Vice-presidente angolano arrasa Portugal e deixa relações por um fio

U.S. Department of State / Wikimedia

Manuel Vicente, vice-presidente de Angola em vias de cessar funções.

A defesa de Manuel Vicente, vice-presidente cessante de Angola, atira-se ao Ministério Público português, acusando-o de mentir e de violar a Lei Internacional, no âmbito do processo em que o governante é acusado de corrupção.

O jornal Sol teve acesso a um requerimento da defesa de Manuel Vicente, no âmbito da “Operação Fizz”, na qual o vice-presidente angolano é suspeito de ter pago subornos ao antigo procurador do Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), Orlando Figueira, para que este travasse investigações em que era visado.

Acusado de corrupção activa, de branqueamento e de falsificação de documento, Manuel Vicente contesta o processo do Ministério Público (MP) português que considera “ilegal”, conforme refere o Sol.

O semanário nota que a defesa do vice-presidente angolano “arrasa” o MP português, nesse documento que deu entrada no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa, na passada quinta-feira, e que nota que o caso chegou a julgamento “de forma surpreendente, súbita, ilegal e violadora de princípios e direitos fundamentais” do Direito Internacional.

A defesa de Manuel Vicente contesta, sobretudo, o facto de o MP não ter reconhecido a imunidade do governante, por via do seu cargo como vice-presidente angolano, e apela a que, caso essa posição se mantenha, a parte do processo que lhe é relativa seja “enviada para as autoridades angolanas” para “tramitar na Justiça de Angola”.

UNITA diz que Portugal “verga” sempre perante Angola

Segundo o Sol, esta posição de Manuel Vicente agudiza as relações entre os dois paíeses e deixo, “iminente o conflito diplomático entre Portugal e Angola“.

Sobre as relações entre os dois países, o vice-presidente da UNITA, o maior partido da oposição angolano, considera que há “uma relação de verdadeira dependência de Portugal em relação a Angola”.

Raúl Danda diz que Portugal se tem “vergado sempre” nas relações com Angola, colocando-se numa “situação de verdadeira dependência” e defende que falta um olhar “de igual para igual”.

“O facto de lá para trás Portugal ter colonizado Angola não devia fazer com que se jogasse um papel mais ou menos inverso, que é o que eu observo”, nota em entrevista à Lusa.

“Se surge um órgão de comunicação social a falar de um membro do Governo angolano, uma alta figura na hierarquia do MPLA, zangam-se, fazem uma birra que nem crianças, agora não queremos mais Portugal e Portugal verga“, acrescenta.

“Quando Angola diz que a ministra não vem, agora não queremos, Portugal verga. Quando gritam agora podem vir para vir à tomada de posse do novo Presidente João Lourenço, Portugal verga“, afirma Danda.

O dirigente da UNITA rejeita que esteja apenas em causa a defesa dos interesses dos portugueses que investem e trabalham em Angola.

“Neste momento, Angola precisa de Portugal e Portugal precisa de Angola. Não pode ser uma situação em que uns impõem as coisas como se os outros fossem os eternos necessitados. Há angolanos que trabalham em Portugal e há portugueses que trabalham em Angola. Isto ficou uma aldeia global”, sustenta.

Angola condenou que a imprensa portuguesa tenha noticiado a constituição como arguido de Manuel Vicente. Numa reacção sobre o assunto, em Fevereiro, o Governo angolano considerou “inamistosa e despropositada” a forma como as autoridades portuguesas divulgaram a acusação ao vice-presidente de Angola, alertando que essa acusação ameaça as relações bilaterais.

No mês seguinte, o então ministro da Defesa angolano e candidato do MPLA às eleições de Agosto, em que foi eleito presidente, João Lourenço, exigiu “respeito” das autoridades portuguesas às “principais entidades do Estado angolano”, admitindo que as relações bilaterais estavam “frias”.

Na sequência deste facto, ficou adiada “sine die“, a pedido de Angola, a visita da ministra da Justiça portuguesa, Francisca Van-Dúnem, a Angola, anunciada, em Luanda, pelo ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, durante a sua deslocação ao país africano, em Fevereiro, que estava prevista entre os dias 22 e 24.

Também não se concretizou a anunciada visita a Angola do primeiro-ministro português, António Costa, que chegou a estar prevista para a Primavera passada. O Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa, estará presente na posse de João Lourenço, na terça-feira, 26 de Setembro, em Luanda.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

36 COMENTÁRIOS

  1. O Vice da Unita disse algo de tal importância que devemos todos trabalhar nesse sentido
    “Neste momento, Angola precisa de Portugal e Portugal precisa de Angola.

    • Nós temos o “know how” e Angola têm recursos. Se ambos os países se respeitarem numa relação de ganho mútuo, Portugal têm tudo a ganhar.
      Terá que haver regras, respeito e muita aproximação.
      Portugal têm em diversos sectores e especialidades dos melhores profissionais que se pode ter. Esta é a riqueza que temos para Angola.

      • Fiquei sem saber o que pensa sobre como Portugal deve proceder em relação ao Sr. Manuel Vicente, se tem provas do seu crime e deve julga-lo ou porque ele tem poder em Angola e ameaça Portugal com corte de relações devemos esquecer e deixar que ele e seus amigos continuem a actividade criminosa, tendo em conta que Portugal tem muito a ganhar com as relações comerciais.

        • A minha opinião inicial não tem haver com isso. Só expliquei à comentadora Aida Carvalho porque Portugal precisa de Angola e vice-versa.
          Se existem provas de crime, obviamente deve ser julgado.
          Como o meu falecido Pai sempre me dizia: “Façamos Nós boa letra. Leia-a quem quiser.”

  2. Os senhores jornalistas devem esclarecer o leitor ao informar quem está a contas com a justiça. O vice presidente da República de Angola e o Sr Manuel Vicente (cidadão) não são a mesma coisa.

  3. Portugal está hoje como um pai, pois deixa o filho se sobrepor.Já é tempo de Portugal se portar com Angola de igual para igual mas com firmeza e mais não digo….

    • Concordo plenamente. Sou brasileira, filha de portuguesa. Infelizmente, Portugal está aceitando a entrada e a permanência de qualquer tipo de pessoa. E os brasileiros estão literalmente invadindo e “depredando” o país em muitos sentidos. Apenas luso-descendentes com qualificação deveriam ser aceito, tendo em vista que muitos cometeram crimes ou infrações no Brasil e fugiram para Portugal.

        • Bem típico dos brasileiros. Mesmo dentro do país, eles normalmente cometem crimes hediondos e fogem para seus estados ou cidades de origem. O pior é que parentes e amigos ainda acobertam os criminosos. Conheço muito bem esse perfil de gente, pois nasci e ainda vivo no Brasil.

  4. Justiça é justiça, e deve manter-se independente da politica. Se este Sr. faltou à lei, deve ser condenado. Se por outro lado está inocente, o julgamento o dirá e o Sr. tem direito à respectiva indemnização. Parem-se os interesses e tácticas jornalisticas de todos conhecidas.

  5. Há 50 anos este e outros andavam descalços no mato, e agora são importantes, mas à moda do Poro, não são VIP, são ICC (Importantes como o car***o)

  6. O problema de Portugal é que somos governados por uns idiotas e lambe botas , que confundem sempre os interesses dos portugueses que vão para Angola trabalhar , com a necessidade de denunciar as atrocidades praticadas naquele país.
    Façam um referendo e perguntem aos angolanos quem é que eles preferiam. Se as elites actuais, ou continuarem portugueses

    • Os portugueses são uns retardados, e devem dar mil graças à União Europeia, porque senão estariam no contentor. Angola prefere mais do que mil vezes ser liderada por qualquer africano, nem que for um bebé, do que u português, que ao longo da colonização só demostraram ser desmiolados.

