Votação arrancou esta segunda. Perto de 53 mil já pediram voto antecipado

As eleições Presidenciais acontecem a 24 de janeiro, mas a partir desta segunda-feira há portugueses que já podem começar a votar: os doentes internados e os presos.

É a partir desta segunda-feira que se faz a recolha dos votos destes eleitores, pelo presidente da Câmara municipal da área do estabelecimento hospitalar ou prisional, um vereador credenciado ou quem o represente, que se deslocará a esses estabelecimentos.

O pedido para o voto antecipado de doentes internados e presos foi feito até 4 de janeiro e a recolha dos votos prolonga-se até quinta-feira, 14 de janeiro.

Este tipo de voto antecipado já existe há vários anos, mas nestas eleições esta possibilidade foi alargada devido à pandemia de covid-19, que afeta Portugal desde março do ano passado.

Nestas eleições presidenciais também vai poder votar antecipadamente, uma semana antes, quem não o puder fazer em 24 de janeiro, a exemplo do que aconteceu nas europeias e legislativas de 2019.

Só no primeiro dia do prazo de inscrição no voto antecipado em mobilidade, no domingo, foram 52.994 os eleitores a fazer o pedido de voto antecipado.

Em apenas 24 horas, até às 23h50 de domingo, as inscrições para as Presidenciais ultrapassaram os eleitores que fizeram voto antecipado (50.638) uma semana antes do dia das legislativas de 2019, afirmou o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita. Esse número mais do que duplicou até às 24h00, com perto de 53 mil pedidos.

Haverá mesas de voto antecipado nas sedes de cada um dos 308 concelhos, e não apenas na sede do distrito. O pedido pode ser feito por via eletrónica junto do Ministério da Administração Interna deste site ou através de correio normal.

O eleitor deve mencionar o nome completo, data de nascimento, número de identificação civil, morada, mesa de voto antecipado em mobilidade onde pretende exercer o direito de voto, endereço de correio eletrónico e/ou contacto telefónico, havendo uma minuta na página da Internet do Ministério da Administração Interna.

Também os doentes com covid-19 ou pessoas em isolamento profilático podem pedir para votar antecipadamente.

As eleições estão marcadas para 24 de janeiro e esta é a décima vez que os portugueses são chamados a escolher o Presidente da República em democracia, desde 1976.

A campanha eleitoral decorre entre 10 e 22 de janeiro, com o país a viver sob medidas restritivas devido à pandemia. Concorrem às eleições sete candidatos, Marisa Matias (apoiada pelo Bloco de Esquerda), Marcelo Rebelo de Sousa (PSD e CDS/PP) Tiago Mayan Gonçalves (Iniciativa Liberal), André Ventura (Chega), Vitorino Silva, João Ferreira (PCP e PEV) e a militante do PS Ana Gomes (PAN e Livre).

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

    • Não vota. Tanta falsa questão acerca do voto!!! Uma larga percentagem nunca vai votar sequer. Já viu a abstenção que tradicionalmente ocorre nas eleições?

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …