Três missões espaciais terrestres chegam a Marte nos próximos dias

Depois de voar centenas de milhões de quilómetros pelo espaço desde o verão passado, três exploradores robóticos estão prontos para pisar em Marte.

O orbitador dos Emirados Árabes Unidos chegará a Marte na próxima terça-feira e menos de 24 horas depois será seguido pelo conjunto orbitador-rover da China.

Por sua vez, o rover da NASA, o vagão cósmico, chegará ao local uma semana depois, a 18 de fevereiro, para recolher rochas e voltar ao planeta Terra, com o intuito de determinar se alguma vez existiu vida em Marte.

Tanto os Emirados Árabes Unidos como a China são recém-chegados a Marte, onde mais da metade dos emissários da Terra falharam.

A primeira missão da China a Marte, numa parceria com Rússia em 2011, não chegou a passar da órbita da Terra.

“Como engenheiros e cientistas estamos muito entusiasmados, mas ao mesmo tempo stressados e felizes, preocupados e com receio”, afirmou Omran Sharaf, responsável pelo projeto dos Emirados Árabes Unidos.

Todas as três naves espaciais foram lançadas em julho passado, durante uma janela de lançamento Terra-Marte que ocorre apenas a cada dois anos, motivo pelo qual as respetivas chegadas são próximas.

Com o nome de ‘Amal’ (“esperança”, em árabe), a aeronave procura uma órbita especialmente alta – 22 mil quilómetros por 44 mil quilómetros – para melhor monitorizar o clima marciano.

Já a chinesa, batizada de Tianwen-1 ou ‘Busca pela Verdade Celestial’, irá permanecerá emparelhada em órbita até maio, quando o rover se irá separar para descer à superfície empoeirada e avermelhada. Se tudo decorrer dentro da normalidade será o segundo país a pousar com sucesso no planeta vermelho.

Por sua vez, o rover americano ‘Perseverance’ mergulhará imediatamente para o solo marciano, à semelhança do que já aconteceu em 2012 com o ‘Curiosity’. Até agora a NASA acertou em oito das nove tentativas de pousos em Marte.

Apesar das diferenças – o ‘Perseverance’, de uma tonelada, é maior e mais elaborado do que o ‘rover’ ‘Tianwen-1’ – ambos procurarão sinais de vida microscópica ancestral.

A missão ‘Perseverance’ é a primeira etapa da parceria EUA-Europa para trazer amostras de Marte para a Terra na próxima década.

“Para dizer que estamos animados com isso, bem, isso seria um grande eufemismo”, disse Lori Glaze, diretora de ciência planetária da NASA.

O objetivo do ‘Perseverance’ é chegar ao delta de um antigo rio por parecer um local lógico para ter abrigado vida. Esta zona de pouso na cratera de Jezero é tão difícil que a NASA já a rejeitou aquando do ‘Curiosity’. Contudo os cientistas estão ansiosos por colherem as rochas desse local.

“Quando os cientistas observam um local como a cratera de Jezero, eles veem uma promessa, certo? Mas quando eu olho para Jezero, vejo perigo. Há perigo em toda parte”, disse Al Chen, que está encarregado da equipa de entrada, descida e pouso no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia.

Os penhascos íngremes, poços profundos e montanhas podem prejudicar ou condenar a ação do ‘Perseverance’, após a descida pela atmosférica que está prevista durar sete minutos.

Devido aos atrasos de comunicação, o rover estará por conta própria, e não poderá contar com o apoio dos controladores de voo.

‘Amal’ e ‘Tianwen-1’ também precisarão de operar de forma autónoma enquanto manobram para entrar em órbita.

Através de um elaborado plano, ainda em desenvolvimento pela NASA e pela Agência Espacial Europeia, este tesouro geológico deverá chegar ao planeta Terra no início de 2030.

Os cientistas consideram que é a única maneira de determinar se existiu vida Marte.