      • Pois, pois…
        A qualidade da liderança angolana está à vista: um dos países com mais riquezas naturais do mundo, mas um dos mais atrasados de África (e do mundo – muito atrasado em tudo relativamente, por exemplo, a Cabo Verde!), com a maior taxa de mortalidade infantil do mundo (pior do que a Síria ou Iraque em guerra), com um dos piores sistemas de ensino do mundo (e com uma das maiores taxas de analfabetismo dos mundo), com um dos piores sistemas de saúde dos mundo, com os maiores índices de corrupção do mundo (mas cuja filha do presidente é das mulheres mais ricas do mundo!), onde 80% da população nem sequer tem um BI, etc, etc, etc!…
        E depois os portugueses é que são “retardados e desmiolados”?!
        Quem diria!…

      • Muthu wa Nzambi – Disse em 24.09.2017. Você, além de não saber o que diz, não pensa no que quer dizer. O que, traduzindo em miúdos, equivale a uma pessoa que não merece o beneficio de uma resposta. RE: Em 26.09.2017.

    • Em portugal não se trata de ter um governo de lamber botas como diz , mas sim não importa qual o governo que portugal tem no poder, e a forma de se pensar e a mentalidade que tem que mudar .
      Dizer a tudo e a todos ,isto e portugal e aqui mandam os portugueses , as nossas regras as nossas leis e a nossa justiça.
      Até hoje portugal sempre se deixa levar por qualquer pais que seja, angola , Inglaterra , Alemanha , França .
      Não importa quem venha falar contra portugal ,acobardam se e vergam em tudo .
      E e isso que tem que mudar ,pois a verdade e que o portugues e muito resquesitado para toda parte do mundo pois precisam de nós
      Tao simples quanto isso …. portugal tem que se impor e ai sim portugal começará a andar para a frente.

  7. Quando a política entra nos tribunais a justiça sai por qualquer das portas! É assim em angola que as elites matumbas do mpla trsnsformaram numa Sanzala e querem fazer o mesmo a Portugal um velho país com cultura e história e uma democracia de quarenta anos que começava a ganhar o respeito dos povos civilizados e também do povo angolano !

  8. Infelizmente continuamos a ver um Portugal submisso, seja a Angola, a Alemanha ou a qualquer outro país…
    Tenho pena de não reconhecer no meu país uma posição de firmeza, orgulho! Apesar de termos alguns governantes corruptos,já vimos que muitos não ficam à margem da lei… Mas já de Angola não podemos esperar tal coisa… pois todos eles roubam o povo descaradamente sem qualquer pudor e continuam sem punição. Portugal não precisa de Angola! Não digo que não seja um país de recursos, mas como Angola à outros países igualmente bons para parcerias. Por mim essas parcerias acabavam já! E começava já por não estar presente na tomada de posse Manuel Lourenço o nosso presidente da República!

  9. Claro que estamos subservientes. Claro que nao ultrapassamos o sentido do pais colonizador.nem angola como colonizado. Mas deve entender que foram outros temos desta europa que se renova continuamente As feridas, os traumas.concordo , aceito e ate acho necessário. Precisamos uns dos outros. Não havendo uma união portugal-angola, que fique o carinho, o que nos une. E isso virá com o tempo. . Chamem os brancos ao retorno. Acolham quem ama angola. E assim tambem ajudam portugal. E agradecemos.

  10. Por aqui nada foi “arrasado”, e, a única coisa que esse sr (e seu regime) mafioso e corrupto e ditatorial tem arrasado é Angola, cuja capital Luanda é a maior favela do mundo!!
    Depois, Portugal é uma coisa e “Ministério Público português” é outra!…

  11. Meus caros.

    Angola só tem riqueza natural , para meia dúzia de vagabundos.

    Quanto a país e cidadania, meus caros é zero!

    Viva Portugal, podemos estar a passar por algumas e estamos , dificuldades .

    Graças aos mesmos de sempre !

    Políticos como sempre, viva alguns agentes da justiça…que finalmente a verdade começa a vir ao de cima.

  12. Desde o 25 de Abril, Angola é utilizada pelos mafiosos (leia-se banqueiros e políticos) portugueses para todo o tipo de negócios ilegais, tráfico de armas, tráfico de diamantes, lavagem de dinheiro, pagamento de favores (leia-se corrupção). As instituições portuguesas “vergam” porque há sempre um mafioso no poder que telefona para o Ministério Público ou para o juiz e lhe diz “baixa as calças, toma lá vaselina”. Porque se os mafiosos angolanos contam o que sabem, os mafiosos portugueses nem sabem onde se esconder.

  13. Portugal não é bom exemplo, mas olhem que Angola é pior!!! Angola é um país que tem diamantes, tem petróleo e tem terra fértil! E no entanto muitas pessoas passam fome! Deixem lá que também os angolanos são muito bons a estragar um país…também não podem falar dessa forma,visto que só fazem porcaria no meio de tanta riqueza!!

  14. Portugal precisa de Angola e vice-versa, todos precisamos de todos, só não precisamos de corruptos que manipulam a sociedade, a justiça e a opinião pública.
    O governo Angolano tem de aprender a cuidar dos seus cidadãos e não apenas dos seus políticos.
    Há espertalhões em todos os países e devemos todos continuar na caça ao bicho.
    Esperemos que desta vez Portugal se mantenha consistente.

  15. O meu pai esteve na guerra colonial e quando vê imagens da Angola atual na tv diz: Desde que saímos de lá não gastaram um centavo em tinta e cimento. Eu só confirmo as evidências. Cada povo com as suas qualidades…

Responder a Unita Cancelar resposta

Médico de Maradona apresenta-se voluntariamente às autoridades judiciais

O médico Leopoldo Luque apresentou-se esta segunda-feira voluntariamente às autoridades judiciais para explicar as circunstâncias em que ocorreu a morte do ex-futebolista Diego Maradona, depois de a sua casa e o seu consultório terem sido …

Itália mantém recolher obrigatório no Natal e Ano Novo

O ministro dos Assuntos Regionais italiano anunciou esta segunda-feira que o recolher obrigatório se vai manter durante o Natal e Ano Novo, no mesmo dia em que o Governo aprovou um novo plano de apoio …

Papa Francisco defende distanciamento social e é criticado por radicais de direita

Num artigo no New York Times sobre o Dia de Ação de Graças, o Papa Francisco defendeu as restrições levantadas para combater a pandemia covid-19, acabando por ser criticado por alguns radicais de direita, que …

Dez empresas e três pessoas acusadas no caso do vulcão na Nova Zelândia que fez 22 mortes

Dez empresas e três pessoas foram acusados de não cumprirem obrigações de segurança quando um vulcão na Nova Zelândia entrou em erupção em 2019, matando 22 pessoas, anunciou hoje a agência responsável pelas normas de …

Taxa de desemprego desce em setembro para os 7,9%

A taxa de desemprego recuou em setembro para 7,9%, menos 0,2 pontos do que em agosto e mais 1,4 pontos que no mesmo mês de 2019, segundo dados esta segunda-feira anunciados pelo Instituto Nacional de …

Multinacionais com mais respeito pelos direitos humanos e ambiente? Suíços dizem não

A Suíça rejeitou este domingo, em referendo, uma iniciativa que queria impor obrigações legais mais rígidas às empresas, no que se refere ao respeito pelos direitos humanos e padrões ambientais, segundo projeções adiantadas por instituto …

Brasil. Forças alternativas a Bolsonaro e Lula conquistam metade das capitais estaduais

Na segunda volta das municipais brasileiras, disputadas em 57 dos 5565 municípios do país e envolvendo mais de 38 milhões de eleitores, os políticos apoiados pelo Presidente Jair Bolsonaro e os candidatos do Partido dos …

Surto de gripe aviária no Reino Unido origina o abate de 10 mil perus

Mais de 10 mil perus vão ser abatidos no Reino Unido, devido a um surto de gripe aviária detetado numa quinta na cidade de Yorshire, no norte do país, anunciou este domingo o Governo britânico. Segundo …

Portugal com mais 78 mortos e 3.262 novos casos

Portugal contabiliza esta segunda-feira mais 78 mortos relacionados com a covid-19 e 3.262 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já registou 4.505 …

Ministra da Saúde timorense ordena apagar referências a uso de preservativos em cartazes

A ministra da Saúde timorense ordenou retirar a recomendação de uso de preservativo em cartazes distribuídos pelo país para marcar o Dia Mundial de Luta contra a SIDA, por oposição “moral” ao que considera ser …