Toyota e Nissan recolhem 20 mil carros em Portugal por defeito no airbag

Toyota Motor Europe / Flickr

-

A Toyota e a Nissan vão recolher às suas oficinas em Portugal 17.500 e 2.500 veículos, respetivamente, devido a um defeito no airbag, produzido pela empresa Takata e que, a nível mundial está a afetar cerca de 6,5 milhões de carros das duas marcas.

Fonte oficial da Toyota em Portugal disse que a marca “tem realizado vários testes e investigações sobre o detonador de airbag Takata” e que, entre as peças analisadas no mercado japonês, “foi verificado que alguns elementos poderiam conter humidade com o passar do tempo”.

Como resultado, o airbag pode “não deflagrar de acordo com o projetado, em caso de acidente”, sendo que a “relação com a intrusão de humidade, se acontecer, com o risco de deflagração em condições não projetadas, não é conhecida”.

Assim, a marca representada em Portugal pelo grupo Salvador Caetano vai avisar os seus clientes para o defeito, no sentido de se dirigirem às oficinas para fazerem a reparação.

A Toyota avisa que para o problema do airbag do condutor estão abrangidas 1.544 viaturas em Portugal dos modelos Yaris, RAV4 e Hilux, produzidos entre julho de 2003 e dezembro de 2005. Já para o airbag do passageiro, o valor é bastante superior (16.030 unidades), contemplando os modelos Yaris, Corolla e RAV4 produzidos entre março de 2003 e março de 2007.

Segundo o porta-voz da Toyota, “dentro dos próximos dias, a Toyota Caetano Portugal vai contactar diretamente os clientes de viaturas envolvidas (por carta registada) para que, mediante a sua disponibilidade, se desloquem com as viaturas à rede oficial de concessionários Toyota”.

A Toyota Motor, líder mundial automóvel, anunciou uma revisão extraordinária de 4.999.000 carros da marca em todo o mundo por problemas relacionados com os airbag fabricados pela empresa nipónica Takata.

A maioria dos veículos que agora terão de ser revistos nas oficinas do fabricante foi vendida no Japão – 1,35 milhões -, na Europa – 1,26 milhões. Nos Estados Unidos, o principal mercado da Toyota, serão chamados à revisão 637 mil carros.

Envolvidos na inspeção extraordinária estarão 35 modelos de veículos fabricados entre março de 2003 e novembro de 2007.

Nissan

O mesmo irá fazer a Nissan, que em resposta à Lusa, disse que “em Portugal estão envolvidos 2.458 veículos produzidos, consoante o modelo, no período entre 4 de janeiro 2004 e 30 de março de 2007”.

Os modelos em questão são o Almera Tino e Terrano II, produzido em Espanha, o Almera, produzido em Inglaterra, e a pick-up X-Trail, produzida no Japão.

Fonte oficial da Nissan disse que a marca “vai começar a enviar cartas aos clientes mas dado serem veículos já com cerca de 10 anos, é possível que já não sejam propriedade do cliente inicial, ou que este tenha mudado de morada, pelo que nestes casos os atuais proprietários deverão contactar um concessionário Nissan, a partir de junho, para marcar a intervenção, a qual não terá quaisquer custos para o cliente“.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Há uma planta na Austrália que é masculina, feminina e bissexual

Cientistas da Bucknell University (Austrália) descobriram uma espécie de planta que pode ser masculina, feminina e bissexual. Os investigadores publicaram a descoberta na revista PhytoKeys e chamaram a amostra, que foi descrita em 1970, mas não …

Astrónomos descobrem a mais antiga colisão de galáxias conhecida

Uma equipa internacional de investigadores descobriram o exemplo mais antigo de uma colisão entre duas galáxias. A luz dessa fusão teve de viajar durante 13 mil milhões de anos para chegar até nós, uma vez …

Asteróide do tamanho da Torre Eiffel vai passar pela Terra. É a segunda maior aproximação em 120 anos

Na segunda-feira, dia de S. João no Porto, um asteróide muito grande - que pode ser tão grande como a Torre Eiffel - vai passar pela Terra a mais de 45 mil quilómetros por hora. O …

As eleições foram repetidas em Istambul. Erdogan voltou a perder (e por mais)

O candidato da oposição Ekrem Imamoglu ganhou hoje de novo as eleições municipais em Istambul, após a anulação de uma primeira votação, infligindo ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, o pior revés eleitoral em 17 …

No Azerbaijão, há chamas que ardem há quatro mil anos

Chamas altas dançam sem descanso num trecho de 10 metros de encosta. É o Yanar Dag - que significa "montanha em chamas" - na Península Absheron, no Azerbaijão. "Este fogo queimou 4.000 anos e nunca parou", …

A lendária Cidade Perdida do Deus Macaco é um refúgio de espécies "extintas"

A Cidade Branca, imponente sítio arqueológico detetado em 2012 nas selvas das Honduras, é também um "ecossistema prístino e próspero, cheio de espécies raras e únicas". A ONG americana Conservation International chegou a essa conclusão depois …

As mulheres têm mais doenças autoimunes do que os homens. A culpa pode ser da placenta

A hipótese da compensação da gravidez mostra que a evolução pode ter tido um papel importante no sistema imunológico das mulheres. Há cerca de 65 milhões de aos, depois da época dos dinossauros, surgiu o primeiro …

Cientistas conseguiram registar canto de uma das baleias mais raras do mundo

Cientistas conseguiram, pela primeira vez, registar sons de um pequeno grupo de baleias-francas-do-pacífico (Eubalaena japonica). Pela primeira vez, investigadores da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA) conseguiram gravar sons de um pequeno grupo de baleias-francas-do-pacífico (Eubalaena …

Único racismo português "é contra os ciganos" (e Portugal devia pedir-lhes desculpa)

O antropólogo e investigador José Pereira Bastos defendeu este domingo que Portugal deveria pedir desculpa aos ciganos e resolver o problema da habitação, apontando que não adianta de nada haver um Dia Nacional do Cigano. O …

Redes sociais podem ser uma ameaça para as experiências médicas

As redes sociais podem afetar severamente a maneira como se conduzem experiências médicas. A comparação de resultados entre voluntários, por exemplo, pode influenciar os resultados obtidos. Testar novos tratamentos farmacêuticos é um processo complicado. Muitas vezes, …