Trump vai levantar o sigilo dos arquivos sobre assassinato de Kennedy

Walt Cisco, Dallas Morning News / Wikimedia

O presidente dos Estados Unidos, John F. Kennedy, em Dallas, em 1963, na sua limousine ao lado da mulher, Jackie, poucos minutos antes de ser assassinado.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou este sábado que vai retirar o sigilo dos arquivos sobre o assassinato do ex-presidente democrata John F. Kennedy, baleado durante uma visita a Dallas, no Texas, no dia 22 de novembro de 1963.

“Sujeito ao recebimento de informações adicionais, permitirei, como presidente, que sejam abertos os arquivos classificados e há muito tempo bloqueados de JFK”, disse Trump pelo Twitter, na sua habitual série de mensagens matutinas na rede social.

O Arquivo Nacional tem até à próxima quinta-feira para decidir quais dos 3.100 documentos sigilosos sobre o assassinato de Kennedy podem ser publicados e quais devem ser mantidos em segredo.

Mas Trump é quem tem a autoridade final para decidir sobre a publicação dos arquivos ou mantê-los guardados por mais 25 anos.

 

Segundo um porta-voz da Casa Branca, citado este sábado pelo Politico, os assessores de Trump estão a trabalhar para “garantir a publicação da maior quantidade possível desses arquivos na quinta-feira”.

Mas reconheceu que o governo está preocupado com o facto de que alguns registos desses arquivos não foram criados até a década de 1990 e que devem ser revistos para que a publicação dos arquivos não cause um “dano identificável” à segurança nacional.

Um funcionário do Congresso que acompanhou de perto o processo afirmou ao “Politico” que a Agência Central de Inteligência (CIA) pressionou Trump para impedir a publicação de alguns documentos, possivelmente para esconder os métodos de atuação do órgão ou a identidade de alguns espiões que possam ainda estar vivos.

“Suponho que o presidente possa mudar de ideia no último momento, mas, a não ser que o faça, não haverá uma publicação absoluta dessas informações. Veremos muitos arquivos na semana que vem, mas não todos, infelizmente”, disse a fonte, que pediu anonimato.

Quem questiona a versão oficial sobre o assassinato de Kennedy espera impacientemente a decisão de Trump, com a esperança de que os novos documentos possam esclarecer o maior mistério da história recente dos EUA.

Segundo o “Politico”, é possível que documentos datados da década de 1990 sejam publicados com censuras para evitar expor operações de inteligência relativamente recentes.

A maior parte dos 3.100 documentos sigilosos foi feito pela CIA, pelo FBI e pelo Departamento de Justiça. Uma lei de 1992 determina que sejam publicados totalmente na próxima quinta-feira, a não ser que Trump determine o contrário.

ZAP // EFE

RESPONDER

É um "disparate do tamanho do Mosteiro da Batalha" proibir refeições em panteões

O presidente da Câmara da Batalha, Paulo Batista Santos, considerou hoje que seria um "disparate do tamanho do Mosteiro da Batalha" restringir totalmente "qualquer serviço de refeições nos panteões". "Concordo com as restrições, mas não na …

Surto de Legionella pode resultar em acusações por homicídio

A Veolia Portugal, responsável pela manutenção das torres de refrigeração do Hospital de São Francisco Xavier negou responsabilidade no surto de 'legionella', garantindo que "todos os procedimentos foram implementados corretamente". "Todos os procedimentos foram implementados corretamente …

Rui Santos "paineleiro com feitio de gaja", Bruno de Carvalho "machista preconceituoso"

A associação Capazes não poupou críticas ao presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, que acusa de "machismo, misoginia e homofobia", depois das violentas críticas que o presidente do Sporting endereçou a Rui Santos, comentador …

Detido diretor nacional do Tesouro angolano por suspeita de desvio de verbas

O diretor nacional do Tesouro angolano foi detido pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), no âmbito de uma investigação policial a alegados desvios de verbas do Estado através de contratos celebrados com empresas fictícias. De acordo …

Milhares de contas russas no Twitter foram usadas para influenciar referendo do Brexit

Investigadores concluíram que nos dias anteriores à votação do referendo sobre o Brexit, centenas de contas falsas no Twitter com origem russa tentaram influenciar a decisão da saída do Reino Unido da União Europeia. De acordo …

Submarino militar argentino desapareceu com 44 pessoas a bordo

A Marinha da Argentina confirmou esta sexta-feira que está à procura de um submarino militar com 44 tripulantes, com o qual perdeu todo o o contacto há mais de 72 horas. O submarino militar argentino o …

Secretária de Estado desvaloriza "jantarinho" da Web Summit no Panteão

A secretária de Estado da Indústria desvalorizou o polémico jantar no Panteão Nacional e garante que nenhum membro do Governo esteve presente. "Não temos nada a ver com isso", afirmou à agência Lusa. A secretária de Estado …

Primeiro-ministro demissionário libanês acolhido em França

O primeiro-ministro demissionário libanês, que chegou este sábado a Paris procedente da Arábia Saudita, vai regressar ao Líbano na próxima quarta-feira para participar na festa nacional, informou a Agência Nacional de Notícias. Saad Hariri, que se …

Corte no subsídio de desemprego acaba em Janeiro

O fim do corte de 10% aplicado ao subsídio de desemprego vai entrar em vigor já a partir de Janeiro de 2018 e irá abranger todos os desempregados, incluindo os que já estão a receber …

Neblina de hidrocarbonetos de Plutão mantém planeta anão mais frio do que o esperado

A composição gasosa da atmosfera de um planeta geralmente determina a quantidade de calor que fica aí preso. No entanto, para o planeta anão Plutão, a temperatura prevista com base na composição da sua atmosfera …