Sondagem: Chega triplica votos e PSD aproxima-se do PS

De acordo com uma sondagem da Intercampus para ao Jornal de Negócios e Correio da Manhã, em dezembro, o PSD conseguiu encurtar a distância que o separa do PS. Enquanto isso, o Chega quase que triplica o resultado obtido nas eleições.

De acordo com a projeção, feita para o Jornal de Negócios e Correio de Manhã, o PS reúne 33,9% das intenções de voto contra 25,7% do PSD. Os socialistas perderam um ponto percentual enquanto os social-democratas subiram 0,8 pontos, o que, no total resulta de uma redução de 1,8, ficando a uma distância de 8,2 pontos. Em outubro, esta diferença encurtou-se ainda mais, passando de 10,8 para 8,2 pontos.

O Bloco de Esquerda (BE) ocupa a terceira posição, com intenções de voto estáveis, de 10,7%. Seguido do CDU, que cai de forma significativa face ao mês anterior para 6,3%, ficando em linha com o mês de outubro. O PAN mantém-se em quinto lugar conseguindo 6,1% das intenções de voto, o valor mais alto desde sempre.

O Chega também consegue um bom desempenho em dezembro e vê as suas intenções de voto passarem de 4,8% para 5,7%, ou seja, quase triplica o resultado obtido nas urnas a 6 de outubro.

O CDS recupera ligeiramente para 3,9%, contrariamente à Iniciativa Liberal que desliza para 2,4%. O Livre, que arrecadou 1,9% dos votos nas urnas e subiu nos barómetros seguintes para 2,7%, deslizou em dezembro para 1,09%.

A imagem de Rui Rio melhora enquanto a imagem de António Costa se degradou. Rui Rio recebe uma classificação de 3, que contrasta com os 2,7 do mês anterior, enquanto Costa passa de 3,2 para 3,1, ficando com a distância mínima face ao líder da oposição.

Porém, entre as principais figuras institucionais, Marcelo Rebelo de Sousa continua a ser quem recolhe melhor imagem: 4 valores em 5. Assunção Cristas, de saída do CDS, tem a pior nota.

A sondagem foi realizada entre 12 e 17 de dezembro, período que coincidiu com a entrega do Orçamento do Estado no Parlamento que ocorreu a 16 de dezembro.

ZAP //

PARTILHAR

19 COMENTÁRIOS

  1. Continuem a alimentar a criatura! O CHEGA é claramente o voto de protesto da população e à medida que o tempo passa e os tradicionais erros, asneiras, crimes, atos de corrupção à vista de todos e de forma impune da classe política se mantiverem esse partido estará sempre a aumentar nas intenções de voto. Os tradicionais partidos têm de repensar bem a sua atuação, sob pena de engordarem de forma perigosa esta criatura.

    • Queremos O André Ventura entre o PS e o PSD. E penso que chegará lá. Para pôr estes dois líderes em sentido .

  2. O CHEGA ainda vai dar que falar.
    Votar CHEGA é a única forma de enfrentar xuxalista, comunistas e bloquistas.
    Nem o pedófilo vai calar a voz do Chega.

  3. Com Socialistas, Bloquistas e Comunistas a quererem dar a quem não trabalha rendimentos que sairam dos bolsos de uma classe média cada vez mais pobre, não admira que o CHEGA cresca e continue a crescer. O nosso Governo nada faz para além de se preocupar com a sua própria imagem. Não me admiraria que em próximas eleições o CHEGA tivesse mais votos que o BE e passasse a ser a 3ª ou 4ª força politica. A nossa politica está desiquilibrada, a esquerda tomou o poder de assalto e tal como Sócrates que nos levou à banca rota também se prepara para dar a quem não merece à custa de uma brutal colecta de impostos que não tem paralelo na história democrática deste pais ( nem mesmo em Ditadura ou no tempo da monarquia, nem nos primórdios da criação do páis se pagava 35 % do que se ganhava … É um roubo.

        • Por acaso eu vivia melhor que agora, antes de 74. O dinheiro parecia que dava para tudo. Agora o dinheiro vale pouco. A vida é mais difícil. Eu que passei pelo antes e vivo o presente sei bem analisar as duas situações.

          • Eras tu e meia-dúzia de famílias (Espírito Santo, Champalimaud, etc) que vivam à grande (com a protecção do regime!), quando a restante população vivia como se sabe!…
            Um bando de parasitas que punha e disponha do país e dos restante portugueses, com o rei na barriga – como se fossem mais do que os outros!…
            Quando se sabe que a maioria da população passava fome e vivia na miséria, só mesmo alguém sem o mínimo de valores morais e de bom senso é que ainda tem coragem de escrever publicamente coisas como: “O dinheiro parecia que dava para tudo”!!
            Enfim…
            Foi pena que no 25 de Abril não tenham ido fazer companhia ao ditadorzeco que tanto admiram…

          • Será que vivia em Portugal? As pessoas têm memória curta, antes do 25 de Abril, a maioria das pessoas viviam sempre com as contas atrasadas, chamava-se e chama-se fiado. Perante o merceeiro da aldeia vinham pedir fiado que depois pagavam quando recebiam algum dinheiro quando vendiam os seus produtos provenientes da agricultura. Era assim que a economia vivia antes do 25 de Abril. Como é que existe pessoas que dizem que o dinheiro dava para tudo!!!!

