“Estado de emergência”. Temer autoriza uso do exército contra bloqueios de camionistas

Fernando Bizerra Jr. / EPA

São Paulo decretou estado de emergência devido aos protestos causados pela greve dos camionistas. Temer já autorizou o uso do exército.

São Paulo, a cidade mais rica e populosa do Brasil, decretou esta sexta-feira o estado de emergência devido ao “excesso de protestos” causados pela greve dos camionistas, que entra hoje no seu quinto dia contra os elevados preços dos combustíveis.

A câmara municipal advertiu, num comunicado, que caso a greve se prolongue, poderá ser declarado um dia de feriado nacional devido à falta de abastecimento, em sequência das manifestações, e precisou que o “estado de emergência pode evoluir para um estado de calamidade pública”.

A autarquia também afirmou que continua a trabalhar, com o “apoio da polícia militarizada”, para que os grevistas suspendam ações que impeçam o “abastecimento de combustível aos serviços essenciais”.

O autarca de São Paulo, Bruno Covas, determinou também a criação de uma comissão para avaliar e tomar “as medidas necessárias”.

Neste quinto dia de paralisação, que afeta os 27 Estados brasileiros, a frota de autocarros na cidade de São Paulo circula a 60% da capacidade e dezenas de postos estão sem combustível. Além dos camionistas, os condutores de transportes escolares aderiram à greve e realizaram manifestações em vários pontos de São Paulo.

Pelo menos outras cidades do interior do Estado de São Paulo também decretaram o estado de emergência. A declaração de estado de emergência permite ao município fazer compras sem licitação ou apreender bens privados, como o combustível armazenado nos postos de abastecimento.

Temer autoriza uso do exército

A Presidência da República já autorizou o exército brasileiro a desfazer os bloqueios de estradas promovidos pelos milhares de camionistas em greve, em mais de 500 estradas dos 27 estados brasileiros. Além disso, estão também autorizados a prender quem resistir e tomar o volante dos veículos caso seja necessário.

O anúncio foi feito por Michel Temer, horas depois de ambas as partes terem chegado a acordo. Contudo, segundo o Governo, os manifestantes romperam esse acordo, refere o Diário de Notícias.

O acordo, estabelecido de urgência já na madrugada de sexta-feira, previa o congelamento do preço do diesel, principal reivindicação dos camionistas, em troca de uma trégua nas greves de 15 dias. Os 350 milhões de reais, cerca de 80 milhões de euros, que a medida vai custar à Petrobras serão compensados pelo tesouro nacional.

“Não vamos permitir que a população fique sem géneros de primeira necessidade, não vamos permitir que os hospitais fiquem sem bens para salvar vidas, não vamos permitir que crianças sejam prejudicadas pelo fecho de escolas, não vamos permitir que produtores tenham o seu trabalho afetado”, disse Temer, minutos depois de assinar o decreto que colocou em campo exército, marinha e força aérea.

O Palácio do Planalto pediu entretanto ao Supremo Tribunal Federal para considerar a paralisação ilegal. Noutras instâncias, o Governo brasileiro conseguiu obter 20 decisões judiciais para remover as viaturas das estradas. A Polícia Federal está a investigar eventuais crimes cometidos durante os bloqueios.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Jornalistas insultados e ameaçados em jantar-comício de Ventura (sem distanciamento)

Jornalistas foram vaiados, insultados e até ameaçados num jantar-comício do Chega, este domingo. O evento não cumpriu o distanciamento social, reunindo 170 pessoas num sala com 450 metros quadrados. No domingo, no Campo de São Mamede, …

Athletic Bilbao vence Barcelona e conquista Supertaça. Messi expulso após agressão

O Athletic Bilbao ergueu a sua terceira Supertaça de futebol de Espanha, ao vencer 3-2 no prolongamento o FC Barcelona, após 2-2 no final do tempo regulamentar, na final disputada no Estádio Olímpico de Sevilha. Depois …

Regionalização, um "poema de um calceteiro" e (mais) críticas a Marcelo. O último debate presidencial

Os candidatos presidenciais juntaram-se em mais um debate conjunto antes das eleições. Falou-se da ausência de Ventura, regionalização, justiça e até jardinagem. O primeiro tema a marcar o debate das rádios foram as medidas de confinamento …

Em plena pandemia, houve cinco setores que conseguiram faturar mais do que em 2019

Apesar de a pandemia ter levado muitos setores da economia para os piores resultados de sempre, nem todos perderam faturação durante os meses de março a novembro da crise sanitária, algum conseguiram mesmo aumentar. Neste sentido, …

Pesadelo de Özil no Arsenal chega ao fim com transferência para o Fenerbahçe

O futebolista alemão Mesut Özil, dos ingleses do Arsenal, confirmou que vai assinar pelos turcos do Fenerbahçe, depois de vários meses sem jogar pelos 'gunners'. "Estou muito feliz e muito animado, por Deus me ter dado …

Palácio mais antigo da China é descoberto perto de antiga capital. Tem mais de 5000 anos

Um Palácio descoberto no sítio arqueológico de Shuanghuaishu, nos arredores da cidade de Zhengzhou, uma das oito capitais antigas da China, foi construído por volta de 3300 a.C., ou seja, tem atualmente cerca de 5.300 …

"Há exceções a mais". Marques Mendes defende que Governo deve reavaliar medidas de confinamento

No seu habitual espaço de comentário na SIC, no domingo à noite, Luís Marques Mendes falou sobre as novas medidas de confinanento e das eleições presidenciais. Depois de uma semana a bater recordes em números de …

O cenário "é de guerra" e o medo é de a perder. Temido admite que "estamos muito próximos do limite"

Após uma visita ao Hospital Garcia de Orta, que alertava no sábado para um "cenário de pré-catástrofe", Marta Temido admitiu que o Serviço Nacional de Saúde, os operadores sociais e privados estão em "extremo sobreesforço". Marta …

Discutir sobre temas controversos requer mais atividade cerebral do que concordar

Uma nova investigação da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, confirmou aquilo que o senso comum já vaticinava: discutir sobre temas controversos requer muito mais atividade cerebral do que simplesmente concordar. De acordo com a nova …

Estado de emergência vai manter-se até março. Marcelo admite confinar mais o país

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, esteve este domingo no Hospital Santa Maria, em Lisboa, onde admitiu confinar mais o país devido à pressão nos hospitais. Em declarações aos jornalistas, Marcelo Rebelo de Sousa, …