//

Adolescente chinês condenado a prisão perpétua por comprar armas de brincar

3

CNS

As armas de imitação compradas por Liu Dawei

As armas de imitação compradas por Liu Dawei

Há brincadeiras que nunca se esquecem. Que o diga o jovem Liu Dawei de 18 anos, que comprou 24 réplicas de armas de brincar, e que por causa disso terá que passar o resto da vida na prisão.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segundo o SCMP, Liu Dawei foi detido em setembro do ano passado, em Quanzhou, na província de Fujian, quando atravessava a alfândega com 24 armas de imitação que tinha comorado em Taiwan.

Liu certamente estaria longe de imaginar que a polícia iria considerar 20 das 24 armas de brincar como sendo armas a sério, o que lhe valeu uma acusação de tráfego de armas e a pesada sentença.

O problema não está no entanto na polícia em si, mas sim na definição do que constitui uma “arma real” na China.

A lei chinesa determina que qualquer arma que dispare um objecto com uma energia de 1.8 j/cm2 seja considerada uma arma a sério.

Basicamente, o equivalente a alguém atirar um feijão contra outra pessoa.

A energia cinética de uma arma, medida em joules por centímetro quadrado, é uma medida da potência com que a arma consegue disparar o seu projéctil.

Este valor é substancialmente mais baixo que o que o valor adoptado por outros países, e mesmo na China, até 2008 esse valor era de 16 j/cm2.

CNS

O jovem Liu Dawei, condenado a prisão perpétua por comprar armas de brincar

O jovem Liu Dawei, condenado a prisão perpétua por comprar armas de brincar

O mais absurdo ainda é que a sentença poderia ter sido a pena de morte, mas o juiz terá tido em consideração a juventude a ausência de antecedentes, tendo comutado a pena para “apenas” prisão perpétua.

O jovem Liu Dawei, que já recorreu da sentença, disse por seu turno que se prontificaria desde já a ser fuzilado com as armas que comprou –  e que se morresse, seria a sua admissão de culpa.

PUBLICIDADE

ZAP / Os Velhotes dos Marretas

3 Comments

  1. Bem é um pouco exigente por parte das autoridades. Talvez o ter de fazer trabalho comunitário, já fosse jeitoso. Com prisão perpétua, não volta a prevaricar. Por cá, nem repreendido seria.

  2. Olha lá Sr. Manuel Leite qual foi a parte de “ARMAS DE BRINCAR” que não percebeu? É que nem repreensão alguma se coloca sequer em hipótese e é ridículo pensar o contrário, muito menos fazer trabalho comunitário!
    Aquilo são “armas” de airsoft, ou seja, atiram bolinhas plásticas que nem matam uma barata e tendo em conta que qualquer adolescente em Portugal consegue comprar uma carabina de pressão de ar, ou pior ainda, qualquer CRIANÇA de 12/14 anos consegue comprar uma arma de caça submarina, seria o cúmulo do absurdo ser punido de que forma for por ter uma “arma” de airsoft! E mais alguém próximo à minha família perdeu um olho por causa de uma carabina de pressão de ar quando um rapaz que foi fazer a “brincadeira” de colocar um prego no lugar do chumbinho o prego furou-lhe o olho e ficou a menos de dois centímetros do cérebro.
    Trabalho comunitário por possuir armas de airsoft, valha-nos a nossa senhora do bom senso, é com cada uma …

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.