/

Ações da Tesla disparam após Musk admitir tirar a empresa da bolsa

tedconference/ Flickr

Elon Musk, CEO da Tesla e SpaceX

Elon Musk admitiu esta terça-feira retirar a Telsa de bolsa, avaliando cada ação em 420 dólares (363 euros). O palco foi, uma vez mais, o Twitter e os títulos reagiram ao anúncio com uma subida de 7%. 

“Estou a considerar tornar a Tesla privada a 420 dólares. Financiamento assegurado”, escreveu o presidente executivo da empresa na rede social, assegurando que tem o financiamento necessário.

Deixar de ser uma empresa cotada – o que significa dar contas auditadas aos seus acionistas a cada três meses – evitaria “uma série de dores de cabeça”, respondeu o CEO a um seguidor no Twitter.

O tweet de Musk surgiu horas depois de o Financial Times ter reportado que o Fundo de Saúde soberano da Arábia Saudita – país exportador de petróleo – comprou uma participação significativa (entre 3% e 5%) na Tesla Inc.

As ações da fabricante de carros elétricos chegaram a valorizar-se 7,4% para mais de 367 dólares (317 euros) e a negociação foi interrompida pelas 14:08 locais (19:08 em Lisboa).

Com o valor de 420 dólares por ação, o presidente da Tesla está a avaliar a empresa em mais de 70 mil milhões de dólares (60 mil milhões de euros), e a oferecer um prémio de cerca de 22% e que é cerca de 9% superior ao valor mais alto de sempre das ações da fabricante, que era 385 dólares (cerca de 333 euros).

Elon Musk garantiu, através de um comunicado interno disponibilizado no Twitter da Tesla, que a “decisão final ainda não está tomada”. Justificando depois o racional da posição: “criar um contexto para a Tesla operar melhor”.

Para o presidente executivo do grupo, como sociedade de capital aberto ao investimento público, disperso no mercado de capitais, a Tesla está “sujeita a variações violentas no preço das ações, que podem ser uma enorme distração para toda a gente que trabalha” na companhia, e “que são todos acionistas”.

Além disso, a “pressão” a que está sujeita trimestralmente pode não ser benéfica para tomar decisões a médio prazo, atraindo muitos especuladores. A proposta será será sujeita “ao voto dos nossos acionistas”, afirmou.

A comunicação de Musk surge também duas semanas após a Tesla ter revelado que teve prejuízos de 717,5 milhões de euros no segundo trimestre do ano.

A Tesla perdeu milhões para atingir o objetivo de produzir cinco mil exemplares do Modelo 3 por semana até junho. A empresa diz que a produção está a aumentar, com o objetivo e seis mil por semana até ao final e agosto.

O estilo de Musk tem sido criticado por ser visto como conflituante com Wall Street. No início do ano, excluiu dois analistas de uma conferência, depois de perguntas que o incomodaram.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.