Timor-Leste prepara mandado de captura para casal português que fugiu para a Austrália

Nuno Veiga / Lusa

Casal português condenado em Díli por peculato

O procurador-geral da República timorense, José Ximenes, disse à Lusa que as autoridades timorenses preparam um mandado de captura para o casal português Tiago e Fong Fong Guerra que fugiu na semana passada para a Austrália.

José Ximenes confirmou que estava a ser preparado um mandado, mas escusou-se a confirmar se já tinha sido ou não emitido e se era um mandado nacional ou internacional. “Prefiro não fazer comentários adicionais sobre o caso neste momento”, disse à Lusa num intervalo da reunião mensal do Conselho Superior do Ministério Público (CSMP) onde, confirmou fonte judicial, o assunto foi analisado.

José Ximenes também se escusou a comentar sobre o conteúdo de um documento preparado por um magistrado da Procuradoria-Geral da República (PGR), obtido pela Lusa, que acusa a Embaixada de Portugal de ter auxiliado à fuga do casal.

O documento diz que o casal tinha os passaportes “confiscados”, mas que “no dia 27 de outubro, a Embaixada de Portugal emitiu novos passaportes para os arguidos Tiago Guerra, com o número C580008 e para Chang Fong Fong com o número C580007, para permitir que escapassem para Darwin, de barco”.

O documento, preparado pelo procurador Rogério Viegas Vicente, tem no mesmo parágrafo um pedido de alteração da medida de coação aplicada ao casal, de termo identidade e residência para prisão preventiva e, consequentemente um pedido de emissão de mandado de captura.

O texto – que que não tem data nem assinatura, mas foi facultado à Lusa por fonte da PGR – pede ainda a extradição do casal de Darwin para Timor-Leste, referindo as circunstâncias em que a PGR foi informada, a 9 de novembro, da chegada dos portugueses à Austrália. “Um membro da Polícia Federal Australiana, Chris Hansen, atualmente destacado no Programa de Desenvolvimento da Polícia de Timor-Leste, disse ter recebido um email da Polícia de Imigração em Darwin, no Território Norte da Austrália indicando que os dois arguidos estavam na Austrália e iam continuar nessa noite a sua viagem para Portugal”, refere o texto.

O procurador explica no texto, escrito em inglês, que os arguidos “violaram as medidas que lhe estavam aplicadas e os proibiam de viajar para o estrangeiro” e cita vários artigos do Código do Processo Penal referentes às circunstâncias em que se justifica a alteração das medidas de coação.

Fonte do Ministério Público confirmou à Lusa que agentes da Polícia Nacional de Timor-Leste e um agente da polícia australiana estiveram no edifício da PGR “para tratar deste caso”. Outra fonte da PGR timorense disse que o assunto foi discutido durante a reunião do Conselho Superior do Ministério Público (CSMP), liderada pelo procurador-geral.

Elementos da equipa de defesa do casal tanto em Timor-Leste como em Macau confirmaram à Lusa que até ao início da tarde “não foi recebida qualquer notificação ou informação” sobre o caso e que a única informação que têm veio da imprensa.

Até às 14 horas (hora local em Díli, 5:00 em Lisboa) não havia no site da Interpol qualquer registo dos dois portugueses na base de dados das “Notificações Vermelhas“, onde se registam pedidos de localização ou detenção de pessoas procuradas tendo em vista a sua extradição.

A Austrália não tem acordo de extradição com Timor-Leste e os dois portugueses, que estão detidos num centro para imigrantes ilegais próximo do aeroporto de Darwin, viajavam com documentos portugueses válidos.

Os portugueses Tiago e Fong Fong Guerra, condenados em Timor-Leste a oito anos de prisão por peculato, fugiram do país e estão detidos em Darwin, no Território Norte da Austrália onde entraram ilegalmente de barco na passada quinta-feira.

“Dois cidadãos portugueses foram detidos por agentes da ABF (Australian Border Force) no dia 9 de novembro depois de chegarem ilegalmente a Darwin. Como as investigações sobre este assunto ainda decorrem não haverá mais comentários”, refere uma breve resposta por escrito enviada à Lusa pela ABF.

A 24 de agosto um coletivo de juízes do Tribunal Distrital de Díli condenou o casal de portugueses Tiago e Fong Fong Guerra a oito anos de prisão efetiva e uma indemnização de 859 mil dólares por peculato.