O chefe da missão científica da NASA, Thomas Zurbuchen, salienta mesmo ser “uma das coisas mais difíceis já feitas pela humanidade e certamente na ciência espacial”.

Os EUA são o único país a pousar com sucesso em Marte, começando com os vikings de 1976.

Já as naves espaciais russas e europeias destruídas espalham-se pela paisagem marciana, junto com o módulo ‘Mars Polar Lander‘ lançado pela NASA em 1999.

Atualmente, seis naves espaciais estão a operar na órbita de Marte: três dos EUA, duas da Europa e uma da Índia. Os Emirados Árabes Unidos esperam ser os sétimos com a ‘Amal’, cuja chegada a Marte coincide com o 50.º aniversário da fundação do país.

Começar o ano com este marco é algo muito importante para o povo dos Emirados Árabes Unidos”, salientou Omran Sharaf.

A pandemia de coronavírus complicou cada etapa dos 480 milhões de quilómetros de cada nave espacial até Marte.

Obrigando a conjunta a Marte das agências espaciais europeia e russa ficar em terra até a próxima janela de lançamento em 2022.

// Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. se querem ter sucesso em Marte ,primeiro montem uma base permanente na Lua e depois de se aprender com as falhas e erros ,vao a Marte ,sera uma forma de poupar algumas vidas Humanas

RESPONDER

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …

"Dança quem está na roda", responde Marcelo sobre ausência de Bolsonaro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que "dança quem está na roda" quando questionado pelos jornalistas sobre a ausência do homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, da cerimónia de reinauguração do Museu …

Todos os anos, esta cidade italiana entrega sal ao Papa em mãos

O Sal de Cervia, também conhecido como "sal do Papa", é-lhe entregue todos os anos em mãos. A tradição sofreu algumas interrupções até ter sido recuperada pelo Bispo Mario Marini, que serviu no Pontificado de …

A colisão secreta entre navios soviéticos e britânicos podia ter tido um desfecho drástico

Colisão aconteceu durante um dos períodos mais quentes da Guerra Fria e foi camuflado pela marinha britânica, que tratou de fazer regressar a sua embarcação à base de Devonport durante a noite para evitar dar …

Esta garrafa de tequila demorou seis anos para ser desenvolvida (e contém ouro)

A Clase Azul Spirits é uma empresa que comercializa tequila e está a preparar uma edição limitada para homenagear o legado artesanal do México - de onde a bebida é originária. A 2 de agosto, a …

Covid-19. Milhares de franceses protestam contra passe sanitário

Milhares de pessoas concentraram-se este sábado em Paris para protestar contra o passe sanitário — certificado de vacinação contra a covid-19 que passa a ser obrigatório para entrar em vários locais —, tendo a polícia …

"Toque de Midas" científico. Químicos transformam água purificada em metal dourado

Esta nova descoberta ajuda a entender o estado de transição da água e pode vir a ser importante no estudo de planetas como Neptuno ou Urano. Numa experiência alucinante, cientistas conseguiram transformar água purificada num metal …

Dispositivo movido a energia solar vai transformar água salgada em potável no Quénia

Transformar água do mar em água potável é um processo muito caro e poluente, mas o Climate Fund Manager e a Solar Water Solutions querem mudar isso. A nova solução revolucionária tem uma pegada de …

EUA impõem sanções contra a Polícia cubana pela “repressão” dos protestos

Os Estados Unidos impuseram novas sanções à Polícia Nacional Revolucionária cubana e a dois altos funcionários da instituição, com o Presidente Joe Biden a admitir mais medidas caso não exista uma mudança “drástica” em Cuba. Questionado …

Aumento dos custos de produção. Depois da Unilever, Nestlé anuncia que vai subir os preços

A maior produtora de comida e bebidas do mundo vai aumentar os preços. A Nestlé justifica a decisão com a subida dos custos de produção das mercadorias e dos transportes. A empresa suíça revelou na Quinta-Feira …