/

Trump alivia tensão diplomática e compromete-se com “uma só China”

Nathan Congleton / Flickr

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos reafirmou o compromisso de Washington com o princípio “uma só China”, numa conversa telefónica com o homólogo chinês, depois de uma polémica que gerou protestos de Pequim.

A Casa Branca e a televisão estatal chinesa CCTV revelaram esta sexta-feira que os dois líderes conversaram na quinta-feira à noite.

Os chefes de Estado das duas maiores potências económicas do planeta abordaram várias questões e Donald Trump concordou em acatar com o apelo de Xi Jinping para que Washington mantenha apenas relações de caráter não oficial com Taiwan.

Pequim considera Taiwan parte do seu território e não uma entidade política soberana.

Depois de ser eleito e antes de tomar posse como Presidente dos EUA, Trump disse que poderia rever o princípio “uma só China”, visto pelo regime comunista como uma garantia da manutenção do estatuto da ilha.

Além disso, a líder taiwanesa, Tsai Ing-wen, ligou a Trump a felicitá-lo pela vitória nas eleições e ambos “abordaram os estreitos vínculos económicos, políticos e de segurança existentes entre Taiwan e os Estados Unidos”, algo que incomodou a potência chinesa.

Este foi o primeiro contacto telefónico deste nível desde 1979, ano em que Washington rompeu relações diplomáticas com Taipé.

Trump também acusou várias vezes Pequim de práticas comerciais desleais e de fazer pouca pressão para que a Coreia do Norte abandone o seu programa nuclear.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.