/

Teme-se que a violência doméstica dispare depois dos incêndios da Califórnia

Elza Fiúza / ABr

Teme-se que os casos de violência doméstica disparem depois de os incêndios da Califórnia serem extintos, avança a revista norte-americana Vice, que ouviu responsáveis por espaços de abrigo para as vítimas.

Desastres naturais de grandes dimensões no passado dos Estados Unidos foram seguidos por uma “onda” de casos de violência doméstica e os especialistas alertam agora que o mesmo pode acontecer após os fogos da Califórnia, que já queimaram mais de 1,4 milhões de hectares na região e fizeram, pelo menos, 26 vítimas mortais.

Segundo a Vice, imediatamente após os incêndios florestais de 2018 na Califórnia, que ficaram conhecidos como Camp Fire, as linhas de apoio da organização sem fins lucrativos Catalyst Domestic Violence Services na cidade de Chico deixaram de receber chamadas.

Contudo, meses depois, quando já os incêndios deixaram de lavrar no estado norte-americano, os telefones do abrigo voltaram a tocar, registando-se um maior número de pedidos de abrigo, bem como mais sobreviventes a pedir ordens de restrição.

Todos estes números foram registados em níveis muito acima do normal.

“Aconteceu quase da noite para o dia (…) É como reiniciar o computador e todos os programas aparecerem de uma só vez”, disse Anastacia Snyder, diretora executiva da organização sem fins lucrativos, em declarações à Vice.

Mas este não foi caso único. Um ano antes de Camp Fire, chuvas torrenciais e as inundações resultantes no norte da Califórnia danificaram uma barragem nas proximidades. Quase 200.000 pessoas foram deslocadas na época e, alguns meses depois de a região se estabelecer, os telefones de Catalyst voltaram a tocar sem parar.

A Vice escreve ainda que este padrão – que associa grande desastres naturais a um grande aumento de casos de violência doméstica – repete-se e não é só com o abrigo de Catalyst.

Na província de Alberta (Canadá), os incêndios de maio de 2016 também obrigaram dezenas de pessoas a abandonarem as suas casas.

A diretora executiva do centro de  Waypoints, na região, disse à revista que já contava com um aumento de casos, uma vez que a sua equipa estava já ciente de uma ligação entre desastres naturais e abusos e, por isso, começaram desde cedo a prepara-se.

Estávamos prontos para um aumento de 300%“, disse Michele Taylor.

Especialistas e autoridades temem agora que o mesmo volte a acontecer na Califórnia.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.