Só há 33 meios aéreos de combate a incêndios dos 60 previstos

Paulo Cunha / Lusa

João Gomes Cravinho diz que nunca Portugal teve tantos meios aéreos para o combate aos fogos. Faltam no entanto três helicópteros ligeiros do Estado e 35 aviões adicionais alugados este ano.

O ministro da Defesa Nacional disse esta quarta-feira que estão atualmente disponíveis 33 meios aéreos de combate a incêndios florestais e “dentro de dias” vão estar operacionais mais seis aeronaves, garantindo que existem condições para dar resposta às necessidades.

“Neste preciso momento temos mais meios aéreos que alguma vez tivemos a 5 de junho. São atualmente 33 e serão 39 dentro de dias. Em nenhum outro momento, na primeira quinzena de junho, tivemos meios semelhantes”, disse João Gomes Cravinho, na Comissão de Defesa Nacional, numa audição pedida pelo PSD sobre a falta de aeronaves para o combate aos fogos.

A Diretiva Operacional Nacional (DON), que estabelece o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR), prevê para o mês de junho a operação de 60 meios aéreos, incluindo um helicóptero da Força Aérea que será ativado em caso de necessidade para coordenação aérea, mas só 33 estão atualmente operacionais.

Os meios aéreos que ainda não estão aptos a voar para a época de fogos são os três helicópteros ligeiros do Estado e as 35 aeronaves adicionais alugadas este ano, que estão a aguardar pelo visto do Tribunal de Contas ou têm processos judiciais pendentes.

O ministro da Defesa avançou que estão atualmente em curso providências cautelares referentes a cinco lotes, estando um processo no tribunal de Loulé e os restantes em Lisboa.

Entretanto, o Governo fez ajuste diretos para a contratação de 16 meios aéreos. “Estamos em condições de dar resposta este ano às nossas necessidades”, garantiu o ministro, sublinhando que Estado “tudo fará para colocar a tempo” os meios aéreos necessários ao serviço da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

O governante assegurou que o Estado “procederá ao ajuste direto” em caso de necessidade. João Gomes Cravinho frisou também que o Estado português com o Código de Contrato Públicos tem “uma enorme dificuldade em colocar todos os meios que quer num determinado momento ao serviço”.

João Gomes Cravinho considerou que o Código de Contrato Público coloca o Estado “à mercê dos interesses de empresas”, que são quase sempre as mesmas e que ao longo dos anos “se digladiam e se entendem entre si para fazer gato sapato do Estado e gato sapato também dos interesses do país”.

O ministro acusou ainda o PSD de ter colocado a questão dos meios aéreos de combate a incêndios como um dos assuntos da campanha das eleições europeias. “Houve uma manifesta piromania eleitoral em algumas abordagens”, disse.

Em resposta, o deputado do PSD Duarte Marques afirmou que atualmente deviam estar operacionais 60 meios aéreos, mas estão 33, o que “é lamentável”.

“Este assunto não vem à baila por causa da campanha eleitoral, morreram mais de 100 pessoas. Pelo segundo ano consecutivo o Governo falha na contratação de meios aéreos, chegamos ao início de junho e o Governo nem metade dos meios aéreos tem operacionais. Ainda por cima tem a leviandade de dizer que há mais meios que em anos anteriores”, afirmou Duarte Marques, criticando o Governo por ter iniciado os concursos em janeiro, uma vez que devem começar a ser feitos com um ano de antecedência.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Catarina Martins pede "voto útil" dos socialistas que não querem maioria absoluta

Catarina Martins defende que nas eleições legislativas o voto útil dos socialistas que não querem maioria absoluta é no Bloco de Esquerda, considerando que o crescimento do partido que lidera "pode ser o fator decisivo" …

Mudança do Infarmed para o Porto. Costa prometeu, mas não cumpriu

O primeiro-ministro prometeu, mas a Comissão Independente para a Descentralização não recebeu nenhum pedido do Governo para estudar deslocalização do Infarmed para o Porto. A decisão polémica de mudar a localização da Autoridade do Medicamento para …

Podem chover pedras no "lado noturno" dos exoplanetas de Júpiter

De acordo com um "relatório meteorológico astronómico", os lados escuros dos exoplanetas de Júpiter podem ter um clima bastante rochoso. As nuvens espessas de minerais vaporizados podem estar a chover pedras. Uma equipa de astrónomos da …

Boris compara Reino Unido a super-herói. "Quanto mais enfurecem o Hulk, mais forte ele fica"

O primeiro-ministro britânico comparou o Reino Unido ao super-herói da Marvel, que nunca se deixa prender, deixando subentendido o aviso de que pode ignorar a decisão do Parlamento que quer impedir uma saída sem …

Dente de rinoceronte deu aos cientistas a mais antiga informação genética já registada

Cientistas conseguiram extrair de um dente com 1,7 milhões de anos (de um rinoceronte já extinto) aquela que é a informação genética mais antiga alguma vez registada. Entre o período de há 2,5 milhões e 700 mil …

SNS "é âncora para os portugueses e sabe resistir às pressões"

A ministra da Saúde elogiou o Sistema Nacional de Saúde no dia em este cumpre 40 anos. A data só não está a ser assinalada com mais vigor devido à proximidade das eleições, explicou …

Um terço dos diplomados no curso de Aeroespacial vai trabalhar para o estrangeiro

A nota mínima de entrada no curso de Engenharia Aeroespacial do Técnico bateu um novo recorde. As oportunidades e os salários levam os diplomados para o estrangeiro. O único curso de Engenharia Aeroespacial no ensino superior …

Morreu o cantor Roberto Leal

Morreu o cantor Roberto Leal, confirmou o antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local. Tinha 67 anos e lutava contra um cancro. A notícia foi avançada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades …

Estudo mostra que o canguru gigante tinha uma parecença com os pandas

O já extinto canguru gigante tinha uma característica muito semelhante com o panda-gigante dos dias modernos: grandes mandíbulas que lhe permitiam comer alimentos que outros animais não conseguiam. Há mais de 40 mil anos, o sudoeste …

Assunção Cristas contra o "ditador" verde e André Silva contra a "despesista" demagoga

O debate deste sábado, transmitido pela RTP3, sentou frente-a-frente os líderes do CDS e do PAN. Assunção Cristas contou quantas vezes o programa do adversário usa a palavra "proibir" e André Silva acusou os centristas …