Acessos indevidos ao sistema prejudicaram o combate em Pedrógão Grande

Paulo Novais / Lusa

Quase 10 meses depois do incêndio de Pedrógão Grande, a ANPC detetou que o sistema que concentra informação sobre o que se passa no país em matéria de proteção civil esteve sobrecarregado com acessos de antigos utilizadores.

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) detetou, quase 10 meses após o incêndio de Pedrógão Grande, que o Sistema de Apoio à Decisão Operacional (SADO), um sistema que concentra toda a informação sobre o que se passa no país em matéria de proteção civil, esteve sobrecarregado com acessos de antigos utilizadores.

Esta sobrecarga terá gerado, segundo fonte da ANPC, congestionamento do sistema, informações contraditórias e ordens operacionais deficientes que terão prejudicado o combate ao incêndio.

Ao que a Sábado apurou, existem mais de 4.000 pessoas que não deveriam ter acesso ao sistema, mas que continuam com os mesmos privilégios que lhes foram atribuídos desde que o sistema entrou em funcionamento, no ano de 2012. No entanto, o SADO não permite saber a cada momentos quantas pessoas estão a monitorizar o sistema.

No primeiro dia do incêndio em Pedrógão Grande, 17 de junho, houve pelo menos três registos de crianças desaparecidas. No entanto, mais tarde, percebeu-se que era a mesma criança.

Este problema de inserções repetidas, por exemplo, em conjunto com a sobrecarga e descoordenação operacional, levou a que o comandante do teatro de operações ordenasse que todas as inserções no SADO passassem a ter de ser autorizadas pelo comando.

Tal fez com que a comissão independente que elaborou o relatório referisse que “esta determinação do Comandante das Operações de Socorro pode subtrair à fita do tempo do SADO informações que poderiam ser importantes para a compreensão dos acontecimentos na noite de 17 para 18″.

De acordo com o relatório, a ordem foi dada às 4h56 de 18 de junho, mas, ao contrário do que sugere o documento, só até às 9 da manhã, o SADO registou 30 novas comunicações. Até ao fim das operações, no dia 23 de manhã, houve cerca de mil comunicações na fita do tempo, isto é, cerca de seis novas inserções por hora, avança a Sábado.

Ao sistema SADO têm acesso os presidentes da ANPC, assessores do Ministério da Administração Interna (MAI) e todos os operacionais do Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS), que deveriam rondar as 250 autorizações. Além destes, durante a época de fogos, são atribuídos acessos temporários.

A Sábado explica que os operacionais do CNOS deveriam ter capacidade de inserir dados e os restantes apenas para visualizar, mas estas autorizações nunca foram canceladas ao longo do tempo, permitindo assim que mais de 4.000 pessoas acedam ao sistema.

O SADO vai ser alterado de modo a ser possível restringir e monitorizar os acessos, assim como cancelar os antigos e saber quem está em determinado momento a aceder a este sistema.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

DJ Avicii encontrado morto aos 28 anos

O músico e produtor sueco DJ Avicii foi encontrado morto em Omã, no Médio Oriente, aos 28 anos de idade. A causa de morte daquele que é um dos mais famosos artistas de música electrónica …

Príncipe Carlos sucede à rainha Isabel II como líder da Commonwealth

Os dirigentes da Commonwealth decidiram esta sexta-feira o príncipe Carlos suceda à mãe, a rainha Isabel II, na liderança da organização, noticiou a imprensa britânica. A BBC, Sky News e outros meios de comunicação britânicos noticiaram …

Descoberto na Gronelândia fóssil de peixe com 210 milhões de anos

Uma equipa de paleontólogos, que inclui cientistas portugueses, descobriu uma espécie de peixe com pulmões que existiu há cerca de 210 milhões de anos e pertence a um grupo do qual evoluíram os antepassados de …

Tammy Duckworth fez história ao levar a filha de 10 dias para o Senado

Tammy Duckworth fez história ao tornar-se a primeira senadora norte-americana a ser mãe. Agora, volta a ser notícia por levar a criança para o Senado, um dia depois de terem sido alteradas as regras sobre …

Serviços de saúde recebem 192 queixas por dia

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) recebeu 70.111 reclamações em 2017, um crescimento de 18,4% face ao ano anterior. No ano passado, o número de reclamações recebidas pela Entidade Reguladora da Saúde (ERS) aumentaram em 18,4% …

Fêmea de lince-ibérico encontrada morta com sinais de atropelamento

Uma fêmea de lince-ibérico, de dois anos, foi encontrada morta, com sinais de atropelamento, na A22, próximo de Olhão, anunciou o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF). Nascida no Centro de Reprodução em …

Americano que previu drama dos incêndios acusa bombeiros de não saberem apagar fogos

O autor de relatório sobre fogos em Portugal acusa os bombeiros de não saberem apagar fogos ou fazer rescaldo em condições, arrasando o combate aos incêndios. Além disso, o mericano alerta que tragédia pode repetir-se …

"Estado totalitário". PS quer requisitar casas devolutas para arrendar

A nova proposta de Lei de Bases da Habitação, elaborada pelo PS, está a gerar polémica entre os proprietários, essencialmente porque propõe que o Estado se aproprie "temporariamente" de casas que estejam devolutas para as …

Televisão russa divulga testemunho sobre alegada encenação do ataque químico

A televisão pública russa Rossiya 24 divulgou, na quarta-feira, o testemunho de um rapaz que afirma ter participado numa encenação do presumível ataque químico de 7 de abril contra Douma, na Síria. O embaixador russo junto …

Ex-diretor da Brisa suspeito de corrupção em expropriação de terrenos

Polícia Judiciária do Porto conclui inquérito sobre subornos pagos a responsável da Brisa em negócios de expropriação de terrenos para autoestradas. Segundo o Jornal de Notícias, um engenheiro da Brisa, coordenador das expropriações na zona Norte …