/

Tondela 1-3 FC Porto | Hat-trick de Taremi castiga insolência beirã

Fernando Veludo / Lusa

O iraniano Mehdi Taremi foi a grande figura da vitória do FC Porto em casa do Tondela, por 3-1. Os homens da casa marcaram primeiro, mas cedo se viram reduzidos a dez elementos e tiveram pela frente um ponta-de-lança verdadeiramente mortífero.

Taremi bisou na primeira parte, fez mais um na segunda e desenhou números de naturalidade à vitória dos “dragões”, que foram sempre superiores, reagindo de pronto à “insolência” dos beirões, que chegaram a estar em vantagem.

Aos quatro minutos cheirou a surpresa, com o golo de Neto Borges para os homens ada casa, a desviar de cabeça um livre cobrado por Salvador Agra.

Porém, não durou muito essa sensação, pois o Porto assumiu desde cedo as despesas ofensivas e chegou ao empate aos 20 minutos, por Mehdi Taremi, no quinto remate portista, primeiro com boa direcção.

Pouco antes da meia-hora, Iker Undabarrena viu vermelho directo, por travar Taremi em falta quando este se ia isolar, após erro tremendo de Eduardo Quaresma.

Com superioridade numérica, o Porto empurrou o Tondela para o seu terço defensivo, ganhou vários livres em zona frontal e chegou ao 2-1 perto do intervalo, com Taremi a bisar em recarga a defesa incompleta de Trigueira, que não conseguiu travar um livre relativamente fraco de Uribe.

As diferenças entre a primeira e a segunda partes não foram substanciais, exceptuando pelos golos. O recuo natural do Tondela retirou espaços de manobra aos “dragões” e reduziu o número de incursões perigosas dos beirões junto da área de Diogo Costa.

O terceiro dos portistas surgiu somente aos 80 minutos, quando Fábio Vieira encontrou Taremi na área e o iraniano não enjeitou a possibilidade de fazer um “hat-trick”. Estava feito o resultado, pois o Porto reduziu a intensidade, satisfeito com a vantagem alcançada.

Melhor em Campo

A noite foi de Taremi. O ponta-de-lança iraniano puxou para si as luzes da ribalta, assumindo a totalidade das despesas ofensivas dos “azuis-e-brancos” com o primeiro “hat-trick” registado esta temporada na Liga Bwin.

Além dos três golos, Mehdi foi o mais rematador, com cinco disparos, enquadrou quatro e registou sete acções com bola na área beirã. O seu GoalPoint Rating de 8.8 só não é mais elevado porque desperdiçou uma ocasião flagrante.

Destaques do Tondela

Neto Borges 6.1 – O melhor elemento do Tondela. O lateral-esquerdo brasileiro esteve vários patamares acima dos seus companheiros de equipa, somando um golo em dois remates, ambos enquadrados, completou duas de três tentativas de drible e fez dois desarmes.

Renat Dadashov 5.3 – O ponta-de-lança azeri não teve medo de enfrentar a defesa portista. Apesar de não ter marcado ou até rematado, atirou-se a sete duelos aéreos ofensivos, tendo ganho três, e ainda fez três acções defensivas no meio-campo contrário.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Eduardo Quaresma 5.3 – O terceiro melhor rating do Tondela, mas a sua exibição fica marcada pelo minuto 28, no qual cometeu dois erros infantis, o último a terminar com Taremi isolado, “obrigando” Iker Undabarrena a fazer a falta com que deixou a sua equipa em inferioridade numérica. Lado positivo os quatro alívios que realizou.

Destaques do Porto

Vitinha 7.3 – Está feito um senhor jogador. Vitinha foi o “patrão” do meio-campo e jogou tanto que, apesar de não ter estado directamente envolvido em golos, registou o segundo rating da noite. Ao todo foram cinco passes para finalização (máximo do jogo), 84 acções com bola (valor mais elevado), dois dribles completos em três, sete recuperações de posse e quatro acções defensivas no meio-campo contrário.

Matheus Uribe 6.4 – O médio colombiano esteve em todo o lado, demonstrando uma assinalável entrega a todo e qualquer duelo. Dono de três remates, todos de fora da área, fez cinco passes ofensivos valiosos, acertou os cinco passes longos que tentou, registou cinco desarmes, três intercepções e cinco acções defensivas no meio-campo contrário.

João Mário 6.4 – O lateral-direito esteve muito em jogo, canalizando muito do futebol portista pelo seu flanco. João Mário fez uma assistência em dois passes para finalização, teve êxito nos dois cruzamentos de bola corrida que realizou, errou apenas quatro de 49 passes e somou o terceiro valor mais alto de acções com bola na área contrária. A corrigir os cinco mais controlos de bola.

Iván Marcano 5.9 – Esta noite foi o parceiro de Pepe no centro da defesa. Em 53 passes completou 50, ganhou os dois duelos aéreos defensivos em que participou e recuperou cinco vezes a posse de bola.

Fábio Vieira 5.7 – O médio entrou para jogar o último quarto-de-hora e não demorou a descobrir Taremi no lance do 3-1, num dos dois passes para finalização que realizou.

Sérgio Oliveira 5.7 – Entrou ao mesmo tempo que Fábio e terminou praticamente com a mesma nota, com destaque para 12 passes certos em 13, dois deles para finalização.

Luis Díaz 5.7 – O extremo colombiano deu tudo, a atacar e até a fazer “piscinas” para ajudar na defesa. Porém, esta foi uma noite de trabalho e de menor inspiração, pois fez quatro remates e não enquadrou nenhum. Ainda assim são de destacar os oito passes ofensivos valiosos, os 11 passes aproximativos recebidos, as 13 acções com bola na área contrária, as seis conduções aproximativas e as três super aproximativas, tudo máximos do encontro.

Zaidu 5.6 – A sua velocidade foi importante para acompanhar as descidas vertiginosas de Murillo. Mas pouco mais acrescentou Zaidu ao jogo, tendo tido acção quase nula no aspecto ofensivo.

Otávio 5.6 – Já o vimos fazer melhores jogos, ainda assim realizou três passes para finalização e sete recuperações de posse.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Pepe 5.6 – Ia borrando a pintura na segunda parte, ao deixar Dadashov roubar-lhe a bola e quase isolar-se – o que valeu um amarelo ao central portista. Pepe esteve bem sobretudo no passe, com 62 completos (máximo do jogo), com destaque para oito longos certos em dez e nove passes aproximativos.

Evanilson 4.4 – O brasileiro foi titular, actuou pouco mais de 70 minutos, mas passou ao lado do jogo, com destaque apenas para dois dribles eficazes.

Resumo

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.