Durante 17 anos John Corcoran foi professor. Nunca soube ler

John Corcoran é um professor norte-americano que lecionou durante 17 anos, sem nunca saber ler. A história podia ter saído de um filme, mas é real.

John Corcoran teve uma infância comum no Novo México, EUA, nas décadas de 1940 e 50. Frequentou a escola e a universidade, até que depois se tornou professor. Tudo isso foi feito enquanto John carregava consigo um segredo improvável: não sabia ler uma única frase.

Em declarações à BBC, o professor relata o sofrimento de ter tido que recorrer a estratégias frequentes para esconder o seu analfabetismo, até decidir revelar a verdade ao mundo, aos 48 anos: “Quando era criança, ouvia os meus pais dizerem-me que eu era um vencedor. E, nos meus primeiros seis anos, eu acreditei nisso.”

A história de John expõe não só o sofrimento pessoal, mas também a forma como o isolamento e a automatização do sistema de ensino como um todo podem destruir a autoestima, a aprendizagem e até mesmo o futuro de uma criança.

Tendo crescido com dificuldades de leitura e escrita, o próprio estigma provocado por essa questão fez com que John dedicasse todo o seu esforço ao longo da vida escolar a esconder o facto de não saber ler.

Todas as mais incríveis táticas e estratégias foram utilizadas – desde trocas de provas até ao roubo de testes e de um móvel da sala de professores para descobrir as questões do exame.

Quando concluiu o ensino obrigatório, John decidiu ir para a faculdade com uma bolsa de atleta, à procura de um emprego e uma vida melhor. John estava, no entanto, cada vez mais enterrado no seu segredo, sem conseguir revelar ou enfrentar o problema.

Os esforços continuaram e John formou-se. Depois de finalmente conseguir sair do que considerava um cenário de guerra e prisão, Corcoran voltou à escola, mas desta vez como professor.

Enquanto professor, John ensinou um pouco de tudo: atletismo, estudos sociais e até digitação. Era capaz de assinar o nome e de reproduzir palavras, mas incapaz de saber o que estava a reproduzindo na sua caligrafia ou na máquina de escrever.

A autoridade que lhe era conferida enquanto professor protegia-o, e assim John continuou a lecionar desde 1961 até 1978.

Quando já tinha mais de 40 anos John decidiu contar à sua esposa a verdade sobre o sofrimento que carregou consigo durante uma vida inteira. A sua mulher não entendeu a profundidade do problema, e só quando o viu a tentar ler uma história para a filha é que percebeu a gravidade daquele cenário.

John, no entanto, só conseguiu enfrentar o problema aos 48 anos, quando soube através da então primeira-dama Barbara Bush, que faleceu esta quarta-feira aos 92 anos, sobre o problema do analfabetismo adulto e de um imenso programa para alfabetizar esses adultos que passaram a vida toda sem saber ler nem escrever.

Através desse programa, John conseguiu uma tutora, e após sete anos de estudos, conseguiu se libertar do estigma e da encenação que tinha sido toda a sua vida.

Inicialmente o professor tinha decidido esconder a história até ao fim mas, para inspirar outras pessoas que pudessem estar a passar pelo mesmo que ele, decidiu abrir o jogo e revelar publicamente a sua história que parece ter saído diretamente de um filme.

O relato de John visa principalmente denunciar o quanto o sistema de ensino é capaz de alienar crianças, sem que de facto aprendam coisas tão básicas como a leitura e a escrita, com o objetivo de romper o que chama de “ciclo de fracasso”.

Ao enterrar o seu “fantasma” aos 48 anos, John iluminou um fantasma muito maior, que precisa de ser enfrentado como um problema real.

ZAP // BBC / Hypeness

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Aos Senhores do site: fizeram alguma coisa para confirmar esta noticia? É que não há maneira nenhuma de me fazerem acreditar nisto. É simplesmente impossível. Da maneira como está descrito, é impossível. Não deveria haver algum cuidado da vossa parte antes de divulgar coisas destas?

  2. A wkipedia tem à vários anos um artigo com fontes (repito – COM FONTES, portanto não se aplica a critica o argumento “Isso, a wikiepdia qualquer um pode inventar uma história e pôr lá”) sobre o assunto).

    https://en.wikipedia.org/wiki/John_Corcoran_(author)

    http://www.bbc.com/news/stories-43700153

    Mas há uma diferença face a esta história (que pode ser relevante ou não) – ele pelos vistos lia como um aluno da 2ª classe, o que é diferente de não saber ler (e parece-me que ele seria mais um caso extremo de dislexia do que propriamente de analfabetismo; no artigo fala que que ” he resolved to finally learn how to read”, o que não é exatamente a mesma coisa quer “learn to read”; o “how” – “aprender COMO ler” – parece indicar que não seria uma questão de não saber o significado das letras, mas de ter dificuldade no ato mental de juntar as letras para formar palavras e frases).

    • Sr. Madeira; o meu comentário refere-se apenas ao primeiro parágrafo do seu comentário. Não seria melhor ter escrito: “A wikipedia tem há vários…”?

