Já se suicidaram mais veteranos norte-americanos na última década do que os que morreram na Guerra do Vietname

Ian Langsdon / EPA

“Dia D”. Comemorações oficiais dos 75 anos do desembarque na Normandia.

Entre 2008 e 2017, mais de 60.000 veteranos norte-americanos cometeram suicídio, valor que supera o número de soldados dos Estados Unidos mortos durante a Guerra do Vietname (1955-1975).

Durante o conflito armado, morreram 58.000 soldados norte-americanos.

Segundo o Military.com, os dados são do Departamento de Assuntos de Veteranos dos EUA (VA), constando estes de um relatório de setembro de 2019 que foi agora divulgado.

Apesar de a população de veteranos norte-americanos ter diminuído durante o período em causa, mais de 6.000 veteranos continuam a suicidar-se anualmente, segundo o Relatório Anual Nacional de Prevenção de Suicídios de Veteranos do mesmo organismo.

No geral, os dados mostram que a taxa de suicídios está a aumentar. Em 2017, mais de 6.100 veteranos suicidaram-se, um aumento de 2% relativamente a 2016 e um aumento total de 6% desde 2008, nota o mesmo relatório.

Em 2017, as armas de fogo foram o método utilizado para levar a cabo o suicídio em 70,7% das mortes de veteranos do sexo masculino e 43,2% das mortes do sexo feminino.

Num comunicado de imprensa que acompanhou o relatório, o secretário do VA, Robert Wilkie, considerou que a crise de suicídios entre os veteranos norte-americanos vai para lá da capacidade de resolução do VA, considerando por isso que este problema deve ser coordenado numa nova abordagem com parceiros locais, estaduais e privados.

“O VA está a trabalhar para prevenir os suicídios entre todos os veteranos, estejam estes registados nos cuidados de saúde do VA ou não (…) E foi por isso que o departamento adotou uma abordagem abrangente de saúde pública para prevenção de suicídio, usando estratégias agrupadas que implicam vários setores – comunidades religiosas, empregadores, escolas, organizações de saúde, por exemplo – para alcançar veteranos onde quer que estes vivam”.

A nova abordagem tinha como objetivo “chegar a todos os veteranos, mesmo aquelas que nunca estão connosco e não nos podem procurar”, rematou.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Alguns deles suicidavam-se mesmo que não tivessem ido à guerra. Mas com a ida à guerra é natural que tenham vindo de lá “passados dos carretos” e muitos estropiados, o que agora, com mais idade, tomam aquela decisão. Quanto às guerras sempre as houve e vai haver. Na Europa e desde 1945 para cá as coisas têm andado calmas. A UE tem contribuído muito para isso. Mas eu penso que a paz que se tem vivido nas últimas décadas, deve muito à situação de ferro e fogo que aconteceu na primeira metade do século XX.

RESPONDER

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …

Biblioteca virtual no Minecraft dá voz a jornalistas censurados de todo o mundo

Enquanto governos de todo o mundo reprimem a liberdade jornalística e censuram a sua imprensa nacional, a Reporters Without Borders está a trabalhar para chegar ao público através de um canal improvável: uma enorme biblioteca …

Há mais 19 mortos em Portugal. Número de casos confirmados perto dos 6.000

Portugal registou, este domingo, mais 19 mortes devido ao surto de covid-19. O número de casos confirmados é de 5.962, mais 792 em relação aos números de sábado. A Direção-Geral de Saúde revelou este domingo o …