Três milhões de Charlie Hebdo com Maomé na capa amanhã nas bancas

@libe / Twitter

Capa da primeira edição do Charlie Hebdo após o atentado, divulgada pelo Liberation

A próxima edição do semanário satírico francês Charlie Hebdo, que chega às bancas esta quarta-feira, terá três milhões de exemplares, em vez do milhão inicialmente previsto, indicou a distribuidora do jornal.

A capa da próxima edição do Charlie Hebdo, divulgada esta terça-feira pelo jornal Libération, traz uma caricatura de Maomé a chorar, segurando um cartaz “Je Suis Charlie”, sob o título “Tudo Está Perdoado“.

Esta é a primeira edição do jornal depois do atentado de quarta-feira, em que dois jihadistas mataram 12 pessoas, como vingança pela publicação de cartoons de Maomé.

Em vez da tiragem prevista de um milhão de exemplares, serão colocados em banca três milhões de Charlie Hebdos.

O aumento da tiragem deve-se ao facto de a distribuidora, MLP – Messageries Lyonnaises de Presse, estar a receber grandes encomendas, não só de França mas também do estrangeiro.

As receitas da venda do primeiro milhão de exemplares desta edição, que está a ser preparada pelos sobreviventes ao atentado, reverterão integralmente para o Charlie Hebdo, tendo a rede de distribuição aceitado trabalhar gratuitamente.

O jornal satírico parisiense imprimia até agora normalmente 60.000 exemplares, metade dos quais eram vendidos em banca.

Na sequência do atentado que dizimou a redacção do Charlie Hebdo, os órgãos de comunicação parisienses uniram-se para ajudar o jornal, oferecendo-lhe condições técnicas de funcionamento.

O governo francês, por seu turno, anunciou a atribuição de um subsídio de 1 milhão de euros para “garantir que o Charlie Hebdo continua a ser impresso”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Em primeiro lugar os ataques terroristas em França são condenáveis a todos os níveis. Mas não é menos condenável a atitude deste jornal francês, que ninguém conhecia e que se tenta agora projetar retirando benefícios económicos dos atentados, continuando a provocar o Islão. É que com isso não estão só a provocar o Islão radical, mas o Islão moderado. Devem existir por isso limites à liberdade de imprensa. Neste sentido também não seria tolerável este jornal ridicularizar alguém por ser deficiente, homossexual ou de uma cor diferente. Ou defender a pedofilia, o incesto ou o canibalismo. Isso não seria aceitável, tal como não é aceitável ridicularizar a religião de alguém, ainda por cima sabendo que o mundo islâmico é, com razão, sensível a essas questões.

RESPONDER

Este casaco foi desenhado para nos ajudar a dormir em qualquer lado

A britânica Vollebak lançou um casaco, inspirado nos astronautas, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado. A pensar em todas aquelas pessoas que gostam de fazer uma sesta ou outra, independentemente do …

DJ Juice WRLD morre aos 21 anos

A estrela do hip-hop norte-americano Juice WRLD faleceu este domingo (8), depois de sofrer convulsões no Aeroporto de Midway, em Chicago, avança o TMZ. O rapper tinha feito 21 anos a 2 de dezembro. De acordo …

"A Favorita" arrebata prémios do cinema europeu

O filme "A Favorita", do realizador grego Yorgos Lanthimos, arrecadou oito prémios da Academia de Cinema Europeu, numa cerimónia realizada em Berlim. "A Favorita" conquistou, entre outros, os prémios de Melhor Filme Europeu, Melhor Comédia, Realização …

Belenenses 1-1 Porto | "Dragão" escorrega e deixa fugir líder

O FC Porto não foi além de um empate na visita ao Jamor, ante o Belenenses. André Santos abriu as “hostilidades” e Alex Telles, na marcação de uma grande penalidade, fixou o resultado final. Com esta …

Caligrafia desleixada de Isabel I denuncia-a como a tradutora anónima de um livro romano

A rainha Isabel I de Inglaterra foi identificada como a tradutora anónima do livro "Anais" de Tácito. As idiossincrasias da sua caligrafia acabaram por ser fundamentais para a descoberta. Na análise a uma tradução de século …

Hashtags políticas como #MeToo tornam as pessoas menos propensas a acreditar em notícias

Tendem a passarem despercebidas, mas as hashtags são mais importantes do que julgamos. A questão que se impõe é: serão benéficas para a saúde democrática da Internet? Uma hashtag (#) é uma marca funcional, amplamente usada …

Sporting 1-0 Moreirense | "Leão" resolve à cabeçada

O Sporting regressou às vitórias na Liga NOS, embora não sem sentir algumas dificuldades, em especial no ataque. Os "leões" bateram o Moreirense por 1-0, numa partida em que remataram muito (28, máximo na Liga até …

Orçamento do Estado. "Sentido de voto do BE está completamente em aberto"

A coordenadora do BE afirmou, este domingo, que o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado para 2020 está "completamente em aberto", desejando que o Governo socialista atenda às reivindicações bloquistas. "Fizemos uma …

João Cotrim Figueiredo eleito presidente da Iniciativa Liberal com 96% dos votos

João Cotrim Figueiredo foi eleito, este domingo, presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal, uma candidatura única que recolheu 96% dos votos na III Convenção Nacional do partido. A III Convenção Nacional do partido decorre hoje …

Inteligência artificial decifra manuscrito que pode mudar história da Austrália

A Terra Australis Incognita, hoje conhecida como Austrália, foi descrita por um jesuíta espanhol quase cem anos antes da descoberta em 1770 pelo marinheiro britânico James Cook, segundo um manuscrito decifrado através de inteligência artificial. A …