Um dos detidos em Moscovo confessou estar implicado no assassinato de Nemtsov

Ilya Schurov / Wikimedia

Boris Nemtsov, principal opositor do presidente russo Vladiimr Putin

Boris Nemtsov, principal opositor do presidente russo Vladiimr Putin

Um dos chechenos detidos pelo assassinato do opositor russo Boris Nemtsov confessou estar implicado no assassinato, enquanto outros quatro, em prisão preventiva, dizem estar inocentes.

Zaur Dadaev admitiu estar implicado no crime. A culpabilidade de Dadaev está confirmada pela própria confissão e por todas as provas recolhidas”, disse este domingo a juíza Natalia Mushnikova, no tribunal Basmanni, na capital da Rússia.

A magistrada determinou prisão preventiva, até ao dia 28 de abril, a Zaur Dadaev, antigo membro do batalhão Sever, do Ministério do Interior da Chechénia, no Cáucaso.

Detido esta semana pelo Serviço Federal de Segurança, FSB, na República da Inguchétia, o ex-militar afirmou que nesta altura está desempregado e pediu ao tribunal para não ser preso preventivamente.

“Nunca tinha sido acusado. Espero que o meu caso seja tratado com justiça”, disse Dadaev, que se encontrava algemado e atrás das grades instaladas no tribunal.

A mãe de Dadaev, que nasceu em 1982 na cidade de Stavropol, foi chamada a prestar depoimento, e recordou que o filho integrou as forças de segurança da Chechenia durante dez anos, tendo combatido extremistas islâmicos.

As ligações chechenas estavam a ser investigadas pelas autoridades de Moscovo, confirmando-se agora a detenção de cinco indivíduos, no total, alegadamente implicados ao assassinato do líder da oposição, no dia 27 de fevereiro, perto do Kremlin, em Moscovo.

De acordo com os investigadores, Boris Nemtsov foi assassinado por um grupo de criminosos a soldo e que actuaram por dinheiro.

Outros suspeitos detidos

As autoridades também apresentaram alegadas provas contra Anzor Gubashev, que negou, perante o tribunal, qualquer implicação no caso.

“Existem provas suficientes para acusar Gubashev de implicação neste crime”, disse a juíza em declarações transmitidas pela estação de televisão da Rússia.

Foram igualmente detidos, por receio de fuga, destruição de provas ou possibilidade de pressões contra testemunhas, três outros chechenos: o irmão mais velho de Anzor,  Shaguid Gubashev, e ainda Ramzat Bajaev e Tamerlan Eskerjanov.

Estes três detidos foram considerados suspeitos mas afirmam estar inocentes, apesar de os investigadores afirmarem que dispõem de “provas que os implicam” no crime.

Bajaev disse que se encontrava em casa quando foi detido e que se fosse culpado estaria em fuga e Eskerjanov assegura que tem como alibi o facto de se encontrar a trabalhar no momento em que se registou o crime.

“No momento do assassinato eu estava no meu posto de trabalho, como todos os dias. Há muita gente, muitos colegas que o podem confirmar” assinalou.

As forças de segurança tentaram deter outro suspeito, em Grozni, capital chechena, mas de acordo com a Agência France Press, o homem suicidou-se com uma granada de mão.

Quer o advogado da família de Nemtsov, quer outros membros da oposição, deputados e membros de organizações de Direitos Humanos, pedem às autoridades, não apenas os culpados materiais mas também aqueles que ordenaram o assassinato.

A oposição critica a polícia por ter demorado mais de dez minutos a chegar ao local do crime já que a ponte onde se registou o assassinato fica ao lado da Praça Vermelha, sempre repleta de agentes.

“Tenho a certeza de que foi um assassinato a soldo. Mataram-no porque estava contra o Kremlin, evidentemente” , disse à imprensa de Berlim a irmã do opositor que responsabilizou o Kremlin pela morte do pai, acrescentando que a justiça jamais vai castigar os verdadeiros culpados.

Os apoiantes de Nemtsov acusam o Kremlin, não de “ter carregado o gatilho” ou encomendar o crime mas sim de ter criado as condições para “plantar a semente do ódio” contra os que criticam o poder de Moscovo por causa das críticas que o líder da oposição vinha demonstrando sobre a anexação da Península da Crimeia e da ingerência militar da Rússia na Ucrânia desde 2014.

Nemtsov, segundo informações prestadas pela secretária pessoal, Olga Shorina, estava em contacto com soldados russos da região de Ivanovo, cujos camaradas de regimento morreram em combates no leste da Ucrânia, factos que o Kremlin nega.

Na semana passada, o presidete russo Vladimir Putin exigiu que o Ministério do Interior tome precauções sobre crimes políticos como o “assassinato de Boris Nemtsov, em pleno centro da capital”.

/Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Um dos maiores telescópios do mundo ficou gravemente danificado devido a um cabo partido

O radiotelescópio de Arecibo, um ícone da busca para entender o Universo, sofreu graves danos como resultado do rompimento de um cabo. A causa da quebra e quanto tempo o telescópio demorará a ser consertado …

Pumpkin Island já custou 78 dólares. Agora pode comprá-la por 17 milhões

Se ainda não decidiu onde passar férias fica aqui uma dica: uma ilha privada na costa da Austrália está à venda por 17 milhões de dólares (cerca de 14,5 milhões de euros). A Pumpkin Island …

Desaparecem oito mulheres por dia no Peru, mais três do que antes da pandemia

O número de mulheres desaparecidas no Peru, um fenómeno endémico no país, subiu de cinco por dia, em média, para oito, desde a quarentena decretada para travar a pandemia de covid-19, indicou o provedor de …

EUA já gastaram quase tanto com a covid-19 como com a II Guerra Mundial

Até ao momento, os Estados Unidos da América gastaram quase tanto com a pandemia de covid-19 como gastaram com a II Guerra Mundial. A Segunda Guerra Mundial travou-se entre 1939 e 1945 e deixou milhões de …

Sporting recusou proposta de 32 milhões por Joelson Fernandes

O Sporting CP rejeitou uma proposta de 32 milhões de euros do Arsenal por Joelson Fernandes. Os 'leões' pedem 45 milhões pelo jovem extremo de 17 anos. Continua o leilão pela promessa sportinguista Joelson Fernandes. Depois …

CIA tentou desenvolver um "drone-pássaro" nuclear para espiar a União Soviética na Guerra Fria

Durante a Guerra Fria, a CIA tentou desenvolver um drone nuclear do tamanho de um pássaro para espiar a União Soviética e outros países do bloco comunista. Porém, o projeto nunca foi concluído. De acordo com …

Para combater o desperdício, China acaba com os banquetes tradicionais

Conhecidos pela gastronomia e pelo bom apetite, os chineses terão de adotar a austeridade, invertendo a tradição, que exige que sejam servidos à mesa tantos pratos quantos forem os convidados e mais um. A nova regra …

Com apenas 4 dólares é possível dormir na última Blockbuster. E ainda participa na festa pijama

Já sente saudades de sair de casa para ir alugar um filme e comprar umas pipocas? A última loja da icónica Blockbuster está agora disponível no Airbnb. A antiga loja da cadeia americana pode ser …

Espanha com quase mais 3.000 novos casos. É o maior aumento desde maio

Espanha registou o maior número de infeções de covid-19 desde o final de maio, com 2.935 novos casos nas últimas 24 horas, anunciou o Ministério da Saúde, ressalvando que o balanço inclui dados de Madrid …

Escolas devem reabrir normalmente. Governo preparado para decisões diferentes

As escolas devem reabrir em situação de normalidade e só uma evolução negativa da pandemia levará a decisões contrárias, de maior ou menor alcance, que o Governo disse esta quinta-feira estar preparado para tomar. Na conferência …