Há uma tecnologia que permite enviar mensagens através da pele

O dispositivo em causa traduz cada fonema da língua inglesa numa vibração distinta numa determinada parte do antebraço de pessoas previamente treinadas para as distinguir.

O ser humano demora séculos a desenvolver novas formas de comunicação. Em todo o mundo, falam-se cerca de sete mil idiomas distintos, muitos dos quais que se podem reproduzir de forma verbal, escrita ou através de sinais. O uso destes últimos é, normalmente, restrito a pessoas surdas que são incapazes de manter uma conversa falada, a menos que consigam ler os lábios da outra pessoa.

No entanto, nem todos os surdos têm o privilégio de se servir da visão para comunicar. A surdocegueira torna necessárias outras formas de comunicação, geralmente baseadas no tato.

Assim, a tecnologia que acaba de ser desenvolvida por investigadores da Universidade Purdue, em colaboração com o Facebook e o Massachusetts Institute of Technology (MIT), pode tornar-se muito útil.

Segundo o Hipertextual, trata-se de uma ferramenta computacional que traduz os fonemas da língua inglesa em diferentes tipos de vibração, emitidos no antebraço de uma pessoa previamente treinada para compreendê-los.

O professor de ciência da computação e engenharia elétrica da Universidade de Purdue, Hong Z.Tan, iniciou o desenvolvimento desta tecnologia háptica (baseada no toque) depois de ter sido desafiado pelo Facebook. Para isso, os investigadores tiveram de projetar uma linguagem inteira na forma de diferentes tipos de vibrações.

Numa primeira etapa, os fonemas foram distribuídos pelo braço de maneira semelhante à colocação da língua sobre a boca para pronunciá-los. Por exemplo, os sons emitidos na frente da boca, tais como “P” ou “b” foram codificados através de vibrações no pulso. Por outro lado, os fonemas da parte de trás da boca, como “g” ou “K” estão posicionados abaixo do cotovelo.

As vogais e as consoantes também diferem: as primeiras foram convertidas em vibrações que se deslocam; enquanto que as segundas foram transformadas em vibrações estacionárias.

As pessoas que experimentaram este dispositivo iniciaram o seu treino com alguns fonemas, mas conseguiram transmitir até 500 palavras. O desempenho variou de pessoa para pessoa, mas, no geral, todas conseguiram obter bons resultados algumas horas depois de terem aprendido estes “códigos”.

Os investigadores acreditam que este sistema pode ser adaptado a outros idiomas. Além disso, estão confiantes de que seria capaz de produzir sons da vida quotidiana, além de fonemas simples.

“Poderíamos facilmente criar novos padrões de estimulação háptica que codificariam sons como uma buzina ou uma torneira aberta”, explicou Tan. Trata-se, sem dúvida, de uma ferramenta que, no futuro, poderia dar muito que falar… mas só através da vibração.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Portugal deverá perder dois milhões de habitantes até 2080

A população residente em Portugal poderá baixar dos atuais 10,3 milhões de habitantes para 8,2 milhões em 2080, de acordo com projeções do Instituto Nacional de Estatística (INE) esta terça-feira divulgadas. Os mesmos dados indicam, porém, …

Ministro da Economia admite nacionalizar empresas em caso de necessidade para combater surto

O ministro Adjunto e da Economia, Pedro Siza Vieira, admitiu esta terça-feira a possibilidade do Estado vir a nacionalizar empresas, caso seja necessário para combater as consequências económicas do surto de Covid-19. "O Estado tem ferramentas …

Coutinho quer voltar à Premier League (e já há cinco clubes na corrida)

Philippe Coutinho está interessado em regressar à Premier League, havendo já cinco clube ingleses na corrida pelo internacional brasileiro. Manchester United, Arsenal, Chelsea, Tottenham e Leicester são os clubes interessados em levar Coutinho de volta …

China criou um sistema para rastrear doenças infecciosas. Falhou (e já se sabe porquê)

Em 2002, o vírus SARS saiu da província chinesa de Cantão e propagou-se por 37 países, provocando 774 mortos e mais de oito mil infetados. Para que não voltasse a acontecer, o país criou um …

Ministro holandês faz mea culpa. "Não fomos suficientemente empáticos" com o sul da Europa

O ministro das Finanças holandês reconheceu que foi infeliz nas posições que assumiu sobre a resposta económica à pandemia de covid-19, assumindo que mostrou pouca “empatia” com os países do sul da Europa. Em declarações à …

Estados Unidos admitem possibilidade de novo surto no outono

O diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos disse haver a possibilidade de o país enfrentar um novo surto depois do verão, mas lembrou que nessa altura "várias coisas vão …

Mortes em Portugal estão a aumentar desde o início do mês (sem contar com a Covid-19)

Já morreram mais pessoas em Portugal, neste ano, do que em igual período do ano passado, com especial destaque para o  mês de Março, onde a taxa de mortalidade aumentou, mesmo sem contar com as vítimas de …

PCP quer reabrir camas e decretar preços máximos nos combustíveis para enfrentar pandemia

O PCP apresentou um pacote extenso de propostas para fazer face aos impactos do surto de covid-19. Entre elas está a reabertura do Hospital Militar. O PCP apresentou um conjunto de medidas para fazer face ao …

Houseparty nega pirataria e oferece recompensa milionária a quem provar "campanha difamatória"

A aplicação favorita de quem está em quarentena está sob acusação de piratear contas de outras apps. A Houseparty nega e oferece uma recompensa de 1 milhão de dólares a quem provar a "campanha de …

"Agricultura não pára". Há trabalho no campo para os trabalhadores em lay-off

Com a época das colheitas à porta e a falta de braços no campo, a Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) vai propor ao Governo a criação de plataformas de emprego temporário para permitir aos …