Turquia ameaça inundar a Europa de refugiados

 

unaoc / Flickr

Recep Erdogan, Presidente da Turquia

Recep Erdogan, Presidente da Turquia

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, criticou esta quinta-feira os apelos internacionais para a abertura da fronteira turca aos milhares de sírios que fugiram dos combates em Alepo e ameaçou enviá-los para outros países.

Não está escrito ‘idiota’ nas nossas testas. Não pensem que os aviões e os autocarros estão aqui para nada. Faremos o que for necessário”, disse Erdogan num discurso a empresários em Ancara.

Há 10 dias, as forças do regime de Damasco, apoiadas pela aviação russa, lançaram uma ofensiva contra os rebeldes na província de Aleppo, em combates que deixaram 500 mortos e provocaram a fuga de cerca de mais 50 mil pessoas, e 30 mil destas estão a tentar entrar na Turquia pela fronteira da cidade de Kilis, onde se encontra um campo de refugiados.

No entanto, o governo turco tem, até agora, fechado a fronteira para parte destes refugiados, apesar dos apelos de líderes da União Europeia.

O chefe de Estado turco confirmou também a discussão com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, noticiada no final do ano passado, sobre o destino dos migrantes e refugiados.

Erdogan ameaçou abrir as fronteiras com os países europeus se a Turquia não recebesse um valor satisfatório para os acolher em seu território – na altura, Erdogan exigia receber 30 mil milhões como contrapartida da UE. “Defendemos os direitos da Turquia e dos refugiados”, afirmou o líder turco.

A Turquia afirma que já abriga 2,7 milhões de refugiados de guerra da Síria e que não tem como acolher mais pessoas, especialmente no campo de Kilis, que já é ocupado por 11.500 sírios.

Em novembro do ano passado, a União Europeia firmou um acordo com a Turquia, oferecendo três mil milhões de euros como contrapartida à ajuda de Ancara para conter os fluxos migratórios para a Europa.

Estima-se que mais de 4,5 milhões de pessoas tenham deixado a Síria desde que a guerra civil começou, em 2011. Outros 13,5 milhões ainda vivem no país e precisam urgentemente de assistência humanitária.

Agência Brasil / BBC

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Pois… idiotas não, mas escumalha de certeza que sim!!
    E os alemãs são outros que tal – afinal nunca teriam feito as guerras que fizeram sem a ajuda dos turcos!!

RESPONDER

Área Metropolitana de Lisboa em contingência até ao fim de agosto

O Governo vai manter a Área Metropolitana de Lisboa (AML) em situação de contingência até ao final de agosto, apurou o jornal Observador junto do Executivo socialista liderado por António Costa. De acordo com o …

Sindicato vai processar Ryanair por assédio laboral e discriminação

O Sindicato Nacional de Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) vai processar a Ryanair por assédio laboral e discriminação, exigindo a restituição de créditos laborais, após a resolução de contratos por justa causa, disse …

Em Itália, preparar o regresso às escolas inclui serras afiadas

Itália, o primeiro epicentro de covid-19 fora da China, usou um regime agressivo de testes e uso de máscaras para conter uma segunda vaga no país. Agora, as escolas estão a preparar-se para receber, no …

Marcelo promulga Estatuto do Antigo Combatente e veta alterações ao direito de petição

O Presidente da República promulgou o novo Estatuto do Antigo Combatente, aprovado por larga maioria no parlamento em 23 de julho, desejando tratar-se de “o início de um caminho” e não “o seu termo”. Em nota …

O céu de Wuhan iluminou-se com 400 drones para homenagear a população

O céu de Wuhan, cidade chinesa onde se pensa ter surgido o novo coronavírus, em dezembro de 2019, foi iluminado, este domingo, com 400 drones para homenagear os habitantes. De acordo com o vídeo da CGTN, …

Vila do Conde revela que tem 173 casos ativos no concelho

A Câmara de Vila do Conde, do distrito do Porto, revelou esta quarta-feira que existem 173 casos ativos de covid-19 no concelho e que já está em marcha um plano de apoio à população, assim …

Descarrilamento de comboio na Escócia faz pelo menos três mortos

Três pessoas morreram e seis ficaram feridas em consequência do descarrilamento de um comboio de passageiros na Escócia, anunciou a polícia escocesa, citada pela agência Lusa. O acidente ocorreu 160 quilómetros a nordeste de Edimburgo. Numa primeira …

Temido garante que "não haverá exceções" para o Avante (e pede cautela com vacina russa)

A ministra da Saúde defendeu esta quarta-feira que a lotação da Festa do Avante!, organizada pelo PCP, terá este ano que ser inferior à capacidade máxima de 100 mil pessoas do recinto no Seixal, por …

Trump pondera impedir entrada de residentes suspeitos de exposição à covid-19

A Administração norte-americana está a ponderar barrar a reentrada no país a cidadãos norte-americanos ou residentes legais suspeitos de terem sido expostos ao novo coronavírus. De acordo com o Jornal Económico, que cita o jornal New …

Pelo menos 42 feridos em Beirute em confrontos entre polícia e manifestantes

Pelo menos 42 pessoas ficaram feridas, esta terça-feira, em confrontos entre manifestantes e a polícia, pelo quarto dia consecutivo, nas proximidades do Parlamento em Beirute. De acordo com a Cruz Vermelha libanesa, dos pelo menos 42 …