Venezuela já recebeu os pernis de porco para o Natal

chavezcandanga / Flickr

O presidente da Venezuela, Nicolas Maduro

A Venezuela anunciou esta sexta-feira que já chegaram os pernis de porco que vão ser distribuídos durante o Natal. No ano passado, o país sul-americano acusou Portugal de sabotar o envio do produto, muito procurado pelos venezuelanos durante a época natalícia.

“Estamos a rever a mercadoria que está a chegar ao país, através do porto de La Guaira”, anunciou o ministro de Alimentação venezuelano, Luís Medina.

A chegada do pernil foi confirmada pelo ministro venezuelano, através da sua conta de Twitter onde o explicou que garantirá uma tradição do povo da Venezuela, mas sem confirmar a quantidade de pernis ou a sua proveniência, que chegaram ao principal porto marítimo do país.

Em finais de 2017 o Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, acusou Portugal de sabotar a importação de pernil de porco por parte do seu governo, que não cumpriu a promessa de distribuir entre o povo este tradicional alimento de Natal.

“O que se passou com o pernil? Fomos sabotados e posso dizer de um país em particular, Portugal. Estava tudo pronto, comprámos todo o pernil que havia na Venezuela, mas tínhamos que importar e sabotaram a compra”, disse na altura Nicolás Maduro, durante uma alocução televisiva.

O Presidente da Venezuela referiu que tinha feito um plano e acertado os pagamentos, mas que “foram perseguidos e sabotados os barcos” que traziam o pernil, lamentando ainda que alguns países tivessem bloqueado as contas bancárias que iriam ser utilizadas para efetuar os pagamentos.

Por outro lado, o vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, o partido do Governo), Diosdado Cabello, tido como o segundo homem do regime, acusou os portugueses de se terem assustado com os norte-americanos.

“Os portugueses comprometeram-se, os ‘gringos’ (norte-americanos) assustaram-nos e não mandaram o pernil e estamos em apertos”, disse à televisão estatal, atribuindo a sabotagem a uma estratégia da “direita” para que “o povo brigue com o próprio povo”.

O ministro dos Negócios Estrangeiros português, Augusto Santos Silva, rejeitou a acusação de sabotagem à venda de carne de porco à Venezuela, frisando que Portugal é uma economia de mercado em que o Governo não interfere nas relações entre empresas.

“O Governo português não exporta pernil de porco, nem para a Venezuela, nem para nenhum país do mundo”, disse então Augusto Santos Silva à imprensa à margem do 6.º Fórum de Graduados Portugueses no Estrangeiro, em Lisboa.

Ainda em finais de 2017, a empresa agroalimentar Raporal- Rações de Portugal revelou que a Venezuela devia, na altura, cerca de 40 milhões de euros às empresas portuguesas fornecedoras de pernil de porco àquele país.

A falta de pernil motivou vários protestos da população, que reclamou pela falta de alguns bens alimentares, mas também pelos altos preços de alguns produtos. Estima-se que pelo menos 6 milhões de venezuelanos recebem pernil a preços subsidiados através das bolsas de alimentos subsidiados pelo Estado.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Será que vão pagar os pernis de porco aos fornecedores.?
    Para que a importação, se este presidente não sei como foi eleito, tem cara de um grande Porc, inimigo do seu Povo a morrer a fome.

RESPONDER

Mais de 700 civis mortos em Myanmar desde o golpe militar

As forças militares de Myanmar mataram mais de 700 civis desde o golpe de 01 de fevereiro, fazendo pelo menos 82 vítimas na sexta-feira na cidade de Bago, durante uma ofensiva contra os manifestantes. Segundo a …

Operação Marquês. Rio critica "descrédito" da justiça e acusa Marcelo e Costa de "hipocrisia"

Na primeira a reação à decisão instrutória da Operação Marquês, Rui Rio foi duro nos recados que deixou. O líder do PSD disparou em todas as direções e nem António Costa e Marcelo Rebelo de …

Festivais de verão à espera das regras da DGS. Testes e dispensa da máscara podem ser realidade

Numa altura em que Portugal ainda se encontra na segunda fase de desconfinamento, ainda existem algumas incertezas quanto à organização de grandes eventos. Contudo, os promotores de espetáculos já estão a avançar trabalho coma DGS …

Príncipe da Jordânia aparece em público apesar da prisão domiciliária

O príncipe Hamzah, da Jordânia, apareceu no domingo em público pela primeira vez desde que foi colocado em prisão domiciliária, acusado de "conspiração" contra o rei Abdullah II, seu meio-irmão. Segundo noticiou a agência Lusa, o …

CDS-PP quer eliminar aumento de impostos no alojamento local para compensar “enormes quebras”

O CDS-PP quer eliminar o aumento de impostos no alojamento local, para compensar as “enormes quebras na atividade”. Considerando que o turismo foi um dos setores mais afetados pela pandemia, sugerem que sejam eliminados os …

Profissionais da Cultura denunciam falta de resposta a pedido de apoio

Mais de 30 profissionais das artes denunciaram esta segunda-feira que continuam sem resposta ao pedido de apoio social extraordinário, anunciado em janeiro pela ministra da Cultura, e lamentam "a bola de neve burocrática" associada. "É uma …

Banco de Portugal contra revelação de documentos de negócios que usam dinheiros do Estado

Depois das propostas do PSD e do PAN, o Banco de Portugal indica que a revelação dos documentos pode colocar em causa a confidencialidade dos processos. As propostas do PSD e do PAN para que a …

Europol. Crime organizado na UE está mais violento e recorre mais à corrupção

O crime organizado na União Europeia (UE) está a ficar mais violento e a corrupção é uma característica da quase totalidade das operações das redes de criminosos, concluiu um estudo da Europol. Um relatório da agência …

Advogado da família de Homeniuk pede condenação de inspetores do SEF por homicídio qualificado

O advogado da família do cidadão ucraniano Ihor Homeniuk, que morreu nas instalações do SEF no aeroporto de Lisboa, insistiu, esta segunda-feira, na condenação dos três inspetores pelo crime de homicídio qualificado que consta da …

"Mestre do churrasco", "lenda da brincadeira" e homem de "honra". William e Harry recordam avô

Os príncipes William e Harry prestaram hoje homenagem, em comunicados separados, ao príncipe Filipe, que morreu na sexta-feira aos 99 anos no Castelo de Windsor, lembrando o avô como um homem “extraordinário” marcado pelo “dever” …