O Tejo é uma ribeira que se atravessa a pé (e a culpa é da falta de chuva)

Os números oficiais e o próprio Governo confirmam: o Tejo tem recebido muito menos água do que nos últimos anos, que já tinham sido de seca. Agora, teme-se mesmo que o rio seque.

A falta de chuva está a reduzir os caudais do rio Tejo para níveis que nunca foram tão baixos. Os dados oficiais confirmam que a água a chegar à primeira barragem do lado português diminuiu para menos de metade desde janeiro deste ano, em comparação com igual período de 2018 e 2017.

À TSF, Francisco Pinto, pescador que nasceu “praticamente no rio”, conta que, em mais de 40 anos de rio, não se lembra de um mês como este último, em que o rio mais extenso da Península Ibérica tivesse um volume de água tão baixo.

“Se pegar numa canoa, a seguir à barragem vai remar, no máximo, 200 metros. A partir daí vai ter de puxar a canoa à mão enquanto anda pelas pedras”, afirma.

Ricardo Vermelho, também pescador, relata o mesmo cenário, adiantando que não se lembra de ter visto o Tejo entre os concelhos de Mação e Gavião, até Abrantes e mais à frente Constância, com tão pouca água – nem no inverno, nem no outono, nem na primavera, nem no verão.

“Se isto continuar assim, com a pouca água e o calor, os poucos peixes que restam vão todos morrer. Agora não há poluição, mas também não há água”, lamenta.

A água, “que já era pouca”, desapareceu ainda mais no último mês. Agora, este rio parece uma ribeira, com troços “onde a água não chega aos calcanhares“.

Segundo as contas feitas pela TSF, com base nos dados no site da Agência Portuguesa do Ambiente, confirmam que a água que chegou desde janeiro à Barragem do Fratel, a primeira do lado português, é menos de metade do que aconteceu nos mesmos meses de 2017 e 2018.

Questionado pela rádio, o Ministério de Ambiente garante que os caudais mínimos assinados com Espanha estão a ser cumpridos. No entanto, confirma que, este ano, o rio Tejo está a receber menos água do que nos últimos anos, numa queda que se agravou imenso neste mês de março.

O facto de as barragens do Tejo no lado vizinho estarem com menos água ajuda a explicar que Espanha esteja a libertar menos água.

“Este ano os valores de precipitação na bacia portuguesa correspondem a menos de 50% do valor normal e na bacia espanhola a situação é mais gravosa do que aquela que se verificou em 2017 e 2018”, pelo que “efetivamente os caudais lançados estas últimas semanas comparativamente aos anos de 2018 e 2019 são inferiores”, adianta o ministério.

O Tejo arrisca-se mesmo a secar e os pescadores e ambientalistas estão muito preocupados com essa situação. Arlindo Marques, conhecido como o “guardião do Tejo” pela sua luta em defesa do rio, confessa à TSF que está muito preocupado.

“Antes, de vez em quando, o Tejo também ia assim, mas agora é semanas com caudais muito reduzidos, diminutos… Não sei o que vai dar, mas está muito pouca água e, se não chover mais, tenho mesmo medo que seque… É terrível o que se está a passar”, remata.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Lisboa pode receber a final deste ano da Liga dos Campeões

Istambul não está agradada com a ideia de receber a final da Liga dos Campeões sem adeptos no estádio. Por isso, outras hipóteses estão a ser consideradas, nomeadamente Lisboa. A final da Liga dos Campeões está …

Há mesmo algo de reconfortante quando dizemos palavrões

Um novo estudo sugere que, nas circunstâncias certas, dizer palavrões em voz alta parece fazer as pessoas sentirem menos dor. Exatamente como e porque é que o ato de dizer asneiras consegue fazer com que as …

"Paraministro" de Costa. Gestor independente chamado para negociar plano económico de retoma

O primeiro-ministro, António Costa, convidou o diretor executivo da petrolífera Partex, António Costa Silva, para estudar o plano de recuperação económica. De acordo com o semanário Expresso, que avança a notícia na sua edição deste …

Termina o dever cívico de confinamento

O Conselho de Ministros aprovou esta sexta-feira o fim do “dever cívico de recolhimento”, que entrará em vigor na próxima segunda-feira, prevê a resolução que prolongou a situação de calamidade até 14 de junho. A situação …

"Ratos" de musgo espalham-se pelos glaciares do Ártico (e intrigam cientistas)

A presença de estranhas bolas de musgos nos ecossistemas de glaciares tem atraído a atenção da comunidade científica. Estas estranhas criatura proliferam no Ártico, mas também em regiões da Islândia e América do Sul. Especialistas de …

Há 29 países que podem visitar a Grécia a partir de 15 de junho. Portugal ficou de fora

A partir de 15 de junho, cidadãos oriundos de 29 países poderão visitar a Grécia, revelou esta sexta-feira o Governo helénico, dando conta que a lista elaborada teve em conta a situação epidemiológica de cada …

Portugal Continental não vai ter quarentena para turistas

O primeiro-ministro, António Costa, garantiu esta sexta-feira que Portugal continental não vai aplicar normas de quarentena para quem vier de fora do país. No final de um Conselho de Ministros de quase oito horas, que se …

Jovem de 19 anos morre atingido por disparos durante protesto pela morte de George Floyd

Um jovem de 19 anos morreu depois de alguém que seguia num carro ter disparado sobre uma multidão de pessoas que protestavam contra o homicídio do afro-americano George Floyd, indicou uma porta-voz da polícia de …

O campo magnético da Terra está a enfraquecer misteriosamente

Novos dados de satélite da Agência Espacial Europeia (ESA) mostram que o campo magnético da Terra está a enfraquecer entre África e a América do Sul. O enfraquecimento do campo magnético da Terra está relacionado com …

Morreram os primeiros dois capacetes azuis vítimas da covid-19

Dois militares da força de manutenção da paz das Nações Unidas no Mali morreram devido à covid-19, os primeiros entre cerca de 100.000 soldados e polícias destacados em 15 missões no mundo. "Infelizmente, ontem [quinta-feira] e …