O turismo de massas está a destruir cidades (e uma delas é o Porto)

As companhias aéreas low cost contribuem cada vez mais para o turismo de massas e a cidade do Porto já está a sentir os efeitos.

Segundo a revista alemã Spiegel, as grandes concentrações de turistas estão a destruir os principais destinos turísticos e a dificultar cada vez mais a vida dos residentes dessas regiões. O Porto é uma das cidades portuguesas mais ameaças pelo turismo de massas.

Portugal está a sentir um enorme crescimento a nível turístico, e a Invicta não foge à regra. Só no ano passado, cerca de 2.5 milhões de turistas visitaram a cidade e metade deles foi à descoberta da Livraria Lello, um ponto turístico obrigatório no Porto. Esta livraria, que recebe um grande número de visitantes por ano, viu-se obrigada a começar cobrar cinco euros de entrada para conseguir manter as portas abertas.

O turismo moderno alterou a forma como encaramos o verbo “viajar”, e as companhias aéreas low cost ajudaram na mudança deste paradigma. Em 1997, foram transportados globalmente 1.45 biliões de passageiros. Vinte anos mais tarde, em 2017, este número tinha subido para 3.98 biliões.

Invariavelmente, têm sido os turistas, e não os residentes locais, a transformar e a moldar a imagem de algumas das mais bonitas e famosas cidades europeias, incluindo o Porto.

O turismo predatório moderno é uma das formas de turismo que tem desgastado as cidades. A maioria destes viajantes permanecem pouco tempo nos locais, mas comportam-se como se a cidade fosse deles, explica a Volta ao Mundo.

Com as infraestruturas locais e as cidades sobrelotadas, quem mais sofre são os residentes locais – e o fenómeno faz-se notar num aspeto em particular: é muito mais rentável alugar um quarto a um turista do que a um habitante local.

Desta forma, a indústria do turismo enfrenta um novo obstáculo: os anfitriões dos alojamentos. O problema originou protestos um pouco por todo o mundo, nomeadamente em Veneza, onde foi proibida a entrada de navios de cruzeiro no porto da cidade.

Turistas vão para casa“, a frase pintada nas paredes, começa a ser uma vista comum em locais com grandes concentrações turísticas.

Portugal é um dos países em que o turismo aumenta a passos largos, e com isso os serviços associados — como a construção de hotéis, a abertura restaurantes e lojas de souvenirs, ou o aluguer de viaturas.

O turismo é bom, o excesso de turismo é prejudicial. A indústria do turismo tem começado a reconhecer este problema, mas, questiona a Spiegel, será possível solucioná-lo com o número de turistas a aumentar cada vez mais?

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

    • A Lello recebe todos os dias a visita de milhares de turistas que entram de nariz no ar só para ver as escadas e passear lá por dentro. Os 5€ são taxa para turista. À saída, quem tiver comprado um livro recebe os 5€ de volta, que são descontados no preço do livro. Parece-me muito bem pensado.

RESPONDER

Viagens ao Espaço podem prejudicar o corpo a nível celular. Fígado é o mais afetado

Viagens ao Espaço podem causar o mau funcionamento da mitocôndria de uma célula devido a mudanças na gravidade e radiação, sugere uma nova investigação conduzida pelo Georgetown Lombardi Comprehensive Cancer Center, nos EUA. Investigações com cobaias …

O envelhecimento celular em humanos foi parcialmente revertido (com o uso de oxigénio)

Investigadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriram uma forma de reverter o processo de envelhecimento celular e podem ter feito um avanço na procura pela juventude eterna. O novo estudo publicado na revista Aging …

Porto 0-0 Man City | Pragmatismo portista garante “oitavos”

O FC Porto está nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Os “azuis-e-brancos” precisavam apenas de um empate, ou que o Olympiacos não vencesse em França, em casa do Marselha, e ambos os pressupostos aconteceram – …

O céu tingiu-se de roxo na Suécia (e a culpa era de uma plantação de tomates)

O céu ficou misteriosamente tingido de roxo em Trelleborg, a cidade mais a sul da Suécia, por causa da luz vinda de uma plantação de tomate enuma cidade próxima. Há algumas semanas, os moradores de Trelleborg …

Maurícias estão a abater um morcego ameaçado de extinção por interesses económicos

O morcego das Maurícias, em perigo de extinção, é mais uma vez o centro de um polémico abate nas mãos do Governo, para alarme das organizações de conservação da vida selvagem. Sob pressão de agricultores e …

Procurador-geral dos EUA: não há provas de fraude eleitoral generalizada

O procurador-geral dos Estados Unidos da América, William Barr, reconheceu hoje que não houve fraude em dimensão suficiente para invalidar a vitória do democrata Joe Biden nas eleições presidenciais norte-americanas. "Nesta altura, não vimos fraude a …

Parque de esculturas subaquático vai ser inaugurado em Miami

Miami vai servir de casa para um novo parque de esculturas subaquático como nunca viu. O ReefLine é projetado para servir como um recife artificial e vai estar disponível a receber visitantes em dezembro de …

Da "política do filho único" aos incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar …

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …