TAP volta atrás na compra de carros de luxo para as chefias

3

Aero Icarus / Flickr

Aeronave Airbus A321-211 da TAP Air Portugal

A TAP voltou atrás na encomenda de 50 novos carros da BMW destinados às chefias e administradores e vai manter a atual frota mais um ano.

Após a onda de críticas que recebeu, a TAP anunciou hoje que voltou atrás na intenção de encomendar 50 novos carros da marca BMW para os administradores e chefias da empresa e que compra está suspensa para já.

Num comunicado enviado às redações, a Comissão Executiva da companhia aérea, liderada por Christine Ourmières-Widener, sublinha que a decisão de renovar a frota automóvel seria “menos onerosa”, mas diz também entender a reação e as críticas.

“A Comissão Executiva da TAP compreende o sentimento geral dos portugueses e, apesar da decisão que tomou quanto à frota automóvel ser a menos onerosa para a Companhia nas atuais condições de mercado, a TAP procurará manter a atual frota durante um período máximo de um ano, enquanto reavalia a política de mobilidade da Empresa”, lê-se no comunicado.

Recorde-se que esta quarta-feira, a CNN Portugal noticiou que a TAP tinha encomendado uma frota de 50 carros BMW para substituir a anterior frota da Peugeot usada pelas chefias e pelos administradores da empresa. Os novos carros tinham um valor de mercado que vai dos 52 aos 65 mil euros e eram são plug-in híbridos que deviam começar a chegar no início de 2023.

Em reação, o Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC) defendeu que a renovação da frota automóvel era ética e moralmente condenável, considerando que, se não for sinal de disponibilidade para subir ordenados aos tripulantes, é um ato de gestão “vergonhoso”.

Num comunicado aos associados, o SNPVAC assinalou que “foi com enorme estupefação e uma boa dose de vergonha alheia que os sindicatos, os trabalhadores do grupo TAP e os contribuintes portugueses foram confrontados com uma notícia que pode até ter uma rebuscada justificação económica, mas que é ética e moralmente condenável”.

O Presidente da República também comentou o caso, pedindo “bom senso” quando o país e o mundo atravessam um “período difícil”.

“Já falei em relação a várias entidades públicas no passado e em relação à distribuição de dividendos e em relação aos salários e entendo que quando se está num período de dificuldade deve fazer-se um esforço para dar o exemplo de contenção”, defendeu Marcelo Rebelo de Sousa.

  ZAP //

3 Comments

  1. Isto ficou muito pior , a emenda que o soneto. Então esta gentinha anda mesmo a brincar com o dinheiro. Quando não é deles é gastar à tripa-forra. Só por isto deveria ser tudo demitido. Mas o gordinho Costa, como só pensa em continuar a viver da política, que foi o que ele fez a vida toda – bem bom -, vê se mais uma vez passa pelos pingos da chuva, e diz …. chui, chui …. ninguém viu nem ouviu. Dá vómitos, decadência total a dita EU, e seus capos.

  2. Independentemente da aquisição avançar ou não, deviam rolar cabeças. Isto é inadmissível e mesmo um total ultraje e desconsideração pela boa gestão dos dinheiros públicos. Alguém deveria ser responsável por isto e demitir-se!
    Haja respeito pelo dinheiro que as famílias e as empresas pagam! TENHAM RESPEITO!

  3. Esta dita empresa TAP não devia ser publica, mas o sr. PS como de costume decidiu comprá-la de novo. Para Quê?? PARA TER LUGAR P/ OS BOYS , senão onde os coloca? A TAP após o 25 de Abril de 74 não tem razão de existir, devia ter sido vendida ou eliminada há décadas. A TAP foi criada devido ás ex colonias, como já não as temos porque razão andamos a DERRETER o dinheiro dos contribuintes nesta empresa de M—- ?? Não há dinheiro p/ as escolas, para os hospitais e há MILHÕES p/ a TAP?? Tenham BOm senso. Os políticos e governantes são do pior que existe …

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.