No último adeus à Casa Branca, Trump vai perdoar 100 pessoas (e manifestantes do Capitólio também querem)

O Presidente cessante dos Estados Unidos, Donald Trump, deverá emitir mais de 100 indultos presidenciais esta terça-feira, durante as suas horas finais na Casa Branca, mas não se pode perdoar a si mesmo ou à sua família imediata.

No domingo, Trump encontrou-se com o seu genro Jared Kushner, a filha Ivanka Trump e conselheiros séniores para discutir uma longa lista de pedidos de perdão, de acordo com o The Washington Post.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, Trump debateu com assessores se deveria dar o passo extraordinário de se perdoar a si próprio. Segundo informações, alguns membros do Governo argumentaram que isso faria Trump parecer culpado.

Alguns estudiosos acreditam que perdoar-se a si mesmo iria contra a Constituição dos Estados Unidos, uma vez que viola o princípio básico de que ninguém deve ser capaz de julgar o seu próprio caso.

As discussões na Casa Branca tiveram como pano de fundo um iminente julgamento de impeachment no Senado, após o ataque em 6 de janeiro por uma multidão pró-Trump no prédio do Capitólio dos Estados Unidos.

Se condenado, Trump pode não poder voltar a concorrer à presidência em 2024. Fora do cargo, Trump também estará vulnerável a processos de autoridades federais e estaduais pelas suas ações no cargo e em relação ao seu império empresarial.

Ainda não se sabe se Trump perdoará membros do seu círculo, como Steve Bannon, acusado de fraudar indivíduos que doaram para o projeto de construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Outro nome possível é Rudy Giuliani, advogado pessoal de Trump, que liderou tentativas de derrubar o resultado da eleição.

Segundo a CNN, o lote final de ações de clemência deve incluir perdões voltados para a reforma da justiça criminal, bem como outros mais polémicos para aliados e amigos. Salomon Melgen, um proeminente oftalmologista de Palm Beach que está na prisão depois de ter sido condenado por dezenas de acusações de fraude na saúde, deve estar na lista de clemência.

Na segunda-feira, o The New York Times informou que a lista de perdões pode incluir o rapper Lil Wayne, acusado de porte ilegal de armas.

“Tudo é uma transação. Ele [Trump] gosta de perdões porque é unilateral. E ele gosta de fazer favores para que as pessoas lhe devam”, disse uma fonte familiarizada à CNN, acrescentando que Trump queria ajudar pessoas que poderiam ajudá-lo na sua carreira pós-Casa Branca.

Perdão presidencial não implica inocência. Perdão de última hora e atos de clemência são comuns à medida que as presidências chegam ao fim. “O sistema de clemência é dominado pelo acesso privilegiado ao presidente e serve quase exclusivamente aos objetivos e caprichos pessoais e políticos do presidente”, escreve o blogue Lawfare.

Trump pode perdoar atacantes do Capitólio

Os participantes do motim do Capitólio apelaram diretamente – através da televisão ou pelos seus advogados – por perdões de Trump. No domingo, o senador Lindsey Graham, da Carolina do Sul, um importante aliado de Trump, apelou diretamente ao presidente, dizendo-lhe para não perdoar ninguém associado ao ataque.

“Há muitas pessoas a pedir ao Presidente que perdoe as pessoas que participaram da profanação do Capitólio, os desordeiros”, disse Graham, em declarações à Fox Business.

“Não me importo se forem lá e espalhar flores no chão. Violaram a segurança do Capitólio. Interromperam uma sessão conjunta do Congresso. Tentaram intimidar-nos. Devem ser processados em toda a extensão da lei e procurar o perdão dessas pessoas seria errado. Acho que isso destruiria o presidente Trump e espero que não sigamos por esse caminho”.

Uma das manifestantes que pediu o indulto presidencial é Jenna Ryan, uma corretora imobiliária do Texas. “Gostaria de um perdão do presidente dos Estados Unidos. Acho que todos nós merecemos um perdão. Estou a enfrentar uma sentença de prisão. Acho que não mereço isso”, disse Ryan, em entrevista à CBS News.

Adam Newbold, um SEAL aposentado da Marinha dos Estados Unidos, disse, em declarações à ABC News, que procurava “clemência” depois de publicar um vídeo no Facebook a gabar-se de “violar o Capitólio”. “Gostaria de expressar apenas um grito de clemência, já que a minha vida agora foi totalmente virada de cabeça para baixo”, disse.

