Ventura em operação de charme no Porto depois de um atraso muito criticado no Parlamento

O deputado André Ventura, eleito pelo Chega, tem agendada para este sábado uma verdadeira operação de charme no Porto, com encontros com o presidente da Associação Comercial do Porto e com apoiantes do partido. Iniciativas que visam afirmar que o Chega não está apenas focado em Lisboa, onde Ventura voltou a fazer “mossa” no Parlamento, depois de ter chegado atrasado a uma reunião, onde atirou acusações aos deputados Joacine Katar Moreira e João Cotrim de Figueiredo, saindo mais cedo em protesto.

André Ventura abandonou em protesto a reunião do grupo de trabalho que procura racionalizar o número e o tipo de votos que são apresentados para deliberação em plenário da Assembleia da República. O deputado do Chega esteve presente pouco mais de 30 minutos numa reunião que durou mais de duas horas.

Mal pediu a palavra ao coordenador deste grupo de trabalho, o socialista Pedro Delgado Alves, Ventura acusou os maiores partidos de estarem “a tentar matar a política”, burocratizando um direito de apresentação de votos.

No início da reunião, o deputado do Bloco de Esquerda (BE) José Manuel Pureza apresentou dados que indicam que, na anterior legislatura (em 4 anos), subiram a plenário 886 votos. E só nesta primeira sessão legislativa (que começou em final de Outubro) já entraram 164.

BE, PS, PCP, PSD, Iniciativa Liberal e Livre defendem, assim, que é preciso acabar com “a banalização” dos votos – uma posição contestada pelo PAN e fortemente criticada pelo Chega.

Sem se referir a esses dados avançados por José Manuel Pureza, Ventura preferiu antes apontar que as maiores forças políticas já antes tinham estado “numa tentativa de silenciamento” e de “corte do direito à palavra” no início da presente legislatura. E afirmou mesmo estranhar “o posicionamento” dos outros deputados únicos neste processo de revisão do regimento, referindo-se a João Cotrim de Figueiredo (Iniciativa Libera) e a Joacine Katar Moreira (Livre).

“Ética, ética, senhor deputado”, reagiu Joacine Katar Moreira. “A senhora deputada pode não gostar dos nossos votos, pode considerá-los racistas ou extremistas, mas são os votos do Chega, e devem ser avaliados”, ripostou Ventura.

Na sua intervenção, o deputado do Chega visou sobretudo o coordenador do grupo de trabalho, o vice-presidente da bancada socialista Pedro Delgado Alves.

“O PS quer dar-nos um voto potestativo por sessão legislativa, mas o PS que tenha a coragem de assumir que nos quer dar zero. Os senhores usam o argumento que o plenário do Parlamento não tem tempo para os votos, mas que argumento delicioso. Não tem tempo?” perguntou, levantando o seu tom de voz. O que está em causa é “o local em que esses votos são apreciados, o plenário ou em comissão”, contrapôs Pedro Delgado Alves.

O deputado do PSD Pedro Rodrigues referiu-se por duas vezes em tom muito crítico ao comportamento de André Ventura. Na primeira vez, lamentou que, ao fim de meia hora de reunião, o deputado do Chega ainda não estivesse presente na sala, já que se tratava de um assunto em que directamente ele é parte interessada; e na segunda vez, pela posição que tomou Ventura em relação ao Regimento da Assembleia da República e à própria Constituição da República.

“Teria sido interessante se o professor de Direito Constitucional André Ventura tivesse ouvido a intervenção aqui proferida pelo deputado André Ventura“, comentou com ironia o deputado social-democrata.

Já longe das “batalhas” do Parlamento, André Ventura vai ser recebido, neste sábado à tarde, no Palácio da Bolsa, no Porto, pelo presidente da Associação Comercial do Porto, Nuno Botelho. Uma audiência pedida pelo próprio Ventura, como frisa Nuno Botelho em declarações ao Expresso.

Não é apenas o tecido empresarial de Lisboa que conta e que é importante e merecedor da atenção”, aponta Ventura ao semanário, notando que pretende aferir in loco “das dificuldades e dos obstáculos com que os empresários” da região “se vêem confrontados”, mas também estabelecer “uma forma de parceria” para, eventualmente, poder “fazer verter nas propostas de alteração ao Orçamento do Estado para 2020 algumas destas preocupações”.

