UE e Reino Unido chegam a acordo sobre período de transição do Brexit

valstskanceleja / Flickr

Michel Barnier, principal negociador da União Europeia para o Brexit

O principal negociador da União Europeia para o Brexit anunciou, esta segunda-feira, que o bloco comunitário e o Governo britânico chegaram a um entendimento sobre “grande parte” do acordo para a saída do Reino Unido.

Em conferência de imprensa, Michel Barnier revelou que “as negociações intensivas” que decorreram em Bruxelas nas últimas horas, incluindo durante a madrugada, permitiram um entendimento distendido entre as partes, nomeadamente quanto ao período de transição.

“Trabalhamos num acordo internacional, com a precisão, o rigor e a certeza jurídica exigida a todos os acordos internacionais. O que apresentamos é um texto jurídico conjunto, que constitui, a meu ver, uma etapa decisiva. Esta manhã, entendemo-nos sobre uma larga parte do que será o acordo internacional para a saída ordenada do Reino Unido”, anunciou o negociador chefe da UE para o Brexit.

Ladeado por David Davis, responsável do Governo britânico para o Brexit, Barnier ressalvou, contudo, que “uma etapa decisiva é apenas uma etapa decisiva”.

“Ainda nos resta muito caminho, e ainda temos muito trabalho a fazer em assuntos importantes, nomeadamente em relação à Irlanda e Irlanda do Norte”, notou.

Barnier esclareceu que, na próxima terça-feira, irá encontrar-se com os Ministros dos Negócios Estrangeiros dos 27 e que, na sexta-feira, os chefes de Estado dos 27 irão avaliar e julgar o ponto de situação das negociações, de modo a adotar as ‘guidelines’ para a relação futura entre as duas partes.

“Com boa vontade” é possível compromisso de futuro

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse hoje que o acordo alcançado entre Londres e Bruxelas demonstra que, com “boa vontade”, as duas partes poderão alcançar um compromisso para o futuro.

“Creio que o que isto demonstra é que, com boa vontade de ambas as partes, e trabalhando duro, podemos chegar a um acordo de futuro que seja do interesse do Reino Unido, do interesse da União Europeia e bom para todo o Reino Unido”, disse a chefe do executivo conservador britânico.

A resposta de hoje da primeira-ministra surge após meses de críticas por parte dos partidos da oposição no Reino Unido quanto à evolução das negociações para o Brexit.

Em dezembro, a UE e o Reino Unido anunciaram ter chegado a acordo quanto à primeira fase da saída, envolvendo os direitos dos cidadãos comunitários em território britânico, a fronteira entre Irlanda do Norte e a República da Irlanda e a fatura que Londres deverá pagar pela saída.

“A mensagem que o povo pode tirar disto é que antes de dezembro as pessoas questionavam-se sobre se chegaríamos a um acordo nessa altura. Chegamos. As pessoas também se questionavam se hoje chegaríamos a um acordo, e chegamos”, realçou May.

Espera-se que o período de transição dure entre 29 de março de 2019 até dezembro de 2020. O objetivo é ajudar empresas e cidadãos a prepararem-se para uma nova relação entre as duas partes.

Graças ao acordo de hoje, os cidadãos comunitários poderão entrar no Reino Unido como até agora durante o período de transição. Por seu lado, Londres poderá negociar acordos comerciais com países terceiros, mas estes não entrarão em vigor até ao termo do período de transição.

Os termos do acordo de hoje terão de receber luz verde na reunião de líderes comunitários que se celebra no final da semana, em Bruxelas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Franceses não dão tréguas. Greves podem durar até ao Natal

As mobilizações em França contra a reforma dos sistema de pensões, que paralisam vários setores mas sobretudo os transportes públicos, entraram no seu nono dia esta sexta-feira e podem continuar até ao Natal. Os sindicatos de …

Treinadores portugueses dominam provas europeias. Vão 9 a sorteio

Nove treinadores portugueses vão continuar das provas europeias, que incluem a Liga Europa e a Liga dos Campeões. Ao todo, seguem nas competições 48 clubes, que vão ver o seu futuro decidido no sorteio da …

Aumentos da Função Pública. Frente Comum abandona negociações com o Governo (e já pensa em formas de luta)

A Frente Comum dos Sindicatos da Administração Pública abandonou as negociações com o Governo sobre as medidas a incluir no próximo Orçamento do Estado, indignada com os aumentos salariais de 0,3% propostos pelo Executivo. Segundo relatou …

Alphonso Davies. De refugiado no Gana a um dos maiores prodígios da Baviera

Alphonso Davies é um dos maiores talentos do futebol mundial na atualidade. O jogador nasceu num campo de refugiados no Gana e brilha agora nos relvados de Munique. Nascido já no novo milénio, Alphonso Davies é …

Bruxelas deverá aceitar redução do IVA da luz por escalões de consumo

A intenção do Governo de aplicar uma redução do IVA da eletricidade por escalões de consumo deverá ter o aval da Comissão Europeia. A notícia é avançado pelo Jornal de Negócios, que recorda que, em abril, …

Diretora da RTP boicotou investigação do "Sexta às 9" a instituto onde deu aulas

A diretora da RTP Maria Flor Pedroso confessou ter informado a diretora de uma instituição de ensino sobre uma investigação que estava a ser feita pela equipa do programa "Sexta às 9". Há uma nova polémica …

Bruno Lage renova com o Benfica até 2024

O treinador do Benfica, Bruno Lage, renovou o contrato até 2024, anunciou hoje o clube campeão português de futebol, no seu site oficial. Bruno Lage, de 43 anos, assumiu o comando da equipa principal do Benfica …

Autonomia para a contratação nos hospitais continua a depender de Centeno

Os hospitais já não precisam de autorização do Ministério das Finanças para substituir os profissionais de saúde. Porém, se quiserem ter total autonomia, continuam a precisar da aprovação do ministério tutelado por Mário Centeno. Na quarta-feira, …

Portugal garante duas entradas diretas na Champions de 2021/22

Portugal assegurou esta quinta-feira que vai terminar a época 2019/20 no 'top 6' do ranking de clubes de UEFA, garantindo duas entradas diretas, mais uma equipa na terceira pré-eliminatória, na Liga dos Campeões de futebol …

EDP processa Estado e reclama 717 milhões de euros

A EDP está a processar o Estado português, exigindo uma compensação de 717 milhões de euros devido ao antigo fundo de hidraulicidade. O Governo recusa essa hipótese. A EDP avançou com um processo contra o Estado …