O advogado de Jacob Chansley disse, em declarações à CNN, que o seu cliente também merecia um perdão, já que esteva no Capitólio apenas porque “atrelou a sua carroça” a Trump e sentiu que estava a atender um “telefonema” do presidente para ir para lá. “As palavras e o convite de um presidente devem significar algo”, disse.

Trump já deu perdão a 94 pessoas, a maioria para figuras proeminentes apanhadas na investigação do promotor especial Robert Mueller sobre conspiração com a Rússia, como o ex-presidente da campanha de Trump, Paul Manafort, o amigo Roger Stone e o ex-conselheiro de segurança nacional Michael Flynn, que admitiu ter mentido para o FBI.

As clemências deveriam ser emitidas no último dia completo de Trump no cargo. Trump parte na manhã de quarta-feira para iniciar a sua pós-presidência no seu clube de Mar-a-Lago em Palm Beach. A sua presidência termina às 12h de quarta-feira.

Segundo uma sondagem do Instituto Gallup, Trump vai abandonar a Casa Branca com o menor índice de popularidade de sempre do seu mandato, reunindo apenas 34% da aprovação dos norte-americanos.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. LOL… desta não se livra!!

    Se perdoar, o país vai perceber que ele está do lado dos arruaceiros e poderá ser usado como prova (mais uma) de que a invasão teve o dedo dele.

    Se não perdoar, os arruaceiros não lhe perdoam!!!

    Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah! Ah!

RESPONDER

Várias escolas de Tóquio pedem "certificados de cabelo real" aos alunos

As escolas japonesas são conhecidas pela sua rigidez relativamente à aparência dos seus alunos, tanto que os estudantes que não seguem o padrão de "cabelo liso e preto" têm de apresentar provas. Dados divulgados, esta semana, …

UE estima normalidade nas vacinas daqui a duas semanas. Orbán recebeu vacina chinesa

A União Europeia (UE) estima que dentro de duas a três semanas "tudo vai funcionar normalmente" na produção e distribuição de vacinas nos Estados-membros. Entretanto, o primeiro-ministro húngaro já foi vacinado (mas com uma vacina …

"Os dados de milhões de pessoas estão em risco", alertam denunciantes da Amazon

Denunciantes da Amazon alertam que os dados de milhões de pessoas estão em risco devido à falta de preocupação da empresa com a cibersegurança. A par da Google, Apple, Microsoft e Facebook, a Amazon é uma …

Mais 41 mortes e 718 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal registou, este domingo, mais 41 mortes e 718 novos novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 718 …

Navalny chega a colónia penal a leste de Moscovo

O principal opositor do Kremlin chegou, este domingo, a uma zona a cerca de 200 quilómetros a leste de Moscovo para ser transferido para uma colónia penal onde vai cumprir a sua pena, informou um …

Já chegou o voo de repatriamento com 300 passageiros vindos do Brasil

O voo de repatriamento vindo do Brasil chegou, este domingo de manhã, ao Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, com cerca de 300 passageiros. De acordo com a RTP, o voo de repatriamento vindo de São Paulo, …

Costa imune ao descontrolo da pandemia. Popularidade de Marcelo dispara

A sondagem TSF/JN/DN regista uma avaliação positiva do primeiro-ministro e do Presidente da República, com este a atingir um novo pico de popularidade. Os líderes do PSD e do Chega surgem empatados como principais figuras da …

Mais seis mortos nos protestos em Myanmar. Embaixador na ONU afastado

Seis manifestantes foram mortos em Myanmar, este domingo, por forças de segurança que dispersavam com violência as manifestações pró-democracia. Três manifestantes foram mortos em Dawei (no sul do país), enquanto dois adolescentes, de 18 anos, morreram …

Siza Vieira anuncia que Programa Apoiar vai ser reforçado e alargado

O programa Apoiar, destinado a empresas afetadas pela pandemia da covid-19, vai ser reforçado e alargado a novas situações, anunciou o ministro da Economia, indicando que as medidas vão ser anunciadas na próxima semana. "Queremos reforçar …

Embaixadora deixa Venezuela na terça-feira. UE chama embaixador em Cuba

A embaixadora da União Europeia na Venezuela vai sair do país na terça-feira, informou à agência Lusa fonte diplomática europeia, sem adiantar mais detalhes. Na última quarta-feira, a Venezuela decidiu expulsar Isabel Brilhante Pedrosa, em retaliação …