  3. Para quem está a duvidar da história, googlem por ‘I was a teacher for 17 years, but I couldn’t read or write’, quem em breve acharão uma noticia da BBC com a mesma conversa (e não se esqueçam que isto é algo que se passou há dezenas de anos atrás).

    [Tinha feito outro comentário sobre o assunto, mas como tinha links deve ter ficado filtrado]

  4. Valha-nos Stª Minerva!
    Ainda que seja uma verdade ocorrida há anos não deixa de ser o género de notícia que outra finalidade não tem que não seja afrontar a inteligência humana.
    Não haverão assuntos mais interessantes para fazer chegar aos leitores, seja do ZAP ou BBC?!.
    Se forem credíveis e interessantes vendem na mesma!!!

  5. Para compor uma notícia sensacionalista, “pintaram” a incapacidade do senhor de ler bem, a sua dislexia, ou falta de adequada alfabetização (que é diferente de ler e escrever) como um simples “professor que nunca soube ler”. Isto é jornalismo rasca, da BBC e dos que aproveitaram a notícia para a colocar aqui. A BBC não está isenta de fazer porcariazitas que “não valem nada” (ou por ser a BBC há aqui um “atestado” de qualidade indesmentível e inquestionável?). Depois agrava traduções mal feitas para português, tendenciosas e viciadas para tornar tudo muito fantástico e inacreditável. Mau trabalho, é só. Existem muitas pessoas com o problema do senhor, embora raramente cheguem a ser docentes, isso é que foi admirável. Ele saberá ler, mas lê mal com certeza, escreverá com muitos erros ortográficos, com problemas de construção gramatical, isso é muito comum. Veja-se no Facebook, na língua portuguesa, o que aparece escrito.

RESPONDER

Jiménez falhou o primeiro penálti de toda a sua carreira e o Wolves caiu da Liga Europa

O avançado mexicano Raúl Jiménez falhou o primeiro penálti de toda a sua carreira, num jogo a contar para a Liga Europa que acabou por ditar a saída do Wolverhampton. Na mesma jornada, Shakhtar Donetsk …

Mais duas mil detenções na Bielorrússia. Reunião de Riga pede envolvimento urgente da União Europeia

Mais de duas mil pessoas foram detidas na segunda noite de manifestações de protesto na Bielorrússia contra os resultados das eleições presidenciais. A Letónia, Estónia, Finlândia e Polónia concordaram com a marcação de uma reunião …

Humanos podem ter "reciclado" região do cérebro quando aprenderam a ler

Um novo estudo mostra que os seres humanos podem ter "reciclado" uma região-chave do cérebro para os ajudar a dar sentido à palavra escrita. De acordo com o site Science Alert, em testes com macacos-rhesus, os …

Cientistas usam a Lua como espelho gigante para procurar extraterrestres

Os astrónomos ainda não desistiram de procurar vida para lá da Terra e acabam de criar um novo método para encontrar exoplanetas habitáveis, que envolve o uso da Lua como uma espécie de espelho gigante. Especialistas …

Astrónomos descobriram um buraco negro "incapaz" de fazer o seu trabalho

Astrónomos descobriram o que pode acontecer quando um buraco negro gigante não interfere na vida de um enxame de galáxias. Usando o Observatório de raios-X Chandra da NASA e outros telescópios, mostraram que o comportamento passivo …

Homem na casa dos 20 anos morre de peste no Novo México

Um homem na casa dos 20 anos morreu de peste septicémica no estado norte-americano do Novo México, anunciaram as autoridades de saúde deste estado. A vítima, cuja identidade não foi revelada publicamente, viva em Rio …

Cara do pintor italiano Rafael reconstruida para resolver mistério do seu túmulo

Uma equipa de especialistas fez uma reconstrução em 3D da cara do pintor italiano renascentista Rafael. Assim, confirmaram o seu aspeto físico e resolveram o mistério relativamente ao seu túmulo. O rosto do pintor italiano Rafael …

Novo método não-invasivo permite diagnosticar cancro cerebral sem fazer incisões

Diagnosticar tumores cerebrais pode ser difícil e muito invasivo. Agora, uma equipa de investigadores desenvolveu um método para detetar cancro no cérebro sem ser necessária qualquer incisão. Os tumores cerebrais são normalmente diagnosticados através de imagens …

A última plataforma de gelo intacta do Canadá colapsou. Criou um icebergue maior do que o Porto

A plataforma de gelo Milne, no Canadá, fragmentou-se no final do mês de julho, formando vários icebergues, dois dos quais de grandes dimensões. Cientistas ouvidos pela agência noticiosa AP referem que esta era uma plataforma especial, …

Ícones da moda de luto: a indústria fashion nunca mais será a mesma

Muitas são as áreas da economia a ser gravemente afetadas pela pandemia de covid-19. A indústria da moda não foge à tendência e já são muitos os líderes de grandes marcas a "declarar morte" à …