Um ciberataque poderia accionar o botão nuclear

Há uma série de vulnerabilidades através das quais um agente mal-intencionado poderia infiltrar-se no sistema de armas nucleares de um país sem o seu conhecimento, assegura o mais recente relatório publicado pela Chatam House, o Instituto Real de Assuntos Internacionais do Reino Unido.

Segundo um estudo publicado esta quinta-feira pela Chatam House, na altura da criação da maior parte das actuais armas nucleares de destruição em massa, as capacidades informáticas encontravam-se ainda no início do seu desenvolvimento e não causavam preocupações. Os sistemas informáticos dos sistemas de mísseis usavam… disquetes.

Entretanto, o mundo digital avançou, mas muitos dos sistemas de controlo de mísseis usam ainda uma estratégia antiquada para os sistemas tecnológicos de controle, gestão e comunicações do arsenal nuclear, assinala o estudo.

Assim, grupos de hackers podem com alguma facilidade ter acesso a sistemas críticos, como os sistemas de segurança que impedem erros humanos e falhas, e manipular os dados, causando incerteza nos operadores no momento de tomar uma decisão-chave, ou provocar um aumento de tensão e induzir o uso de armas nucleares.

Segundo o estudo, entre os mais vulneráveis, encontram-se os silos dos Minuteman, os mísseis balísticos intercontinentais dos Estados Unidos, que cujos sistemas podem ser acedidos por hackers para manipular a informação, efectuar interferências cibernéticas em canais de comunicação ou falsificar dados.

O estudo realça que em uma só das suas bases, no Dakota do Norte, os EUA têm nada menos que 150 unidades de mísseis Minuteman III.

A possibilidade de ciberataques contra armas nucleares está a ser estudada há algum tempo. O ex-ministro dos negócios Estrangeiros britânico Malcolm Rifkind, em entrevista à BBC, revelou que muitos especialistas acreditam que os EUA terão já recorrido a pirataria informática para fazer fracassar os lançamentos de mísseis da Coreia do Norte.

Prevenir este tipo de situação é responsabilidade directa dos países que possuem armas nucleares, clarificam os autores do relatório. “As medidas de redução de riscos devem estar incluídas nos sistemas de comando, controle e comunicação“, conclui o estudo.

Mas os ciberataques não são o único perigo. O comportamento dos militares ou civis directamente envolvidos com os sistemas de segurança dos mísseis também apresentam elevados riscos.

Um relatório do Departamento de Energia dos EUA revelou que em 2009, funcionários norte-americanos foram presos por um incidente num bar, enquanto decorria uma operação de transferência de materiais nucleares. Em 2007, na mesma situação, outro funcionário tinha sido detido por embriaguez pública.

Segundo o Departamento de Energia norte-americano, no período entre 2007 e 2009 foram registados um total de 16 incidentes relacionados com excesso de álcool em funcionários dos sistemas de controlo do arsenal nuclear dos EUA.

PARTILHAR

RESPONDER

Amazon inaugura loja que funciona sem funcionários ou caixas de pagamento

Esta segunda-feira, a Amazon inaugurou a sua loja física sem caixas de pagamento. Entrar, pegar no que se quer e sair sem pagar - é esta a dinâmica da Amazon Go. Esta segunda-feira, a Amazon inaugurou, …

"Quero representar a humanidade na máquina". A próxima meta de Ishiguro é a consciência artificial

https://vimeo.com/252082730 Hiroshi Ishiguro aliou a paixão pela arte ao fascínio pela robótica com o objetivo de "representar a humanidade na máquina". Deu à inteligência artificial um corpo. Agora, quer dar ao corpo uma consciência. Hiroshi Ishiguro …

Cidade do Cabo pode ficar sem água dentro de 90 dias

Numa bacia geológica por baixo da Montanha da Mesa e historicamente alimentada por forte precipitação no inverno, a capital sul africana tem sido conhecida como um paraíso de abundante água natural. Mas isso pode estar …

Adeus homens. Extinção já tem data marcada

O cromossoma Y, responsável pelo desenvolvimento das propriedades sexuais masculinas, vai desaparecer. Mas, podem os homens todos estar descansados, tal apenas acontecerá dentro dentro de 4,5 milhões de anos. Segundo um novo estudo de investigadores da …

Indiano está a abrir uma estrada de 8 km para os filhos irem à escola

Durante dois anos, Jalandhar Nayak usou uma enxada e uma picareta para construir sozinho uma estrada de 8 quilómetros num vilarejo remoto do Estado de Orissa, na Índia, para que os filhos conseguissem ir mais …

Supernanny perde patrocinador principal

Supernanny perdeu o patrocínio da Corine de Farme. A marca comercializada pelos Laboratórios Sarbec Portugal era a principal patrocinadora do controverso programa da SIC. A retirada do patrocínio, que já estaria a ser equacionada desde a semana passada, surge …

Supremo recusa pedido para emitir mandado europeu de detenção contra Puigdemont

O Supremo Tribunal de Justiça espanhol recusou o pedido do Ministério Público para voltar a emitir um mandado europeu de detenção contra o ex-presidente da Catalunha, que se deslocou à Dinamarca. A procuradoria-geral espanhola pediu esta …

Rui Rio mantém Hugo Soares na liderança da bancada do PSD até ao congresso

Rui Rio esteve reunido com Hugo Soares, esta segunda-feira, no Porto. O novo líder do PSD decidiu que vai manter o atual líder da bancada parlamentar até que se realize o Congresso Nacional do partido. Em …

Algoritmo vanguardista de investigadores portugueses supera o Google Brain

Um novo algoritmo de inteligência artificial que desenvolve "uma abordagem vanguardista para automatizar processos de aprendizagem no campo da visão computacional" foi criado por investigadores da Universidade de Coimbra. Quatro investigadores do Centro de Informática e …

Incêndios no Pinhal de Leiria tiveram mão criminosa

A Polícia Judiciária de Leiria determinou que os dois incêndios que consumiram o Pinhal de Leiria tiveram mão criminosa. O engenho explosivo foi encontrado no pinhal, mas ainda não foram identificados os autores. A Polícia Judiciária …