Uma tese de doutoramento levou Marcelo à capa do El País

José Sena Goulão / Lusa

A tese de doutoramento sobre Marcelo Rebelo de Sousa é de autoria de uma professora universitária e jornalista da RTP. O tema já chegou ao jornal espanhol El País.

O jornal percorre as provas de popularidade de Marcelo Rebelo de Sousa. Fala nos abraços que dá aos portugueses com que se vai cruzando nas viagens que vai fazendo pelo país, no contacto com sem-abrigo, no facto de ter deixado cair a ligação partidária e também na sua presença na política portuguesa e nos problemas que as suas declarações vão trazendo ao Governo.

O artigo é escrito devido à existência da tese de doutoramento da autoria da jornalista da RTP, Sandra Sá Couto, que é também professora na Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

“O Presidente-Celebridade” dá nome à tese. “A minha primeira dificuldade foi justamente perceber se havia de categorizar Marcelo Rebelo de Sousa como político celebridade ou como celebridade política, e até ao final a dúvida manteve-se”, disse Sandra Sá Couto.

Ao jornal da instituição, o JPN, a académica contou, em entrevista, que há algo de novo em Marcelo Rebelo de Sousa – desde logo por ser chamado pelo primeiro nome: “Marcelo é alguém que se senta no passeio com um sem-abrigo a comer pão, mas é alguém a quem o povo português reconhece saber e credibilidade para governar”.

Sandra Sá Couto explicou que, ao tentar perceber quais as razões do encanto pelo Chefe de Estado, concluiu que se justifica não só com o impacto que gerou nos media, mas também com o “desencanto das pessoas com os partidos políticos tradicionais”.

“Afastar os políticos não é, apesar de tudo, fazer campanha contra eles. Marcelo Rebelo de Sousa não critica a classe política, simplesmente considera que a sua mensagem – enquanto candidato – é mais eficaz se não estiver formatada e comprometida com os partidos que o apoiam. Além de que é, também, naturalmente uma tentativa de chegar a eleitores que não são da sua área política”, disse a professora ao Observador.

Mas essa figura distinta do restante cenário político não limita à sua autoridade, comprova o El País. No artigo, é relatada uma cena que envolve Marcelo Rebelo de Sousa. Costuma jantar com os correspondentes estrangeiros em Portugal.

“No primeiro jantar, depois de quatro horas de conversa, um dos jornalistas começou a bater repetidamente com a colher na taça do café”, escreve o jornal. A mensagem foi percebida e a reunião acabou. No jantar seguinte, a associação dos jornalistas recebeu uma nota da presidência com uma sugestão: “que a colher não aparecesse no jantar”.

Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito presidente da República em janeiro de 2016 com 52% dos votos. O mandato presidencial termina em 2021, mas o atual Presidente já admitiu que se poderá recandidatar.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Sandrinha a menina “doutoranda” por favor defenda a tese depressa. Caso contrário correrá o risco de se encontrar desactualizada (excepto nas premissas do estado da arte, se o júri não for exclusivamente composto por docentes compinchas
    Manuel

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …

Novo lay-off conta apenas com 1% das adesões do simplificado

O sucedâneo do lay-off simplificado conta apenas com 1.268 adesões nas primeiras duas semanas. Este valor é apenas 1% do número de empresas que acederam ao primeiro apoio. Nas primeiras duas semanas desde a sua implementação, …