Dieta vegetariana pode prevenir uma em cada três mortes prematuras

Segundo um novo estudo da Universidade de Harvard, nos EUA, um terço de todas as mortes prematuras poderia ser evitada por uma dieta vegetariana. Estas descobertas indicam que temos subestimado enormemente os benefícios de uma dieta baseada em vegetais.

Os resultados da pesquisa foram apresentados na Quarta Conferência Internacional do Vaticano na Cidade do Vaticano, pelo investigador Dr. Walter Willett, professor de epidemiologia e nutrição da Faculdade de Medicina de Harvard.

Willett disse na conferência que “acabamos de fazer alguns cálculos olhando para a questão de quanto poderíamos reduzir a mortalidade ao mudar para uma dieta saudável, mais baseada em vegetais, não necessariamente totalmente vegana, e as nossas estimativas são de que cerca de um terço das mortes precoces poderia ser evitada”.

Por exemplo, enquanto dados recentes britânicos sugeriam que 141.000 mortes por ano na Grã-Bretanha eram evitáveis, a nova pesquisa de Harvard produziu um número maior: cerca de 200.000 vidas poderiam ser salvas a cada ano no Reino Unido se as pessoas removessem carne de suas dietas, segundo o The Telegraph.

“Não estamos a falar de fazer atividade física ou de não fumar. Estamos a falar de qualquer morte, não apenas por cancro. E esse número é provavelmente subestimado, já que não tem em conta a obesidade, um fator importante”, acrescentou Willett.

Segundo o cientista, a dieta saudável está relacionada a um risco menor de quase tudo, o que talvez não seja surpreendente, “porque tudo no corpo está ligado pelos mesmos processos subjacentes”, disse.

O professor britânico David Jenkins, da Universidade de Toronto, no Canadá, também falou na conferência sobre a subestimação dos benefícios do vegetarianismo. Jenkins desenvolveu o índice glicémico que ajuda a explicar como os hidratos de carbono causam impacto no açúcar no sangue.

Jenkins acredita que seríamos mais saudáveis se seguíssemos uma dieta “simiana”, semelhante à dos gorilas que comem caules, folhas, vinhas e frutas, em vez de uma dieta paleo ou do homem das cavernas, que corta hidratos de carbono, mas permite carne.

Um estudo recente da Universidade de Toronto, por exemplo, descobriu que uma dieta vegetariana pode reverter certos problemas de saúde com as mesmas margens de sucesso de medicamentos comummente usados, chamados estatinas.

A equipe de Jenkins fez uma parceria com o The Bronx Zoo em Nova Iorque e viajou para a África central para registar os hábitos alimentares dos gorilas.

Quando recriaram a dieta para seres humanos – que chegou a 63 porções de frutas e vegetais por dia -, descobriram que houve uma queda de 35% no colesterol em apenas duas semanas, o equivalente a tomar estatinas.

No geral, não havia diferença entre seguir essa dieta ou tomar o medicamento. Milhões de pessoas são elegíveis para tomar estatinas a fim de evitar doenças cardíacas, o que equivale à maioria dos homens com mais de 60 anos e a maioria das mulheres com mais de 65 anos.

A dieta, além de igualmente eficaz, não tem os efeitos colaterais do medicamento.

O Dr. Neal Barnard, presidente do Comité para a Medicina Responsável, acrescentou que as pessoas têm de despertar para os benefícios do vegetarianismo e do veganismo para a saúde.

“Acho que as pessoas imaginam que uma dieta saudável tem apenas um efeito modesto e uma dieta vegetariana pode ajudá-las a perder um pouco de peso. Mas quando essas dietas são construídas corretamente, penso que são extremamente poderosas”.

Barnard afirma que uma dieta vegana com baixo teor de gordura é a mais eficiente para melhorar a diabetes, por exemplo. No que diz respeito a doenças inflamatórias como a artrite reumatoide, estudos também veem um tremendo potencial.

Uma dieta basicamente vegetariana é benéfica em parte por causa do que evitamos – como a carne – e por causa do colesterol, mas também por todos os nutrientes mágicos presentes nos vegetais e frutas que simplesmente não são encontrados noutras fontes.

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. Muito interessante os resultados. Mas acredito que a chave para longevidade está no equilíbrio. Alimentação saudável, atividade física, reduzir ou zerar o consumo de álcool, dentre outras ações. Acredito que com planejamento e moderação tudo pode ser consumido.

    • O nosso parecer é porém uma opinião, ou até mesmo uma opção,… de qualquer dos modos estou de acordo consigo,…sem hesitação apoio o seu modo de pensar.

    • O ideia de equilíbrio ou de moderação, como se costuma dizer, só faz sentido aplicar a coisas benéficas. Como o Adriano bem referiu “reduzir ou zerar o consumo de alcool”. Pela lógica da moreração porquê zerar o consumo de alcool? Precisamente porque é um produto maléfico. Deveremos também moderar o consumo de tabaco? Não, devemos zerar precisamente porque é um produto maléfico. Que me diga que é difícil de um momento para o outro zerar todos os malefícios eu concordo, mas quanto à moderação, quanto mais moderar melhor lhe faz até que modera a 100%, e aí não lhe causa malefício nenhum. A moderação significa que em vez de fumar 2 cigarros por dia e aumentar o risco de mortalidade em 30% só fuma 1 vez por dia e aumenta o risco apenas em 15%. Não deixa de aumentar o risco, só aumenta menos…

  2. O estereótipo da salada como referência para a alimentação vegetariana está tão presente na nossa cultura que para ilustrar este artigo foi escolhida a imagem de mais uma salada… não vegetariana!

RESPONDER

Fotografia com pombos? Na Tailândia, há "profissionais" contratados para assustá-los

A área de uma das portas da cidade, Tha Pae, parte do que resta da muralha vermelha que protegia a cidade antiga em Chiang Mai, na Tailândia, é uma das maiores atrações turísticas locais. Os turistas …

Sky News lança canal sem qualquer notícia sobre o Brexit

O canal Sky News Brexit-Free foi esta quarta-feira para o ar às 17h horas, sendo que os seus programas serão transmitidos até às 22h, de segunda a sexta-feira. O grupo de televisão britânico Sky vai lançou …

Vacina contra o cancro da mama pode estar disponível dentro de 8 anos

Investigadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o cancro ovário e da mama que poderá estar disponível comercialmente dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes …

Busca pelo avião de Amelia Earhart só encontrou chapéus, detritos de um naufrágio e uma lata de refrigerante

A mais recente busca pelos restos do avião de Amelia Earhart, a famosa aviadora americana que desapareceu sobre o Pacífico em 1937, terminou sem resultados. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a investigação …

Protestos em Hong Kong. LeBron acusado de apoiar regime chinês

A super estrela do basquetebol LeBron James juntou-se à polémica entre a NBA e a China, após apelidar de “mal-informado” o treinador dos Houston Rockets, Daryl Morey, que expressou apoio aos manifestantes em Hong Kong …

Acordo para o Brexit está "prestes a ficar fechado"

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, disseram esta quarta-feira que um acordo para o Brexit está em finalização e poderá ser apresentado quinta-feira para aprovação no Conselho Europeu. "Quero acreditar que …

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …