“O tempo o dirá”. Trump admite, pela primeira vez, hipótese de derrota

Stefani Reynolds / EPA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O ainda Presidente dos Estados Unidos admitiu, esta sexta-feira, pela primeira vez, que poderá não ter vencido as eleições Presidenciais.

Donald Trump fez uma declaração, a partir da Casa Branca, sobre a propagação da pandemia de covid-19 nos Estados Unidos e os avanços no desenvolvimento de vacinas e terapêuticas para combater o novo coronavírus, em que nem por uma vez referiu o nome do Presidente eleito, Joe Biden.

“Idealmente, não iremos para um confinamento, eu não irei para um confinamento, esta administração não irá para um confinamento. Esperançosamente, o que quer que aconteça no futuro, quem sabe que administração será… Acho que o tempo o dirá”, disse o chefe de Estado.

Nos primeiros comentários à declaração, a imprensa norte-americana destacou que esta foi a primeira vez que o republicano não denunciou ilegalidades (não comprovadas) no processo eleitoral e admitiu, até, que pode não ser o vencedor das Presidenciais.

Esta foi a primeira conferência de imprensa de Trump desde que foi anunciada a vitória do candidato democrata, de acordo com as previsões feitas por vários órgãos de comunicação como, por exemplo, a CNN, o New York Times, o Washington Post, entre outros. Esta sexta-feira, os principais órgãos de comunicação social projetaram a vitória de Biden com 306 delegados no Colégio Eleitoral, contra 232 de Trump.

 

O ainda Presidente aproveitou a declaração para falar sobre o anúncio de uma vacina contra a covid-19, desenvolvida pela farmacêutica multinacional Pfizer e pela BioNTech, cuja eficácia anunciada de 90% “excedeu largamente as expectativas”.

Donald Trump falou também do investimento que a sua administração fez na Operação Warp Speed e deixou um aviso à Pfizer, que admitiu não pertencer a esta parceria público-privada, iniciada pela sua Administração, para facilitar e acelerar o desenvolvimento, fabricação e distribuição de vacinas, terapêuticas e diagnósticos contra a covid-19.

A Pfizer disse que não pertencia à Warp Speed, mas isso foi uma representação infeliz. Eles fazem parte [da parceria], foi por isso que lhes demos os 1,95 mil milhões de dólares e foi um erro infeliz quando o disseram”, considerou.

O Presidente dos Estados, que sempre foi cético em relação ao distanciamento físico e à utilização de máscaras como formas de combater a disseminação do novo coronavírus, mudou o discurso e pediu à população para estar “vigilante, principalmente, à medida que o tempo fica mais frio”.

Trump finalizou a declaração e afastou-se do púlpito, não permitindo quaisquer questões dos jornalistas.

Trump ainda acredita que pode dar a volta

Esta sexta-feira, numa entrevista ao jornal The Washington Examiner, o Presidente cessante disse que é capaz de dar a volta aos resultados das eleições e apresentou os seus argumentos sobre os estados norte-americanos que considera “chaves”.

“Vamos ganhar o Wisconsin. O Arizona ficará reduzido a oito mil votos [de diferença] e, sim, podemos fazer uma recontagem aos milhões de votos e encontraremos aí oito mil votos facilmente. Se houver uma recontagem, estaremos lá em boa forma.”

Trump, que disse ainda “nunca apostem contra mim”, vaticinou que também iria vencer na Geórgia. “Estamos agora com menos 10 mil, 11 mil votos. Mas teremos agora uma contagem manual”, defendeu. Afirmação que foi desmentida, entretanto, pelas últimas projeções, que dão a vitória a Biden neste estado.

Em relação ao Michigan e à Pensilvânia, onde a imprensa dá a vitória ao democrata, o Presidente cessante destacou tratarem-se de “grandes estados” e fez finca-pé na sua estratégia de protestar pelo facto de os observadores republicanos não terem seguido de perto a contagem dos votos nalguns momentos do escrutínio.

