Sporting goleia no dérbi de futsal e Benfica fala em “noite de vale tudo”

Miguel A. Lopes / Lusa

O treinador do Benfica Pulpis reage durante o jogo frente ao Sporting da 9.ª jornada da Liga Portuguesa de Futsal.

O treinador do Benfica Pulpis reage durante o jogo frente ao Sporting da 9.ª jornada da Liga Portuguesa de Futsal.

Após o dérbi com o Sporting, o Benfica fez críticas à arbitragem, às forças policiais, aos adeptos sportinguistas e até à transmissão do Canal 11.

O Sporting assumiu a liderança isolada da fase regular do campeonato nacional de futsal ao vencer o Benfica, por 5-2, em jogo da nona jornada, marcado por uma expulsão para cada lado.

Os campeões nacionais e europeus, que até esta jornada dividiam o primeiro lugar com Benfica e Leões de Porto Salvo, beneficiaram ainda do empate destes últimos no sábado diante do Fundão (3-3).

Sabendo que em caso de vitória tanto Sporting como Benfica assumiriam a liderança, e tendo em conta que se tratava de um dérbi, o ambiente no Pavilhão João Rocha estava ao rubro.

A pouco mais de um minuto do final, o jogo teve de ser interrompido devido a desacatos entre adeptos do Benfica e do Sporting, o que obrigou à intervenção das forças policiais presentes nas instalações.

Posteriormente, o Benfica emitiu um comunicado sobre o que classifica de “vergonha no Pavilhão João Rocha”, fazendo críticas à arbitragem, às forças policiais, aos adeptos do Sporting CP e até à transmissão do Canal 11.

“O que se passou esta noite no Pavilhão João Rocha envergonha o Futsal, a Federação, os responsáveis pela arbitragem e os adeptos do Sporting. Uma lamentável noite de ‘Vale Tudo’ que em nada dignifica a modalidade e o espírito desportivo que deve sobrepor-se a qualquer rivalidade”, começaram por escrever os ‘encarnados’.

“A arbitragem voltou a assumir um protagonismo que se repudia”, escreveu o SL Benfica num dos três pontos do comunicado. As ‘águias’ explicam que “vários lances de análise clara foram decididos em sentido contrário, com sistemático prejuízo para o Benfica”.

O Benfica falou ainda de um “coro arruaceiro de insultos, provocações e intimidações que duraram a partida toda”.

“Como é que, mais uma vez, os adeptos do Sporting partem o vidro que está por detrás do banco de suplentes do Sport Lisboa e Benfica, ferindo inclusive um dos nossos jogadores?”, pergunta o clube.

O terceiro ponto é relativo à “reprovável carga policial sobre os adeptos do Benfica”, que vai levar o clube a “requerer às autoridades competentes explicações” que levaram as autoridades a investir sobre os adeptos benfiquistas.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Por fim, o comunicado realça ainda a transmissão televisiva do Canal 11, “sem repetições, sem imagens e sem comentários no momento quanto a tudo o que acima foi referido”.

O internacional português Afonso Jesus não foi opção de Pulpis para o dérbi, mas foi a voz ativa dos ‘encarnados’ em reação ao jogo.

“Acho que acima de tudo é agradecer aos adeptos que foram impecáveis como sempre. Dar uma palavra à nossa equipa, que foi incansável. Aquilo que esteve ao nosso dispor, fizemos, respeitámos o nosso processo, o Sporting”, começou por dizer o fixo de 23 anos.

“Mas parece-me que não vale tudo para ganhar. Não me refiro ao Sporting. Foi um dérbi bem disputado, mas há faltas que têm de ser assinaladas. É o melhor dérbi do mundo, mas tem de ser o melhor em tudo. Acima de tudo deixar uma palavra à equipa. Vamos trabalhar e no próximo dérbi estaremos cá para dar a cara”, acrescentou.

  Daniel Costa, ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.