O Tejo é uma ribeira que se atravessa a pé (e a culpa é da falta de chuva)

Os números oficiais e o próprio Governo confirmam: o Tejo tem recebido muito menos água do que nos últimos anos, que já tinham sido de seca. Agora, teme-se mesmo que o rio seque.

A falta de chuva está a reduzir os caudais do rio Tejo para níveis que nunca foram tão baixos. Os dados oficiais confirmam que a água a chegar à primeira barragem do lado português diminuiu para menos de metade desde janeiro deste ano, em comparação com igual período de 2018 e 2017.

À TSF, Francisco Pinto, pescador que nasceu “praticamente no rio”, conta que, em mais de 40 anos de rio, não se lembra de um mês como este último, em que o rio mais extenso da Península Ibérica tivesse um volume de água tão baixo.

“Se pegar numa canoa, a seguir à barragem vai remar, no máximo, 200 metros. A partir daí vai ter de puxar a canoa à mão enquanto anda pelas pedras”, afirma.

Ricardo Vermelho, também pescador, relata o mesmo cenário, adiantando que não se lembra de ter visto o Tejo entre os concelhos de Mação e Gavião, até Abrantes e mais à frente Constância, com tão pouca água – nem no inverno, nem no outono, nem na primavera, nem no verão.

“Se isto continuar assim, com a pouca água e o calor, os poucos peixes que restam vão todos morrer. Agora não há poluição, mas também não há água”, lamenta.

A água, “que já era pouca”, desapareceu ainda mais no último mês. Agora, este rio parece uma ribeira, com troços “onde a água não chega aos calcanhares“.

Segundo as contas feitas pela TSF, com base nos dados no site da Agência Portuguesa do Ambiente, confirmam que a água que chegou desde janeiro à Barragem do Fratel, a primeira do lado português, é menos de metade do que aconteceu nos mesmos meses de 2017 e 2018.

Questionado pela rádio, o Ministério de Ambiente garante que os caudais mínimos assinados com Espanha estão a ser cumpridos. No entanto, confirma que, este ano, o rio Tejo está a receber menos água do que nos últimos anos, numa queda que se agravou imenso neste mês de março.

O facto de as barragens do Tejo no lado vizinho estarem com menos água ajuda a explicar que Espanha esteja a libertar menos água.

“Este ano os valores de precipitação na bacia portuguesa correspondem a menos de 50% do valor normal e na bacia espanhola a situação é mais gravosa do que aquela que se verificou em 2017 e 2018”, pelo que “efetivamente os caudais lançados estas últimas semanas comparativamente aos anos de 2018 e 2019 são inferiores”, adianta o ministério.

O Tejo arrisca-se mesmo a secar e os pescadores e ambientalistas estão muito preocupados com essa situação. Arlindo Marques, conhecido como o “guardião do Tejo” pela sua luta em defesa do rio, confessa à TSF que está muito preocupado.

“Antes, de vez em quando, o Tejo também ia assim, mas agora é semanas com caudais muito reduzidos, diminutos… Não sei o que vai dar, mas está muito pouca água e, se não chover mais, tenho mesmo medo que seque… É terrível o que se está a passar”, remata.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Inscrição hebraica com 2.800 anos revela antigo nome bíblico

Uma equipa de arqueólogos encontrou um jarro com 2.8000 anos com a inscrição em hebraico "Benayo" no sítio arqueológico de Abel Beth Maacah, no norte de Israel, local várias vezes mencionado na Bíblia Hebraica.  De …

Braga vence FC Porto e conquista Taça da Liga. Sérgio coloca lugar à disposição

O Sporting de Braga venceu hoje o FC Porto por 1-0 e conquistou a Taça da Liga, com Ricardo Horta a marcar o golo decisivo aos 90+5, garantindo um troféu que os bracarenses já tinham …

Rara moeda de ouro com a cara de Eduardo VIII vendida por preço recorde

Uma rara moeda de ouro com o perfil do rei britânico Edward VIII foi vendida a um comprador particular pelo valor recorde de 1,3 milhões de dólares. A informação é avançada pela Royal British Mint, a …

Depois dos incêndios, Austrália está prestes a experimentar uma "bonança" de aranhas mortais

Depois dos incêndios florestais que assolaram o país, os australianos começaram a implorar por chuva. O bónus de aranhas mortais não estava incluído no pedido, mas os especialistas do Australian Reptile Park acreditam que é …

Governo admite retirar cidadãos nacionais de Wuhan

As autoridades portuguesas estão a cooperar com outros países europeus para reforçar o apoio aos cidadãos nacionais que se encontram em Wuhan, onde ocorreram os primeiros casos do novo coronavírus, admitindo a possibilidade de retirá-los …

Os cogumelos podem ser muito mais antigos do que pensávamos

Os cogumelos podem ser mais antigos do que pensávamos, concluíram cientistas que dataram vestígios de micélio (constituinte dos cogumelos) com 800 milhões de anos, divulgou esta quarta-feira a Universidade Livre de Bruxelas, na Bélgica. Estudos anteriores …

Comer iogurte natural pode ajudar a reduzir o risco de cancro da mama

Uma das causas mais apontadas para o cancro da mama é a inflamação causada por bactérias nocivas. Esta tese ainda não foi provada, mas é apoiada pelas evidências até agora disponíveis de que a inflamação …

Primeiro caso suspeito de infeção por coronavírus detetado em Portugal

Foi detetado o primeiro caso suspeito de infeção infeção pelo novo coronavírus , em Portugal, anunciou este sábado a Direção-Geral de Saúde. “Este doente, regressado hoje [este sábado] da China, onde esteve na cidade de Wuhan …

Slava Semeniuta transforma chuva em atmosfera néon

O artista e fotógrafo russo Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, mistura elementos naturais e faz mágica com eles. Slava Semeniuta, também conhecido como Visual Scientist, retoca fotografias de poças de água para criar composições …

Empresa quer vender dispositivos que extraiem água potável do ar

A empresa israelita Watergen está a planear começar a vender uma versão para o consumidor do seu aparelho que extrai água potável do ar ainda este ano. A tecnologia do gerador atmosférico da empresa está em …