Sócrates invoca Magna Carta para processar credores do GES que lhe exigem 29 milhões de euros

José Sena Goulão / Lusa

O antigo primeiro-ministro, José Sócrates

José Sócrates apresentou uma queixa-crime contra os credores do Grupo Espírito Santo (GES) que exigem o pagamento de 73 milhões de euros a 8 acusados da Operação Marquês, entre os quais se encontra. O ex-primeiro-ministro acusa-os de difamação e usa um argumento estipulado “desde a Magna Carta há mais de 800 anos”.

Está em causa um grupo de empresas que moveu uma acção cível contra oito acusados da Operação Marquês, respectivamente José Sócrates, Ricardo Salgado, Carlos Santos Silva, Joaquim Barroca, José Paulo Pinto de Sousa, Hélder Bataglia, Zeinal Bava e Henrique Granadeiro.

Estas empresas terão sido utilizadas como “sacos azuis” do GES para fazer pagamentos ilícitos a alvos de corrupção, conforme alega o Ministério Público (MP). Agora, reclamam a devolução de 73 milhões de euros que terão sido utilizados no esquema.

A Sócrates exigem, especificamente, a devolução de 29 milhões de euros, como avança o Expresso.

A base da acção cível destes credores são as acusações do Ministério Público (MP) na Operação Marquês, onde se imputam 31 crimes a Sócrates. O ex-primeiro-ministro é suspeito de ter recebido 26 milhões de euros do GES para garantir que a OPA do Grupo Sonae à PT não teria sucesso.

Ora, o antigo governante socorre-se da presunção de inocência, realçando que é “a base do direito moderno, desde a Magna Carta há mais de 800 anos”, para sustentar a queixa-crime contra as quatro empresas e duas pessoas que representam os credores do GES, segundo noticia o Expresso.

Sócrates processa estes credores pelos crimes de difamação, calúnia, denegação de justiça e burla processual agravada, alegando que a acção cível que moveram visa apenas “ofender a [sua] honra” e que as argumentações da mesma “são particularmente ignominiosos para quem exerceu funções de primeiro-ministro durante seis anos em Portugal”.

O ex-governante nota ainda, como transcreve o Expresso, que “nada lhes permite presumir ou apresentar” os factos referidos na acusação “como verdadeiros”.

Além disso, Sócrates considera que os credores agiram “conscientemente” e “contra o direito” com o intuito de “divulgar amplamente os insultos que criminosamente proferem nas suas alegações”.

Os visados na queixa-crime de Sócrates são o advogado Alain Rukavina, o auditor Paul Laplume, ambos luxemburgueses, e as empresas Espírito Santo International, declarada insolvente, a ESI que tem sede nas Ilhas Virgens, a Enterprises Management Services e a Pisong.

A Operação Marquês está, por esta altura, em fase de instrução. Só depois disso, o juiz Ivo Rosa vai decidir se o caso vai a julgamento, ou que arguidos serão de facto julgados.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Acorda justica e poe os desalinhados na ordem…
    Desde quando colarinho branco e lei….

    So estao a destruir o pais e chamar-nos parvos…

RESPONDER

Britânicos precisarão de documento de identificação com fotografia para votar

Nas próximas eleições para o Parlamento britânico, daqui a três anos, só poderão votar eleitores que possuam documento de identificação com fotografia, medida que visa diminuir a fraude eleitoral e que deverá ser anunciada na …

Em 2018, a PJ estava "na penúria" e a "ponto de encerrar"

Com recados ao Governo, a Directora Nacional Adjunta da Polícia Judiciária (PJ), Luísa Proença, lamenta o desinvestimento que tem sido feito pelo poder político na força de autoridade e revela que em 2018, quando chegou …

José Seguro acusa líderes europeus de "matar lentamente" a Europa

O antigo líder socialista António José Seguro defendeu no domingo que a ambiguidade dos líderes políticos e a morosidade dos processos de decisão nas instituições da União Europeia (UE) estão "a matar, lentamente, a Europa". O …

Marcelo não se pronuncia sobre pedidos de demissão de Cabrita

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, recusou pronunciar-se sobre os pedidos de demissão de Eduardo Cabrita. Marcelo Rebelo de Sousa entende que os pedidos de demissão de ministros são "típicos da luta político-partidária" e …

TAP vai pedir a insolvência da Groundforce

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, disse esta segunda-feira aos representantes dos trabalhadores que a TAP vai avançar com um pedido de insolvência da Groundforce. A TAP anunciou esta segunda-feira que vai avançar, ainda hoje, com …

Ida de Luís Filipe Vieira para o Benfica "foi um pedido de várias instituições financeiras"

Luís Filipe Vieira diz que os bancos quiseram, no início dos anos 2000, que fosse para o SL Benfica devido à sua situação financeira, pois estavam interessados na sua viabilização. Aos deputados, o presidente das …

Alemanha autoriza vacina da Johnson & Johnson a menores de 60 anos

A Alemanha recomenda a vacina da Johnson & Johnson (Janssen) contra o novo coronavírus a partir dos 60 anos, mas permitirá o seu uso em pessoas abaixo desta idade após consulta médica e decisão pessoal. O …

Livatino é o primeiro juiz a ser beatificado. Foi morto pela máfia italiana

A Igreja Católica beatificou este domingo o juiz italiano Rosario Livatino, assassinado em 1990 pela máfia em Agrigento, na Sicília, Itália. Rosario Livatino, que hoje teria 69 anos, foi assassinado em 21 de setembro de 1990 …

Castelo do Drácula oferece vacinas contra a covid-19 aos visitantes

O castelo do Drácula, na Roménia, está a oferecer vacinas contra a covid-19 a todos os que o visitem. Nas ilhas Baleares, os turistas vão poder contar com um seguro de repatriamento. Segundo conta a BBC, …

Trabalho ilegal. Bloco propõe alteração à lei para criminalizar "toda a cadeia"

Catarina Martins anunciou, esta segunda-feira, que o Bloco de Esquerda quer alterar a lei de 2016 para garantir uma melhor fiscalização e condenação dos responsáveis pela exploração de trabalhadores em Portugal. Em Odemira, a coordenadora do …