“Não permitiram aos nossos observadores eleitorais vigiar e observar. Isso é importante. Deveriam ter deitado fora aqueles votos contados nos momentos em que (os observadores de Trump) não estavam lá. Fomos ao tribunal e o juiz ordenou que eles voltassem, mas isso foi depois de dois dias e milhões de votos poderiam ter passado, milhões, e estamos a 50 mil votos” de Biden, argumentou.

Questionado sobre quando pensa que será capaz de dar a volta à situação, Trump respondeu que tal poderá acontecer nas próximas duas a três semanas.

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Já perdeu desde a madrugada de 3 de novembro, mas vai assimilando a realidade aos poucos.
    Ou seja, neste momento ele está no modo ” vou pôr a vaselina”.

RESPONDER

Entre indiretas a Rui Moreira e farpas a Costa, Rio acusa PS de ter desistido de ganhar o Porto

O Presidente do PSD participou na apresentação da candidatura de Vladimiro Feliz, que considera "competente" e "trabalhador" à Câmara do Porto. Por outro lado, Rio usou a ocasião para acusar o PS de ir a …

Cientistas descobrem o segredo das pessoas que vivem mais de 105 anos

Uma equipa de investigadores descobriu que os idosos que vivem mais de 105 anos tendem a possuir uma base genética única que torna os seus corpos mais eficazes na reparação de ADN. Esta é a primeira …

Quem já teve covid-19 pode agendar vacina em junho. No verão, vacinados podem vir a deixar máscara

Os doentes recuperados há mais de seis meses de infeção por SARS-CoV-2 vão poder marcar a sua vacinação através do portal de auto-agendamento a partir da primeira semana de junho, confirmou fonte da task force …

Governo aprova 11 milhões de euros para SIRESP de indemnização compensatória

A indemnização compensatória foi aprovada no dia em que o Presidente da República promulgou o decreto-lei que define o modelo transitório de gestão, operação, manutenção, modernização e ampliação da rede de comunicações do Estado SIRESP. O …

Tal como os humanos, há animais que podem sofrer ataques cardíacos (mas é raro)

Todos os dias milhões de pessoas no mundo são vítimas de ataques cardíacos. Mas será possível que também os animais possam passar por isto? Um ataque cardíaco ocorre quando um vaso sanguíneo que distribui sangue oxigenado …

Antigos corais revelam terramoto em "câmara lenta". Durou 32 anos

Uma equipa de investigadores descobriu um terramoto em "câmara lenta" que durou 32 anos - o mais lento já registado. O sismo levou eventualmente ao catastrófico terramoto de Sumatra em 1861. Terramotos de "câmara lenta" ou …

Astrónomos encontram uma das mais antigas estrelas do Universo

Uma equipa de investigadores descobriu uma estrela gigante vermelha a 16 mil anos-luz de distância que parece ser um membro da segunda geração de estrelas do Universo. Embora tenhamos uma boa compreensão da forma como o …

Marinha dos EUA está a desenvolver drones para matar ovos em ninhos de pássaros selvagens

A Marinha norte-americana e a empresa Hitron Technologies uniram esforços para desenvolver um drone autónomo projetado especificamente para procurar e destruir o maior inimigo da Marinha: os pássaros. Os drones, que estão já a ser testados …

Cientistas criam hologramas que se movem pelo ar

Uma equipa de cientistas da Universidade Brigham Young, nos Estados Unidos, conseguiu desenvolver um holograma que projeta imagens em movimento. Se é fã de Star Treck, ficará impressionado com a mais recente inovação. Um grupo de …

Gangue detido por falsificar a especiaria mais cara do mundo

As autoridades espanholas detiveram um gangue que fazia milhões de euros por ano a falsificar a especiaria mais cara do mundo: o açafrão. Os 17 membros da quadrilha foram detidos na região de Castela-Mancha. Os criminosos …