/

Vice-Presidente dos EUA vacina-se em público para “reforçar confiança”

Doug Mills / POOL / EPA

O vice-Presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, já foi vacinado contra a covid-19

O vice-Presidente norte-americano foi vacinado, esta sexta-feira, com uma dose do fármaco criado pela Pfizer/BioNTech contra a covid-19 durante um evento na Casa Branca, transmitido em direto pela televisão.

Mike Pence, responsável nos últimos meses pelo combate contra a pandemia a partir da Casa Branca, esteve acompanhado pela sua mulher Karen e pelo cirurgião geral Jerome Adams, que também foram vacinados.

“Não senti nada. Bom trabalho. Agradeço o vosso serviço ao país”, declarou o vice-Presidente dos Estados Unidos aos profissionais de saúde depois de ter sido vacinado.

Pence declarou estar “feliz por ter recebido uma vacina segura e eficaz”. Aliás, tanto ele como a esposa decidiram vacinar-se “em público” para “reforçar a confiança” dos norte-americanos após o início, esta segunda-feira, da campanha de vacinação com o fármaco da Pfizer/BioNTech.

O Presidente eleito dos Estados Unidos, o democrata Joe Biden, de 78 anos, também vai ser vacinado contra o SARS-CoV-2 durante os próximos dias. Já o Presidente cessante, o republicano Donald Trump, que tem 74 anos, e que já esteve infetado, ainda não deu nenhuma indicação de quando poderá ser vacinado.

Entretanto, os EUA preparam-se para autorizar uma segunda vacina contra a doença: o fármaco fabricado pela Moderna. Na quinta-feira, um comité de peritos pronunciou-se a favor da autorização urgente da vacina, o que sugere uma decisão positiva da Agência norte-americana de medicamentos (FDA).

Esta sexta-feira, o Presidente norte-americano garantiu através da sua conta no Twitter que esta vacina foi “aprovada de forma esmagadora” e que a sua “distribuição vai começar imediatamente”. Trump avisou ainda a Europa e outras partes do mundo muito atingidas pelo “vírus chinês (…) que as vacinas estão a caminho”.

Este anúncio acontece antes da confirmação da própria FDA.

No continente europeu, a Agência Europeia do Medicamento (EMA) também anunciou uma reunião extraordinária a 6 de janeiro para concluir a avaliação desta vacina.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 1.662.792 mortos resultantes de mais de 74,8 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (310.792) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 17,2 milhões).

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.