Acordo secreto revelado. Suíça pagou a espiões chineses para entrarem no país e interrogarem migrantes

O texto completo de um acordo secreto entre a Suíça e a China que permitiu que funcionários de segurança chineses entrassem e operassem no país foi revelado pela primeira vez.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, o “acordo de readmissão” de cinco anos, que foi assinado em 2015 e expirou na segunda-feira, estabelece condições para os agentes chineses viajarem para a Suíça e entrevistarem suspeitos de nacionalidade chinesa que as autoridades suíças desejam deportar.

Ao contrário de mais de 50 acordos semelhantes que a Suíça assinou com outros países, o acordo com a China nunca foi publicado pelo Governo nem publicamente reconhecido até agosto deste ano.

A tradução oficial para o inglês do acordo foi obtida pela Safeguard Defenders, um grupo de campanha de direitos humanos com foco na Ásia, e revela um compromisso extraordinário com o sigilo dentro de um acordo que foi ocultado do público.

Os “especialistas” do Ministério da Segurança Pública (MPS) tiveram de ser convidados para as “missões” de duas semanas, mas, uma vez feito o convite, a China poderia escolher os seus agentes sem a aprovação da Suíça.

Os agentes poderiam entrar no país sem estatuto oficial e a Suíça comprometia-se a manter sua identidade em sigilo. Os relatórios que estes funcionários chineses produziam para as autoridades suíças também foram mantidos em segredo.

Os acordos de readmissão são uma parte normal do direito internacional, mas a Safeguard Defenders disse que o acordo de 2015 com Pequim, que não era recíproco, era de “um caráter totalmente diferente” de outros assinados pela Suíça.

O sigilo em torno do próprio acordo e do trabalho dos agentes chineses, a escolha do parceiro – um superministério de segurança com extensas atribuições incluindo polícia e serviços de inteligência – e até mesmo a presença de agentes eram incomuns.

O acordo foi extremamente favorável para os chineses e foi além dos acordos normais de partilha de informações sobre migração, segundo Margaret Lewis, professora de direito da Universidade Seton Hall, nos Estados Unidos.

Não havia disposições para supervisionar as atividades dos agentes além do seu trabalho com as autoridades suíças. Além disso, como o estatuto não oficial dos agentes provavelmente significava que estavam a viajar com vistos de turista, poderiam ter acesso a todo o espaço Schengen, segundo Peter Dahlin, diretor da Safeguard Defenders.

O acordo gerou indignação na Suíça quando a sua existência foi relatada pela primeira vez em agosto, num momento de crescente preocupação internacional com a China como alvo de dissidentes e figuras da oposição.

O secretariado suíço para a migração (SEM) defendeu o acordo como um freio necessário à migração ilegal, dizendo que controlava as informações fornecidas às autoridades chinesas. O SEM informou que só foi usado uma vez, em 2016.

Grupos de campanha disseram que a Suíça pode correr o risco de violar os princípios de não repulsão, que proíbem o regresso de refugiados a lugares onde possam estar em risco e expressaram preocupações de que não havia nenhum mecanismo para monitorizar o tratamento das pessoas deportadas após o seu regresso à China.

Um porta-voz do SEM disse aos media suíços que apenas pessoas que não corressem risco de perseguição no seu país seriam alvos – tibetanos e uigures em busca de asilo foram excluídos -, mas essa proteção não foi incluída no acordo.

Nos últimos anos, a China tornou-se mais ativa no uso de vias bilaterais e multilaterais como a Interpol, bem como na entrada não oficial de outros países, para rastrear cidadãos chineses de interesse.

  ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. É obvio que o ‘Espaço Schengen’ é um passe-vite e uma vez que a Suíça se considera dona do mundo, não liga puto nenhum a qualquer preocupação dos países verdadeiramente federados. Uma purga de elementos parasitas na UE, como a Noruega, a Suíça, a Polónia e a Hungria, seria bem aplicada.

RESPONDER

Delphi é uma Inteligência Artificial que dá conselhos éticos — mas mostrou ser racista

Delphi é uma Inteligência Artificial que responde a utilizadores, ajudando a resolver dilemas éticos. No entanto, em algumas respostas mostrou ser racista e machista. A vida é um jogo de decisões, em que nem sempre sabemos …

Entre "bomba atómica" e "cozinhado" de última hora, Marcelo recebeu Rangel (para irritação de Rio)

O Presidente da República recebeu Paulo Rangel numa altura em que tenta ainda "cozinhar" um entendimento de última hora para aprovação do Orçamento de Estado para 2022, de modo a evitar a "bomba atómica" da …

Sarabia (2E) do Sporting disputa a bola com Ricielli (2D) do Famalicão durante jogo da Taça da Liga

Sporting 2-1 Famalicão | Leões roubaram a bola e não deram hipóteses

O Sporting venceu o Famalicão 2-1, em jogo do grupo B da Taça da Liga, no qual, apesar da diferença mínima, não deu hipóteses ao adversário e controlou-o desde o primeiro ao último minuto. Finalmente Rúben …

Cidade australiana está a dar terrenos de graça para atrair novos moradores

Uma cidade em Queensland, na Austrália, está a doar terrenos numa tentativa de aumentar a sua população de apenas 800 pessoas. Em declarações ao site news.com.au, as autoridades da cidade australiana de Quilpie explicaram que estão …

Princesa Mako e o marido Komuro Kei

Entre escândalos na imprensa e stress pós-traumático, nada deteve o amor da Princesa Mako pelo plebeu Kei Komuro

A monarca japonesa vai abandonar a vida real e viver nos EUA com o marido, um advogado plebeu que conheceu em 2012 na Universidade. A imprensa tem escrutinado a vida de Komuro Kei, que consideram …

Depressão: o relato de Vanessa Fernandes

Escrava do seu sucesso, a vencedora de uma medalha nos Jogos Olímpicos confessa que teria ficado destruída, caso não tivesse pedido ajuda. A ideia era sempre "ganhar e ser a melhor" mas, nos bastidores, Vanessa Fernandes …

Squid Game. Coreia do Norte ataca Coreia do Sul com base no novo sucesso da Netflix

A série "Squid Game", que é a mais vista de sempre na Netflix, tornou-se tão popular que nem a Coreia do Norte ficou indiferente — mas por maus motivos. Enquanto a série sul-coreana tem conquistado espectadores …

O jogador do Santa Clara, Chindris, festeja um golo contra o FC Porto

Santa Clara 3-1 FC Porto | Eficácia atira dragões para fora da Taça da Liga

O Santa Clara recebeu e venceu hoje o FC Porto por 3-1, atirando os portistas para fora da Taça da Liga, num jogo em que a eficácia açoriana fez a diferença. Os golos do triunfo açoriano …

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque

Albuquerque mostrou-se disponível para negociar o OE, mas Rio diz que "a Madeira não está à venda"

O presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, manifestou hoje disponibilidade para conversar com o Governo sobre o OE, mas Rui Rio garantiu que os deputados madeirenses não vão contrariar o partido. “Se for para …

Golpe de Estado no Sudão. Confrontos nas ruas causam sete mortos e 140 feridos

Milhares de sudaneses têm saído às ruas para protestarem a tomada do poder pelos militares. A comunidade internacional tem sido unânime na condenação ao golpe de Estado. Na sequência do golpe de Estado de segunda-feira, os …