Trump acusa China de pensar que norte-americanos são “burros” (e ameaça com mais tarifas)

Gage Skidmore / Flickr

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, atacou esta quinta-feira novamente a China com violência na frente comercial, acusando Pequim de pensar que os norte-americanos são “burros”.

“[Os Chineses] viveram demasiado bem durante demasiado tempo”, criticou Donald Trump, numa longa entrevista ao canal televisivo Fox News.

O chefe de Estado norte-americano retomou os seus argumentos habituais, segundo os quais a China deve a sua expansão económica ao dinheiro dos Estados Unidos e ao escoamento dos seus excedentes comerciais para aquele país.

“Nós ajudámos a reconstruir a China mais do que qualquer outro país, a China levava-nos 500 mil milhões de dólares por ano”, mas “agora, isso acabou”, insistiu Donald Trump. “Francamente, acho que [os chineses] pensam que os americanos são burros. Os americanos não são burros”, sublinhou o Presidente.

Donald Trump falou dos direitos aduaneiros adicionais que recentemente impôs a 250 mil milhões de dólares de importações chinesas. Na sua opinião, “isso já teve um grande impacto: a economia da China abrandou acentuadamente”.

O Fundo Monetário Internacional (FMI) acaba de baixar ligeiramente a sua previsão de crescimento para a China no próximo ano, de 6,4% para 6,2%, o que será o pior resultado do país asiático desde 1990.

Posso fazer muito mais, se quiser”, ameaçou o Presidente norte-americano, deixando mais uma vez planar o espectro de novas taxas aduaneiras. “Não quero fazê-lo, mas é necessário que venham sentar-se à mesa de negociações”, acrescentou.

Pequim “quer desesperadamente negociar, mas eu disse-lhes que ainda não estão preparados para fazer as concessões necessárias”, explicou Trump.

A guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, que está a levantar cada vez mais preocupações na economia mundial, caracterizou-se nas últimas semanas pelo redobrar dos ataques frontais da Administração Trump às autoridades chinesas, acusadas de violações em massa dos direitos humanos, do roubo de tecnologia, de militarização indevida do mar do sul da China e até de ingerência nas eleições norte-americanas.

Por sua vez, o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, aproveitou uma reunião dos países da América Central em Washington para os instar a não cederem aos apelos chineses para o seu desenvolvimento económico.

“Numa altura em que estão a criar parcerias comerciais com outras nações, incluindo a China, exortamos-vos a exigir, antes de tudo, transparência e a preservar os vossos interesses de longo prazo, assim como os nossos”, disse Pence aos Presidentes das Honduras e da Guatemala, Juan Orlando Hernandez e Jimmy Morales, respetivamente, e ao vice-presidente de El Salvador, Oscar Samuel Ortiz Ascencio.

O principal assessor económico da Casa Branca, Larry Kudlow, afirmou que, a longo prazo, “gostaria de ver uma paz comercial” com a China, mas defendeu que a economia norte-americana “é a melhor do mundo” e que “isso vai continuar, independentemente” de como se desenrolem as relações com o país asiático.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Trump ainda não percebeu que é a China a ter a faca e o queijo na mão, e continua a esticar a corda.
    Se a China, Rússia e alguns países da OPEP criarem uma moeda alternativa ao dólar, para compra de petróleo e comércio internacional, Trump e os americanos entrarão num longo período de trevas. Talvez na III GM.

RESPONDER

Mensagens falsas "mataram" o rei de Espanha (há 450 anos)

O fenómeno das notícias e mensagens falsas que se propagam de forma viral nas redes sociais preocupa cada vez mais governos, organizações internacionais e académicos, mas não é algo de novo. Desde a campanha eleitoral de …

Conflito no Iémen coloca 75% da população a precisar de ajuda alimentar

O conflito no Iémen tornou 8,4 milhões de pessoas dependentes de assistência alimentar de emergência e colocou 75% dos seus 22 milhões de habitantes a precisarem de ajuda, no país com a prior crise humana …

Encontrado engenho explosivo em casa do milionário George Soros

Esta segunda-feira, foi encontrado um engenho explosivo numa caixa de correio em cada de George Soros. O FBI iniciou esta terça-feira uma investigação e adiantou que "não representa qualquer ameaça à segurança pública". A polícia federal …

Austrália pede desculpa às milhares de vítimas de abusos sexuais

A Austrália pediu nesta segunda-feira oficialmente perdão por não ter “escutado e acreditado” nos milhares de vítimas de abusos sexuais perpetrados durante décadas dentro das instituições do país. “De novo e de novo, hoje pedimos desculpa”, …

Furacão Willa "grande e perigoso" a caminho do México

O furacão Willa, de categoria 4, está a preparar-se para a atingir a costa pacífica do México esta terça feira. De acordo com o Centro Nacional de Furacões dos EUA, espera-se que o Willa seja …

Bruxelas toma decisão inédita e chumba orçamento de Itália

A Itália é o primeiro país a ver o seu projeto orçamental "chumbado" pela Comissão Europeia desde a implementação do "semestre europeu" de coordenação de políticas económicas e orçamentais, instituído em 2010. A Comissão Europeia rejeitou …

Governo propõe super-desconto no IRS para futebolistas (e não só)

O "Programa Regressar", a nova medida fiscal que integra a proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) e que visa fazer regressar a Portugal ex-residentes, abrange todo o tipo de profissões, incluindo futebolistas, sem …

CP admite falta de comboios até final do ano

O presidente dos Comboios de Portugal (CP) admitiu que o serviço regional com automotoras a gasóleo enfrenta maiores riscos por falta de pessoal e de peças na EMEF (empresa que mantém e repara comboios em …

Viúva do triatleta viu angolanos matarem o marido e foi de férias com o amante

Rosa Grilo, a viúva do triatleta Luís Grilo, que está detida por suspeitas de envolvimento na sua morte, assegura que foram indivíduos angolanos que o mataram, por causa de diamantes. Ela garante que assistiu ao …

Morreu o homem que impediu os nazis de desenvolver bomba atómica

Joachim Ronneberg, o norueguês que liderou a missão de sabotagem que impediu o desenvolvimento de armas nucleares pelos nazis durante a 2ª Guerra Mundial, morreu na segunda-feira, aos 99 anos. Nascido em 1919, na cidade de …