O casal, que recorreu da sentença, estava submetido a apresentações semanais junto das autoridades timorenses.

Governo português já ativou mecanismo de proteção consular

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, confirmou que os portugueses estavam detidos em Darwin e que já tinha sido ativo o mecanismo de proteção consular.

“O apoio consular é um dever do Estado português e um direito do cidadão, independentemente da situação jurídica em que este se encontre”, referiu Santos Silva em Bruxelas, onde participou num encontro entre os ministros responsáveis pelos Negócios Estrangeiros dos Estados-membros da União Europeia.

“Aplicar-se-á aqui a lei do Estado australiano e aplicar-se-á a lei internacional caso venha a ser ativado alguns dos mecanismos por parte da Justiça de Timor Leste”, acrescentou.

Santos Silva confirmou ainda que os portugueses foram detidos porque não tinham documentos para entrar em território australiano. “O respeito pela lei e sistema judicial de Estados terceiros leva-me a não fazer nenhuma espécie de comentário sobre o processo judicial que corre em Timor”.

Os casal de portugueses renovou os cartões de cidadão no início de 2017 e “ainda mais recentemente” pediram passaportes portugueses, que lhes foram emitidos. “À luz da lei de Portugal, têm direito ao passaporte”, esclareceu.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pó de talco para bebés tem amianto (e a Johnson & Johnson sabia há décadas)

O conhecido pó de talco para bebés da marca Johnson & Johnson contém vestígios de amianto, substância considerada cancerígena, há várias décadas, de acordo com uma investigação da Reuters que garante que a empresa tinha …

Registo da atribuição do caso Sócrates a Carlos Alexandre desapareceu

O registo da atribuição do processo da Operação Marquês ao juiz Carlos Alexandre, em 2014, desapareceu do sistema informático Citius. Quem o diz é o juiz Ivo Rosa, que decidirá se o caso segue ou …

Alemanha soube mais do que Portugal. Bloco exige explicações do Governo

O Parlamento alemão terá discutido e votado um documento com as condições exigidas a Portugal para o pagamento antecipado ao FMI, enquanto que a Assembleia da República portuguesa não teve acesso a essa informação. O Bloco …

“Eu sei cortar”. Turquia revela áudio de assassino de Khashoggi

Foi divulgada mais uma prova do assassinato do jornalista saudita, Jamal Khashoggi, no consulado saudita em Istambul: uma gravação captada no momento do crime, na qual se ouve um dos assassinos dizer “eu sei cortar”. Quem …

Comité que planeou tomada de posse de Trump investigado

O comité que organizou a tomada de posse de Donald Trump está a ser investigado por suspeitas em torno do uso de 107 milhões de dólares que lhe chegaram através de donativos. A investigação, ainda embrionária, …

Catástrofe cósmica pode ter aniquilado tubarões pré-históricos gigantes

A explosão de estrelas há 2,6 milhões de anos pode ter contribuído para a extinção em massa que varreu os oceanos pré-históricos da Terra, eliminando criaturas como o tubarão gigante conhecido como Megalodon. Partículas cósmicas destas …

"Coletes Amarelos" já chegaram a Israel. Protestam contra a subida de preços

Algumas centenas de manifestantes com coletes amarelos e imitando a contestação em França protestaram esta sexta-feira em Telavive e Jerusalém contra o aumento do custo de vida anunciado para 2019. Respondendo a um apelo nas redes …

Silvano apoia sanções a presenças-fantasma desde que se separem registos

O secretário-geral do PSD disse que apoiará sanções que venham a ser incluídas no regulamento da bancada para falsas presenças de deputados, desde que exista uma separação entre o registo de acesso ao sistema e …

Caçador da Idade da Pedra não foi vítima de canibalismo. Foi queimado vivo

O crânio partido de um caçador que viveu há cerca de 8.000 anos não é evidência de canibalismo, como os investigadores pensavam anteriormente. Em vez disso, o caçador morreu num terrível assassinato, sugere um novo …

Mordida de formiga "drácula" é cinco mil vezes mais rápida que um piscar de olhos

A formiga "drácula", nome popular da Mystrium camillae, é um inseto que vive no Sudeste Asiático e na Oceânia. A sua mordida é a mais rápida do mundo animal, com velocidade de 320 quilómetros por …