“O tempo o dirá”. Trump admite, pela primeira vez, hipótese de derrota

Stefani Reynolds / EPA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O ainda Presidente dos Estados Unidos admitiu, esta sexta-feira, pela primeira vez, que poderá não ter vencido as eleições Presidenciais.

Donald Trump fez uma declaração, a partir da Casa Branca, sobre a propagação da pandemia de covid-19 nos Estados Unidos e os avanços no desenvolvimento de vacinas e terapêuticas para combater o novo coronavírus, em que nem por uma vez referiu o nome do Presidente eleito, Joe Biden.

“Idealmente, não iremos para um confinamento, eu não irei para um confinamento, esta administração não irá para um confinamento. Esperançosamente, o que quer que aconteça no futuro, quem sabe que administração será… Acho que o tempo o dirá”, disse o chefe de Estado.

Nos primeiros comentários à declaração, a imprensa norte-americana destacou que esta foi a primeira vez que o republicano não denunciou ilegalidades (não comprovadas) no processo eleitoral e admitiu, até, que pode não ser o vencedor das Presidenciais.

Esta foi a primeira conferência de imprensa de Trump desde que foi anunciada a vitória do candidato democrata, de acordo com as previsões feitas por vários órgãos de comunicação como, por exemplo, a CNN, o New York Times, o Washington Post, entre outros. Esta sexta-feira, os principais órgãos de comunicação social projetaram a vitória de Biden com 306 delegados no Colégio Eleitoral, contra 232 de Trump.

 

O ainda Presidente aproveitou a declaração para falar sobre o anúncio de uma vacina contra a covid-19, desenvolvida pela farmacêutica multinacional Pfizer e pela BioNTech, cuja eficácia anunciada de 90% “excedeu largamente as expectativas”.

Donald Trump falou também do investimento que a sua administração fez na Operação Warp Speed e deixou um aviso à Pfizer, que admitiu não pertencer a esta parceria público-privada, iniciada pela sua Administração, para facilitar e acelerar o desenvolvimento, fabricação e distribuição de vacinas, terapêuticas e diagnósticos contra a covid-19.

A Pfizer disse que não pertencia à Warp Speed, mas isso foi uma representação infeliz. Eles fazem parte [da parceria], foi por isso que lhes demos os 1,95 mil milhões de dólares e foi um erro infeliz quando o disseram”, considerou.

O Presidente dos Estados, que sempre foi cético em relação ao distanciamento físico e à utilização de máscaras como formas de combater a disseminação do novo coronavírus, mudou o discurso e pediu à população para estar “vigilante, principalmente, à medida que o tempo fica mais frio”.

Trump finalizou a declaração e afastou-se do púlpito, não permitindo quaisquer questões dos jornalistas.

Trump ainda acredita que pode dar a volta

Esta sexta-feira, numa entrevista ao jornal The Washington Examiner, o Presidente cessante disse que é capaz de dar a volta aos resultados das eleições e apresentou os seus argumentos sobre os estados norte-americanos que considera “chaves”.

“Vamos ganhar o Wisconsin. O Arizona ficará reduzido a oito mil votos [de diferença] e, sim, podemos fazer uma recontagem aos milhões de votos e encontraremos aí oito mil votos facilmente. Se houver uma recontagem, estaremos lá em boa forma.”

Trump, que disse ainda “nunca apostem contra mim”, vaticinou que também iria vencer na Geórgia. “Estamos agora com menos 10 mil, 11 mil votos. Mas teremos agora uma contagem manual”, defendeu. Afirmação que foi desmentida, entretanto, pelas últimas projeções, que dão a vitória a Biden neste estado.

Em relação ao Michigan e à Pensilvânia, onde a imprensa dá a vitória ao democrata, o Presidente cessante destacou tratarem-se de “grandes estados” e fez finca-pé na sua estratégia de protestar pelo facto de os observadores republicanos não terem seguido de perto a contagem dos votos nalguns momentos do escrutínio.

