ADN de cadáver decapitado revela a história de um assassino que fugiu da prisão há 100 anos

DNA Doe Project

O DNA Doe Project, organização norte-americana criada para identificar pessoas mortas desconhecidas com genealogia forense, encontrou um criminoso que matou a sua esposa com um machado e foi visto pela última vez depois de escapar da prisão há 100 anos.

Algumas partes do corpo sem cabeça de um desconhecido foram encontradas em cavernas remotas perto da cidade de Dubois, no estado de Idaho, Estados Unidos, em 1979 e em 1991. Agora, depois de examinar mais de 31.730 pessoas, o DNA Doe Project identificou o homem como sendo Joseph Henry Loveless – e até rastreou o seu neto de 87 anos.

A organização descobriu que Joseph Henry Loveless, nascido em 1870 na cidade de Payson, no Utah, teve vários problemas com a lei, mas conseguiu escapar várias vezes da prisão.

Em março e dezembro de 1914, Loveless foi preso por contrabandear bebidas alcoólicas, mas nunca cumpriu a cadeia, uma vez que escapou após serrar as grades da prisão. Da segunda vez, conseguiu parar o comboio que o escoltava para a prisão e fugiu.

Durante sua vida, Loveless foi casado duas vezes. O homem divorciou-se da sua primeira esposa, Harriett Jane ‘Hattie’ Savage, em 1904, cinco anos após o casamento por “não conseguir sustentá-la a a ela nem à sua filha”, de acordo com a NBC News. Um ano depois, casou-se com Agnes Octavia Caldwell, com quem teve quatro filhos.

Mas, em 5 de maio de 1916, Caldwell foi assassinada com um machado na presença de pelo menos dois dos seus filhos por um homem chamado “Charles Smith”, que é descrito em alguns relatos como o seu marido. Em 11 de maio, o assassino da mulher foi preso sob o nome de “Walter Currans”.

No funeral da mulher, um dos filhos terá dito: “O pai nunca ficou preso durante muito tempo e rapidamente sairá”. Vários dias depois, “Walter Cairns” escapou da prisão, depois de serrar as barras com uma serra que tinha escondido no sapato.

“Ao reconstruir estas histórias, os relatórios sugeriram claramente que Walter Currans, Charles Smith e Joseph Henry Loveless eram todos a mesma pessoa e que Agnes foi assassinada pelo seu marido. Isto foi confirmado mais tarde através dos registos policiais”, explicou a organização numa conferência de imprensa.

Acredita-se que Loveless tenha morrido aos 46 anos após ser assassinado e transportado para as cavernas perto de Dubois, pouco depois de ter escapado da prisão em maio de 1916. Os seus restos mortais “foram preservados durante 63 anos, excedendo significativamente o intervalo post mortem [o tempo entre a morte e a descoberta do corpo] estimado entre seis meses e cinco anos”, afirmou a organização.

Porém, não se sabe quem o desmembrou e decapitou por isso, o caso permanece aberto.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O buraco negro mais faminto do Universo engole por dia uma massa equivalente à do Sol

No centro do quasar mais brilhante já descoberto "mora" um dos maiores buracos negros que é também o mais "faminto" de todo o Universo: por dia, engole o equivalente à massa do nosso Sol. As …

Cientistas investigam estranho gelo cor-de-rosa num glaciar dos Alpes italianos

Uma equipa de cientistas anunciou esta segunda-feira estar a tentar averiguar a origem de gelo cor-de-rosa num glaciar nos Alpes italianos. O fenómeno deverá ser provocada por algas que aceleram os efeitos das mudanças climáticas. A origem …

Especialistas de 32 países alertam OMS: covid-19 também se transmite pelo ar

Numa carta aberta à Organização Mundial de Saúde, 239 cientistas pedem que a organização reveja as recomendações que tem emitido, alertando para o facto de a covid-19 poder transmitir-se pelo ar. Numa carta dirigida à Organização …

Moreirense 0-0 Sporting | Nulo em jogo de pólvora seca

A 30ª jornada fechou no Minho com um nulo entre Moreirense e Sporting, que continua sem derrotas sob o comando de Rúben Amorim. A formação leonina poderia muito bem ter vencido em Moreira de Cónegos, pois …

Armazém flutuante. A China está a guardar petróleo no mar (e já se sabe porquê)

A China está a guardar uma quantidade épica de petróleo no mar. De acordo com a CNN, o país comprou tanto petróleo estrangeiro a preços baratos que formou um congestionamento maciço de navios-tanque no mar, …

Peregrinos em Meca proibidos de tocar ou beijar a Caaba por causa da covid-19

Os muçulmanos que vão participar na peregrinação a Meca não poderão tocar ou beijar a Caaba nem a "pedra negra", presentes na Grande Mesquita, local considerado como um dos mais sagrados pelo Islão, informaram as …

Países Baixos continuam a abater milhares de martas. 20 quintas afetadas pela pandemia

Esta segunda-feira, as autoridades holandesas abateram milhares de martas em mais duas fazendas onde foram detetados surtos de covid-19. Esta segunda-feira, as autoridades abateram milhares de martas em mais duas fazendas, sendo agora 20 as quintas …

Cientistas criam robô para fazer testes à covid-19 (e proteger os profissionais de saúde)

O Korea Institute of Machinery & Materials (KIMM) desenvolveu um novo robô de coleta remota de amostras que elimina o contacto direto entre os profissionais de saúde e os pacientes, potencialmente infetados com o novo …

"Não use desodorizante". A peculiar estratégia de Berlim para promover o uso de máscaras nos transportes públicos

"Não use desodorizante". Esta é a peculiar campanha adotada pela empresa que controla os transportes públicos em Berlim, na Alemanha, para promover o uso correto de máscaras, evitando assim novos casos de covid-19.  Tal como escreve …

Vírus pode ter estado adormecido antes de surgir na China, diz investigador de Oxford

O novo coronavírus pode ter estado adormecido algures no mundo antes de ter surgido na China, defendeu o investigador da Universidade de Oxford, Tom Jefferson, apontando para várias descobertas de amostras do vírus em Espanha, …