“Vitorioso”. É assim que Bolsonaro classifica o seu primeiro ano de Governo

Marcelo Camargo / ABr

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, iniciou 2020 otimista e descreveu o seu primeiro ano de Governo como “vitorioso”, apesar de ter sido marcado por retrocessos em áreas como ambiente, educação e cultura, mas com avanços na economia.

“Que o Brasil possa continuar seguindo o caminho da prosperidade e que este seja um ano tão vitorioso para o povo brasileiro quanto foi 2019. Estaremos, juntos, trabalhando noite e dia, para mudar o destino da nossa nação”, escreveu o chefe de Estado na rede social Twitter, no primeiro dia deste ano.

Jair Bolsonaro celebrou a passagem para 2020 no Palácio da Alvorada, em Brasília, na sua residência oficial, na companhia da sua família, numa decisão de última hora. Dias antes, o mandatário anunciou que estaria até 5 de janeiro no estado brasileiro da Baía, com a sua filha mais nova, mas sem a sua esposa Michelle Bolsonaro, tendo alterado esse plano inicial.

Embora o Presidente se mostre otimista, o equilíbrio da sua administração foi considerado por especialistas, em geral, negativo, devido às suas políticas conservadoras que o seu executivo promoveu contra a Educação e a Cultura para enfrentar a “velha política” centrada no “comunismo” e no pensamento de “esquerda”.

Numa análise à gestão da área cultural pública no Brasil em 2019, o investigador brasileiro Alfredo Manecy identificou, em entrevista à Lusa, retrocessos, frisando que nos últimos 20 anos o país tinha avançado em direção a um Estado democrático em que há o reconhecimento dos direitos culturais, mas este novo Governo vê o setor como um opositor.

Bolsonaro vê a cultura como uma ameaça porque [a arte se dá] num espaço de liberdade, de experimentação, um espaço de não domesticação perante qualquer Governo, não só [em relação] a este. A cultura é uma das áreas mais autónomas de qualquer sociedade e, portanto, o Governo priorizou a área na sua guerra cultural e [elegeu] artistas como adversários”, afirmou Manevy.

Em matéria ambiental, com medidas que flexibilizaram a fiscalização e o controlo sob a desculpa de incentivar o desenvolvimento em reservas indígenas e até mesmo na Amazónia, Bolsonaro conseguiu apagar a marca que o Brasil deixou nos últimos anos na defesa do meio ambiente.

A aprovação do seu Governo esteve em declínio consecutivo nos primeiros dez meses do seu mandato, que teve início em janeiro de 2019, mas teve uma leve recuperação a partir de outubro último, impulsionada pelos resultados das políticas neoliberais que aplicou em questões económicas.

Segundo uma sondagem realizada pelo instituto Datafolha, o índice de aprovação do atual executivo brasileiro, que era de 32% em abril, caiu para 29% em agosto e estabilizou em 30% em dezembro.

O Presidente promoveu uma redução acentuada nos gastos públicos, conseguiu uma dura reforma do sistema de pensões e aposentação, apesar de alterações da sua proposta original por parte do Congresso, e iniciou um plano agressivo de privatizações que atingirá o seu pico este ano.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Covid-19 já matou mais pessoas em Nova Iorque do que o 11 de setembro

O Estado de Nova Iorque recenseou esta segunda-feira 731 mortos num só dia, elevando o total de vítimas mortais para 5.489 desde o início da pandemia de Covid-19 nos Estados Unidos, indicou o governador Andrew …

Cofundador do Twitter doa 28% da riqueza para causas solidárias. Incluindo combate à Covid-19

O cofundador do Twitter, Jack Dorsey, anunciou que vai doar mil milhões de dólares (920 milhões de euros), 28% da sua riqueza pessoal, para causas solidárias, incluindo a luta contra a pandemia da Covid-19. Numa mensagem …

Reclusos libertados e cortes de água, luz, gás e internet suspensos

Esta quarta-feira, no Parlamento, a esquerda viabilizou o projeto do Governo para libertar reclusos. O PS vai ainda viabilizar as propostas do PCP e do BE que suspendem cortes na água, luz, gás e internet. A …

Pandemia deixa passaporte português mais "forte". É o sexto mais poderoso do mundo

A pandemia desencadeada pelo novo coronavírus oriundo da China (covid-19) tornou o passaporte português mais forte. O documento português subiu uma posição no ranking da Henley Passport Index, estando agora o documento na sexta posição dos …

SAD do Leixões avança para lay-off

A SAD do Leixões propôs ao plantel "que nos próximos três meses, abril incluído, pagaria metade do salário em cada mês, valores que seriam repostos ao longo do trimestre que se seguiria". O plantel do Leixões, …

Rui Pinto colocado em prisão domiciliária

O hacker Rui Pinto, criador do Football Leaks e autor das revelações do caso Luanda Leaks, foi colocado em prisão domiciliária esta quarta-feira. Rui Pinto, que estava em prisão preventiva desde 22 de março de 2019, …

Detidas 33 pessoas desde a renovação do estado de emergência

A PSP e a GNR detiveram, até terça-feira, 33 pessoas pelo crime de desobediência desde 3 de abril, totalizando 141 as detenções feitas desde o início do estado de emergência, indicou o Ministério da Administração …

Bruxelas disponibiliza 300 milhões de euros a pequenas e médias empresas para alavancar investimentos

O programa "Escalar" disponibiliza 300 milhões de euros, através do Fundo Europeu de Investimento, para apoiar investimentos de pequenas e médias empresas "promissoras" que queiram crescer. A Comissão Europeia anunciou que vai disponibilizar 300 milhões de …

Maçonaria cancela eleições e proíbe rituais em sessões virtuais

A pandemia de Covid-19 levou o Grão Mestre do Grande Oriente Lusitano, Fernando Lima, a principal obediência maçónica em Portugal, a cancelar as eleições e a proibir os encontros com rituais maçónicos 'online', visto que …

Mourinho quebra regras e assume que errou ao ir treinar com Ndombele

Fotografias e vídeos divulgados nas redes sociais mostram José Mourinho e os jogadores do Tottenham a treinar juntos e a violar as regras de segurança impostas devido ao surto do novo coronavírus. O Tottenham, treinado por …