Após o encontro no Palácio da Bolsa, André Ventura vai jantar com cerca de 400 apoiantes do Chega no Mercado Ferreira Borges.

O partido vai ter uma sede no Porto, na zona da Boavista, a partir de 1 de Fevereiro. A distrital portuense vai ser liderada pelo presidente da Associação Pediátrica Oncológica do Hospital do Hospital São João (APOHSJ), Jorge Pires, que se tem debatido pela construção da ala pediátrica daquele centro hospitalar.

“Tal como o André, sou uma pessoa de direita, defendo o valor da família como base da sociedade e sou contra o aborto e a eutanásia”, sublinha Jorge Pires ao Expresso, realçando que “o país mais conservador está fora de Lisboa, em especial no norte, e é preciso dar-lhe voz”.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Já há 100 mortos por Covid-19 em Portugal. Infectados sobem para 5170

O número de pessoas infectadas com o coronavírus em Portugal subiu para 5170. São 902 novos casos confirmados nas últimas 24 horas, o que representa um acréscimo de 21%. Já morreram 100 pessoas.  A taxa de mortalidade …

Trump invoca lei de guerra para conseguir mais ventiladores

Donald Trump invocou uma lei de guerra para obrigar a General Motors a fabricar ventiladores. Os Estados Unidos são o país com o maior número de infetados em todo o mundo. Os Estados Unidos tornaram-se nesta …

Jackson Martínez recorda penálti falhado: "Adeptos do Benfica pensam que me vendi"

Os adeptos do Benfica não esquecem o penálti falhado por Jackson Martínez frente ao FC Porto, esta temporada. O golo teria colocado o Portimonense na frente do marcador. Em entrevista ao jornal Record, o avançado do …

"Solidariedade não é dar dinheiro." Holanda finca o pé e até critica Itália por "internar os mais velhos"

Há um novo braço-de-ferro na União Europeia (UE) entre os países do Norte e do Sul. Tudo por causa dos famigerados "coronabonds", instrumentos de dívida comum que países como Portugal, Espanha e Itália defendem para …

Vaga de doentes graves nas urgências poderá deixar SNS "inacessível"

Uma vaga de doentes graves às urgências, a juntar a cirurgias e consultas reagendadas, pode vir a deixar o SNS "inacessível" no futuro, alerta o presidente da Associação de Administradores Hospitalares. As idas à urgência nas …

CDS quer cheque de emergência para empresas encerradas

Uma das medidas, apresentadas por Francisco Rodrigues dos Santos, é a atribuição, às pequenas e médias empresas “encerradas ou com a actividade suspensa, um cheque de emergência no valor máximo de 15 mil euros”. O CDS …

Espanha regista 832 mortos nas últimas 24 horas. É o dia mais mortífero no país

A Espanha registou, nas últimas 24 horas, 832 mortos com o novo coronavírus, o maior número de vítimas mortais num só dia, elevando o balanço total para 5.690, de acordo com a última atualização das …

"O Brasil não pode parar". Bolsonaro compra campanha contra o isolamento social

Jair Bolsonaro gastou cerca de 800 mil euros numa campanha contra o isolamento social com o mote "O Brasil Não Pode Parar". O presidente brasileiro tem desvalorizado a pandemia de covid-19. Face à pandemia de covid-19, …

Crise leva Costa a reforçar intenções de voto. Ventura chega ao quarto lugar

Na mais recente sondagem às intenções de voto, os portugueses mostram estar de confiança reforçada em António Costa. O Chega ganha força e chega ao quarto lugar. Numa sondagem que apenas capta os primeiros dias do …

Descoberta criatura que pode ser o antepassado de quase todos os animais

Cientistas podem ter descoberto um dos primeiros ancestrais da árvore genealógica: uma criatura semelhante a um verme chamado Ikaria wariootia. Segundo a revista Newsweek, a minúscula criatura, parecida com um verme, é o exemplar mais antigo …