Afastamento da Rússia das Olimpíadas poderá trazer de volta a… União Soviética

(dr)

Atletas da antiga União Soviética em poster de propaganda de 1956

Uma comissão especial do Comité Olímpico Especial (COI) decidirá se os desportistas russos podem utilizar os símbolos soviéticos nos Jogos Olímpicos de Pyeongchang de 2018 depois de terem sido proibidos de representar o país.

Depois do afastamento da Rússia dos Jogos Olímpicos de Inverno, cabe à comissão especial do Comité Olímpico Especial decidir se a simbologia soviética poderá ser utilizada durante a competição.

A ideia de usar o hino e a bandeira da União Soviética foi sugerida pelos utilizadores das redes sociais, fruto da indignação por o COI ter proibido os atletas russos de representar o seu país, avança a RT.

No passado dia 5 de dezembro, o presidente do Comité Olímpico Internacional, Thomas Bach, anunciou que a delegação olímpica russa não poderia participar nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018.

Por outro lado, o COI determinou que os desportistas “limpos” do país poderão fazer parte da competição de forma individual. Esta decisão do organismo olímpico foi uma tentativa de encontrar um equilíbrio entre castigar Moscovo pela alegada “manipulação sistemática das normas anti-doping” e “proteger os direitos dos atletas limpos”.

Por agora, aos desportistas russos que receberam o convite para participar nas competições não resta outra opção que não seja competir com a bandeira olímpica ao peito.

Além disso, também nas cerimónias de entrega de medalhas os russos não vão ouvir o seu hino, nem vestirão o uniforme nacional.

Enquanto que uma parte dos atletas optou por boicotar os Jogos Olímpicos de Pyeongchang, por considerar as condições humilhantes, outros decidirão competir sob as condições apresentadas.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. E pena que uma organização como o COI esteja a politizar o desporto. Com o doping do amstrong, os eua também nao deveria ser proibido de participar???

    • Não!!
      E essa comparação é, no mínimo, estúpida!…
      Ao contrário da Rússia, o comité olímpico americano não tinha (que se saiba!), uma equipa “espacial” para dopar os seus atletas.
      Relativamente ao Amstrong, os seus troféus não são dos Jogos Olímpicos e só tem (tinha, pois já a devolveu!) uma medalha olímpica (bronze) – mas foi investigado agência antidoping americana, que concluiu que ele se dopava!!
      Portanto, nada em comum com o que se passou (passa) na Rússia!!

  2. Se os russos actualmente recorrem ao doping para que os seus atletas obtenham melhores resultados imagine-se então quando a URSS existia e que era visível e comentado a forma como certos atletas muitos deles demasiado jovens participavam nas provas, por outro lado vir agora com símbolos de uma coisa já morta e que foi uma humilhação e afronta para vários países seria agora relembrar-lhes um passado que jamais pretenderão reviver, certamente haverá outra solução e se têm e devem ser castigados que o façam sem olharem a compadrios só assim se poderá aprender a lição.

    • A sério? Sabe mesmo o que está a dizer?
      Vá, tire lá as palinhas e informe-se antes de mandar bitaites e passar por ignorante.

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …