Um ciberataque poderia accionar o botão nuclear

Há uma série de vulnerabilidades através das quais um agente mal-intencionado poderia infiltrar-se no sistema de armas nucleares de um país sem o seu conhecimento, assegura o mais recente relatório publicado pela Chatam House, o Instituto Real de Assuntos Internacionais do Reino Unido.

Segundo um estudo publicado esta quinta-feira pela Chatam House, na altura da criação da maior parte das actuais armas nucleares de destruição em massa, as capacidades informáticas encontravam-se ainda no início do seu desenvolvimento e não causavam preocupações. Os sistemas informáticos dos sistemas de mísseis usavam… disquetes.

Entretanto, o mundo digital avançou, mas muitos dos sistemas de controlo de mísseis usam ainda uma estratégia antiquada para os sistemas tecnológicos de controle, gestão e comunicações do arsenal nuclear, assinala o estudo.

Assim, grupos de hackers podem com alguma facilidade ter acesso a sistemas críticos, como os sistemas de segurança que impedem erros humanos e falhas, e manipular os dados, causando incerteza nos operadores no momento de tomar uma decisão-chave, ou provocar um aumento de tensão e induzir o uso de armas nucleares.

Segundo o estudo, entre os mais vulneráveis, encontram-se os silos dos Minuteman, os mísseis balísticos intercontinentais dos Estados Unidos, que cujos sistemas podem ser acedidos por hackers para manipular a informação, efectuar interferências cibernéticas em canais de comunicação ou falsificar dados.

O estudo realça que em uma só das suas bases, no Dakota do Norte, os EUA têm nada menos que 150 unidades de mísseis Minuteman III.

A possibilidade de ciberataques contra armas nucleares está a ser estudada há algum tempo. O ex-ministro dos negócios Estrangeiros britânico Malcolm Rifkind, em entrevista à BBC, revelou que muitos especialistas acreditam que os EUA terão já recorrido a pirataria informática para fazer fracassar os lançamentos de mísseis da Coreia do Norte.

Prevenir este tipo de situação é responsabilidade directa dos países que possuem armas nucleares, clarificam os autores do relatório. “As medidas de redução de riscos devem estar incluídas nos sistemas de comando, controle e comunicação“, conclui o estudo.

Mas os ciberataques não são o único perigo. O comportamento dos militares ou civis directamente envolvidos com os sistemas de segurança dos mísseis também apresentam elevados riscos.

Um relatório do Departamento de Energia dos EUA revelou que em 2009, funcionários norte-americanos foram presos por um incidente num bar, enquanto decorria uma operação de transferência de materiais nucleares. Em 2007, na mesma situação, outro funcionário tinha sido detido por embriaguez pública.

Segundo o Departamento de Energia norte-americano, no período entre 2007 e 2009 foram registados um total de 16 incidentes relacionados com excesso de álcool em funcionários dos sistemas de controlo do arsenal nuclear dos EUA.

PARTILHAR

RESPONDER

Antigo primeiro-ministro da Escócia enfrenta 14 acusações de abuso sexual

Alex Salmond, o antigo primeiro-ministro da Escócia que desencadeou uma tentativa de independência do Reino Unido, compareceu em tribunal para enfrentar 14 crimes de abuso sexual alegadamente cometidos enquanto liderava o país. Entre os crimes está …

César, Louçã, Domingos Abrantes, Rio e Balsemão eleitos para Conselho de Estado

O Conselho de Estado é um órgão de consulta do Presidente da República composto por 19 membros, cinco dos quais eleitos pela Assembleia da República. Carlos César (PS), Francisco Louçã (BE), Domingos Abrantes (PCP), Rui Rio …

China já está a trabalhar no desenvolvimento de redes 6G

As autoridades chinesas divulgaram esta sexta-feira que já iniciaram pesquisas para o desenvolvimento de redes sem fio de sexta geração, apenas algumas semanas depois de as três principais operadoras de telecomunicações do país terem lançado …

Miguel Morgado desiste de se candidatar à liderança do PSD

O ex-adjunto de Pedro Passos Coelho anunciou, esta sexta-feira, que desistiu de avançar com a sua candidatura para liderar o PSD. Miguel Morgado anunciou, esta sexta-feira, através do Facebook, que "não foi infelizmente possível no presente …

Merkel fará a sua primeira visita ao antigo campo de concentração de Auschwitz

A chanceler alemã, Angela Merkel, pretende visitar o antigo campo de concentração nazi de Auschwitz na Polónia, pela primeira vez nos seus 14 anos no cargo, anunciou na quinta-feira um jornal de Munique. Segundo Sueddeutsche Zeitung, …

Bebé encontrado no lixo já está com uma família de acolhimento

O bebé encontrado num ecoponto, no início do mês, e que esteve até quinta-feira hospitalizado, já está com uma família de acolhimento, informou a Santa da Misericórdia de Lisboa esta sexta-feira. A instituição refere numa nota …

Fisco vai controlar declarações de IRS de beneficiários do programa "Regressar"

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai desenvolver mecanismos para verificar se os contribuintes abrangidos pelo regime fiscal do programa "Regressar" reúnem as condições exigidas, prevendo-se que parte desse controlo ocorra com a entrega da declaração …

Greta Thunberg vai de Lisboa a Madrid num carro elétrico emprestado por Espanha

A Junta da Extremadura, região espanhola, disponibilizou um carro elétrico à jovem ativista sueca Greta Thunberg para que possa viajar de Lisboa para Madrid para assistir à Cimeira do Clima respeitando o meio ambiente, adiantou …

Enfermeiros garantem voltar à luta com os 200 mil que sobraram do crowdfunding

Os enfermeiros, que no ano passado iniciaram o "Movimento Greve Cirúrgica", pretendem voltar às ações de protestos com os cerca de 200 mil euros que restaram da campanha de crowdfunding. A intenção é revelada por …

OCDE: Nova crise pode tirar metade do rendimento às famílias portuguesas

Uma nova crise económica e financeira a nível global pode ter efeitos dramáticos para as famílias portuguesas, levando à perda de metade dos seus rendimentos. Esta é a previsão da Organização para a Cooperação e …