            • Exacto, tal como eu escrevi, era assim para meia-dúzia de famílias privilegiadas e protegidas pelo regime vigente em Portugal – enquanto a grande a maioria da população era oprimida e passava fome!!
              Alguém ter coragem de dizer que era um desses privilegiados, como se isso fosse motivo de orgulho, já diz tudo sobre a moralidade desses comentadores!…

            • Sempre houve uns sacanas assim. O meu pai contou-me de um sujeito que, durante a 2.ª Guerra, quando havia racionamento, se exibia a enrolar tabaco com notas. Lucrava com o negócio do volfrâmio exportado para os alemães (sim, esse negócio que abasteceu de ouro o cofre do Estado, ouro nazi roubado aos judeus enviados para os campos). Enquanto o homenzinho se exibia dessa maneira, o povo esganava com fome.

      • Toda a gente tem o direito de se expressar mesmo quando é contra o regime que lhe dá esse direito. Problema insanável da democracia.

      • Ó Disiludido ainda bem que em 1974 o poder fascista foi escorraçado,e eu estive lá,dizer que nesse tempo se vivia melhor é não ter o minimo de sessatez do que está a dizer por isso é que gostas do chega que é o herdeiro do antigo regime fascista,nesse tempo nem abrias a boca,mas enfim não sabes mais.

RESPONDER

PCP e Bloco defendem que há mais vida além do défice (e exigem "resposta aos problemas sociais")

A frase é de Jorge Sampaio, mas PCP e Bloco de Esquerda têm defendido a mesma ideia a cada oportunidade: há mais vida além do défice e combater as consequências económicas, sociais e financeiras da …

Roma ganhou por 5-1 mas Mourinho avisa: "Temos de falar com São Pedro"

Estreia dos italianos na fase de grupos Liga Conferência Europa da UEFA terminou com goleada sobre o CSKA Sofia mas, mesmo assim, o treinador da Roma não gostou do que viu. Nuno Espírito Santo e José …

Patrões querem testes obrigatórios nas empresas (com trabalhador a cobrir os custos)

António Saraiva, líder da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), defende a criação de legislação que obrigue os trabalhadores a serem testados à covid-19. Em declarações à Renascença, o líder do CIP conta que há empresas com …

Uma cidade romana submersa renasce na Turquia

Uma parte submersa da antiga cidade romana de Augusta ressurgiu depois de o nível da água do lago Seyhan ter descido devido à seca em Adana, no sul da Turquia. A cidade foi fundada por Tibério, …

Apoio a pais de crianças em isolamento profilático mantém-se a 100%

Os pais de crianças que têm de ficar em isolamento profilático têm direito a subsídio pago. A regra é válida para crianças menores de 12 anos. O subsídio pago aos trabalhadores que têm de ficar em …

Barbosa Ribeiro, que não quer ser o Rei Sol, distribuiu álcool gel para "desinfetar" a Câmara

Tiago Barbosa Ribeiro, candidato socialista à Câmara Municipal do Porto, rejeita a ideia de que não é muito conhecido, afasta a ambição de querer ser o "Rei Sol" e admite ficar na Invicta nos próximos …

Coronavírus: há 21 mil anos a causar pandemias

Os coronavírus só foram identificados como distintos dos vírus da gripe nos anos 60 do século passado, e neste houve apenas duas pandemias de coronavírus —  MERS e SARS — registadas antes da atual, mas …

Parlamento discute propostas para travar preços dos combustíveis e da eletricidade

Os deputados votam esta sexta-feira, no Parlamento, o diploma do Governo para limitar as margens de combustíveis, assim como uma série de outras propostas sobre energia, da responsabilidade de vários partidos. O Governo aprovou em julho, …

Marcelo admite que se "fechou uma página" - mas já deixou recados para o Natal

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta quinta-feira que Portugal é visto por outros países europeus como exemplo pela taxa de vacinação e combate à covid-19, mas que este "é um processo …

UGT quer salário mínimo de 1.000 euros em 2028

O secretário-geral da UGT, Carlos Silva, defendeu a necessidade de acabar com a política de baixos salários e precariedade. Carlos Silva, secretário-geral da UGT, defendeu esta quinta-feira que o Governo socialista tem obrigação de aumentar os …