomas Higham / BBC

Imagem: Pé de Neandertal. Análises de restos de um Neandertal ajudaram a refinar a data da extinção da espécie.

Imagem: Pé de Neandertal. Análises de restos de um Neandertal ajudaram a refinar a data da extinção da espécie.

O estudo indica que os Neandertais foram extintos na Europa entre 41 mil e 39 mil anos atrás – 10 mil anos antes do que se considerava anteriormente. Este é o dado mais preciso obtido até agora sobre a extinção da espécie e coincide com o início de um período muito frio na Europa.

As novas datações indicam igualmente que os humanos modernos chegaram à Europa muitos milhares de anos antes do que se pensava, possivelmente por volta de 45 mil anos atrás.

Extinção gradual

Há provas arqueológicas e genéticas de que quando os humanos modernos chegaram à Europa vindos de África, os Neandertais já estavam em declínio. Estudos anteriores mostraram que o número de Neandertais tinha reduzido e os restantes já começavam a procriar com os seus próprios parentes.

As datações mais recentes parecem revelar que a chegada dos humanos modernos aumentou os problemas dos Neandertais, de acordo com o professor Chris Stringer, do Museu de História Natural em Londres.

“Caçavam os mesmos animais, recolhiam as mesmas plantas e queriam morar nas melhores cavernas. Dessa forma, uma competição económica estava prestes a acontecer”, afirmou.

“Mas não foi uma extinção instantânea. Os Neandertais não foram caçados e mortos por humanos modernos ou dizimados por doenças que os outros podem ter trazido consigo. Foi um processo mais gradual.”

O número de Neandertais caiu durante milhares de anos enquanto, ao mesmo tempo, a quantidade de humanos modernos aumentava.

O período gelado há 40 anos mil pode ter sido o fator que levou por fim a população já enfraquecida à extinção.

ZAP / BBC

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Estes “cientistas” sao mesmo burros intelectuais.

    Eles nao se extinguiram mas misturaram-se com os outros, numa pequena porporção.

  2. Título imbecil, que sugere que os Neandertais não eram humanos. Enfim, as redes sociais, bem como esta espécie de “fast media” aos poucos está a modificar as mentes menos esclarecidas, embora acredite que não seja de forma consciente, mas apenas porque a falta de rigor assim o permite.

RESPONDER

Casaco e guitarra de Kurt Cobain vão a leilão (e valem milhares de euros)

O casaco que o líder dos Nirvana usou no lendário concerto MTV Unplugged in New York vai ser leiloado, com um preço de venda estimado em 270 mil euros. Uma guitarra de Cobain pode ficar …

"50 sombras" da Idade Média. Páginas censuradas de um livro francês encontradas nos EUA

As páginas de um romance medieval foram descobertas nos arquivos da Diocese de Worcester, no estado norte-americano de Massachusetts.  Investigadores descobriram uma versão perdida de um romance medieval, que contém cenas eróticas. O poema francês - …

A tecnologia usada na Bitcoin também está a ser usada para encontrar o amor

Várias dating apps (aplicações de encontros) estão a recorrer ao blockchain para que os seus utilizadores possam encontrar a cara-metade de uma forma mais segura e transparente. O Tinder é provavelmente a dating app mais usada …

Elon Musk quer enviar passageiros para o Espaço já no próximo ano

O bilionário Elon Musk, também fundador da fabricante de automóveis elétricos Tesla, fez um anúncio surpreendente: quer que pôr passageiros no Espaço já em 2020. “Isto pode soar totalmente louco, mas queremos tentar entrar em órbita …

Cientistas reverteram principal sintoma da esquizofrenia em camundongos

Um medicamento que está atualmente a ser desenvolvido para tratar a leucemia reverteu (em camundongos) um sintoma de esquizofrenia anteriormente intratável: o enfraquecimento da memória de trabalho. A memória de trabalho é um processo cerebral fundamental usado …

Para as criaturas marinhas, as doenças infecciosas são a sentinela da mudança

Uma recente investigação analisou as mudanças nas doenças relatadas em espécies submarinas num período de 44 anos. A conclusão não surpreende: a saúde dos oceanos está a piorar a passos largos. A compreensão das tendências oceânicas …

Solidariedade e ambiente. Nos EUA, já é possível doar as suas peças Lego

Nunca somos demasiado velhos para brincar com peças Lego. No entanto, se estiver a ficar sem espaço para as arrumar e estiver à procura de uma forma de garantir que os seus blocos acabam em …

Eis os primeiros smartphones pensados e fabricados em África

https://vimeo.com/365789486 No Ruanda nasceram os primeiros rebentos do grupo Mara, que anunciou o lançamento dos seus dois primeiros smartphones. São os primeiros a serem totalmente fabricados em África. Estes são os dois primeiros smartphones totalmente fabricados em …

Siza Vieira recebe Grande Prémio da Academia de Belas-Artes francesa

O arquitecto Álvaro Siza Vieira recebeu o Grande Prémio de Arquitetura da Académie des Beaux-Arts, pelo conjunto do seu percurso, no valor de 35 mil euros. “É uma grande honra, porque é um prémio importante. É …

Para os jovens refugiados, um telemóvel pode ser tão importante quanto comida ou água

Entre 2015 e 2018, mais de 200.000 jovens não acompanhados reivindicaram asilo na Europa. Muitos deles, agora na União Europeia, têm uma coisa em comum: os seus smartphones. Não são apenas ferramentas para entretenimento nem uma …