Treino de força reduz a ansiedade em jovens adultos

De acordo com um estudo recente, o treino de força pode ajudar o reduzir os níveis de ansiedade subclínica.

A investigação sobre ansiedade e depressão tende a centrar-se em indivíduos com sintomas de nível clínico — o que faz sentido, uma vez que existe indiscutivelmente uma maior urgência em encontrar soluções viáveis para estas populações.

No entanto, indivíduos mentalmente saudáveis também sentem ansiedade de vez em quando ou podem debater-se com níveis persistentes de ansiedade subclínica e leve.

Esses níveis subclínicos, por definição, precedem sempre os níveis clínicos, por isso, mantê-los baixos na população em geral é outra forma de garantir que os indivíduos se mantêm saudáveis, escreve o PsyPost.

Tendo em conta este raciocínio, uma equipa de cientistas decidiu investigar a relação entre o treino de força e os sintomas de ansiedade subclínica entre os jovens adultos. O estudo foi publicado na Scientific Reports.

Embora a musculação tenha demonstrado melhorar os sintomas de ansiedade em indivíduos com um distúrbio de ansiedade diagnosticado, o mesmo ainda não foi amplamente estudado em populações saudáveis.

Além disso, a maioria das investigações emprega metodologias que limitam a sua transferibilidade para estudos não laboratoriais. Os autores escolheram assim um programa de treino de força “ecologicamente válido”, que poderia ser realizado tão bem em casa, num ginásio ou num laboratório.

Cada um dos participantes completou um conjunto de questionários online, incluindo o Questionário de Diagnóstico Psiquiátrico de Rastreio-GAD (perturbação geral de ansiedade) e o Questionário de Preocupação Penn State de 16 perguntas.

Os resultados da prática de exercício mostraram que os sintomas de ansiedade — medidos antes da intervenção, na primeira semana, na quarta semana e após a intervenção — foram significativamente reduzidos.

Comparativamente com o grupo de controlo, no qual houve pouca alteração dos sintomas, as maiores diferenças ocorreram entre a linha de base e a primeira semana e entre a quarta semana e a pós-intervenção, com poucas alterações entre a primeira e a quarta semana.

Será necessária investigação adicional para compreender exatamente porquê e como é que o treino de força melhora os sintomas de ansiedade em populações saudáveis. mas os autores citam os aspetos sociais da prática de exercício, a expectativa de melhoria da saúde mental e os sentimentos de domínio (como a realização de objetivos).

As conclusões são particularmente importantes para o grupo etário alvo de 18 a 40 anos, que os autores selecionaram com base na idade média de início dos sintomas de ansiedade clínica — cerca de 30 anos. A redução dos níveis de ansiedade pré-clínica pode, de facto, impedir a sua evolução para uma desordem clínica, embora seja necessária mais investigação para confirmar esta hipótese.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Um carro movido a energia solar? Bom. Um carro-casa movido a energia solar para fazer 3 mil km? Melhor ainda

Projeto foi desenvolvido por estudantes universitários holandeses, cujo trabalho em veículos movidos a energia solar é já conhecido. O Stella Vita será testado numa viagem de longo curso pelo sul de Espanha já este mês, …

Há uma rua no Texas onde todas as casas foram impressas em 3D

Esta é a primeira comunidade de casas impressas em 3D nos EUA que está pronta a receber habitantes. A construção torna as habitações mais resistentes ao fogo e a inundações. Chama-se East 17th Street e fica …

A filha de Picasso doou nove obras do artista espanhol a França

A família de Pablo Picasso doou nove obras do artista ao Estado francês, que serão agora integradas no Museu Picasso, em Paris. Maya, a filha de Pablo Picasso, doou nove obras do artista como parte de …

Dormir bem? Depois da pandemia, não

O novo coronavírus criou uma "nação" de pessoas com insónias. Trabalhar menos horas pode ajudar. Insónias. Já eram um problema para muita gente até ao início de 2020 mas a pandemia que mudou o mundo também …

"Não posso ficar sentado a ver-nos voltar a 1972". Médico desafia a lei no Texas e admite que já fez um aborto

Um médico texano escreveu uma coluna de opinião no Washington Post a admitir que já fez um aborto no estado, depois da lei que proíbe interromper as gravidezes após seis semanas ter entrado em vigor. Em …

A cidade mais segura do mundo foi revelada (e é europeia)

Copenhaga foi eleita a cidade mais segura do mundo em 2021 pelo Índice de Cidades Seguras (SCI), da Economist Intelligence Unit. Quando se trata de escolher o destino a visitar, a segurança é um dos aspetos …

Benfica 3-1 Boavista | Águia evolui com Darwin para a vitória

Desde 1982/83 que o Benfica não vencia os primeiros seis jogos no Campeonato. Pois bem, na noite desta segunda-feira, os encarnados venceram o duelo ante o Boavista e fizeram xeque-mate graças ao bis de Darwin …

Milhões de pessoas em risco de tráfico e escravidão devido à crise climática, revela relatório

Milhões de pessoas forçadas a deixar as suas casas por causa da seca severa e ciclones correm o risco da escravidão moderna e de tráfico humano nas próximas décadas, alertou um novo relatório publicado esta …

Mercado teme corrida ao imobiliário com o fim dos vistos gold

A partir de janeiro, segundo as novas regras aplicáveis aos vistos gold, vão deixar de estar abrangidos os investimentos em imobiliário com destino a habitação em Lisboa, no Porto e no litoral. O regime que visa …

Desempregados inscritos no IEFP caem 10% em agosto

O número de desempregados inscritos no Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) voltou a cair, pelo quinto mês consecutivo. Agosto fechou com 368.404 desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego De acordo com os dados …