“Não permitiram aos nossos observadores eleitorais vigiar e observar. Isso é importante. Deveriam ter deitado fora aqueles votos contados nos momentos em que (os observadores de Trump) não estavam lá. Fomos ao tribunal e o juiz ordenou que eles voltassem, mas isso foi depois de dois dias e milhões de votos poderiam ter passado, milhões, e estamos a 50 mil votos” de Biden, argumentou.

Questionado sobre quando pensa que será capaz de dar a volta à situação, Trump respondeu que tal poderá acontecer nas próximas duas a três semanas.

  ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Já perdeu desde a madrugada de 3 de novembro, mas vai assimilando a realidade aos poucos.
    Ou seja, neste momento ele está no modo ” vou pôr a vaselina”.

RESPONDER

Estudo da Universidade do Minho defende legalização da prostituição em Portugal

Um estudo de um investigador da Universidade do Minho (UMinho) defende a legalização da prostituição em Portugal e denuncia a “ineficácia do modelo abolicionista” em vigor desde 1983, anunciou esta quinta-feira aquela academia. Em comunicado, a …

Dispositivo vestível impresso a 3D não precisa de ser carregado

Um grupo de especialistas desenvolveu um dispositivo vestível a que chamaram “dispositivo biossimbiótico”, que conta com vários benefícios. O novo dispositivo é impresso em 3D, personalizado e baseado em análises corporais dos utilizadores e ainda pode …

Microsoft encerra o LinkedIn na China devido às restrições locais

A Microsoft informou esta quinta-feira que irá encerrar a rede profissional LinkedIn na China até ao final do ano, justificando a decisão com a existência de um "ambiente operacional difícil", segundo a agência France-Presse (AFP). O …

Ceni anunciado mas adeptos avisam: "Só será treinador se falar connosco antes"

Mudança de treinador no São Paulo: saiu Crespo e regressou a "lenda" do clube, Ceni. Mas há palavras que não se esquecem... Mais uma mudança de equipa técnica no Brasileirão. Desta vez no São Paulo, que …

No Japão, milhares de idosos morrem sozinhos. Agora, um sistema ajuda na deteção de cadáveres nas casas

Monitorização dos edifícios permite perceber se há movimento dos ocupantes dentro das casas. Desta forma, é mais fácil evitar que corpos em decomposição permanecem no local ao longo de muito tempo. O Japão é um dos …

"Nunca tive tanto medo na minha vida". Ruth estava a dormir quando meteorito lhe caiu na cama

A mulher ficou assustada com o incidente, mas acabou por sair ilesa. Agora, pretende recuperar dos danos causados e admite que quer conservar a pedra. Parece ficção, mas a história aconteceu na cidade de Golden, no …

Corrida ao peru de Natal. Britânicos temem não ter a iguaria na mesa - e a culpa é do Brexit

No Reino Unido, há falta de mão de obra na agricultura e a criação de perus está a ser uma das áreas mais afetadas. Procura da iguaria natalícia já aumentou. Na quinta "Flower Farm", no coração …

Paulo Rangel vai candidatar-se à liderança do PSD "independentemente de qualquer calendário"

O eurodeputado Paulo Rangel vai anunciar que se candidata à liderança do PSD numa intervenção no perante os conselheiros esta noite. Paulo Rangel quer candidatar-se à liderança do PSD, segundo avançaram o Observador e a TVI. …

México venceu, apesar de não deixarem os jogadores dormir

Adeptos de El Salvador acrescentaram um episódio à rivalidade com o México. Corona começou no banco mas entrou logo aos 20 minutos. O México continua o seu percurso vitorioso rumo à fase final do Mundial 2022. …

“Esqueceram-se de nós". Bombeiros fazem greve de dois dias em novembro devido ao OE

Os bombeiros profissionais marcaram greve para os dias 11 e 12 novembro para contestarem a proposta de Orçamento do Estado para 2022, que "se esqueceu completamente" da classe, anunciaram hoje a associação e o sindicato …