Só deveríamos começar a trabalhar e estudar depois das 10h

Se é do tipo de pessoa que gosta de acordar tarde e acredita que seria ideal se aquilo a que chamamos de manhã pudesse simplesmente começar algumas horas mais tarde, saiba que não está sozinho.

De acordo com um especialista em sono do Reino Unido, não é você quem está fora de sintonia – é todo o nosso actual sistema de trabalho e escolaridade.

Paul Kelley, investigador do Instituto de Neurociência Circadiana e do Sono da Universidade de Oxford, em Inglaterra, afirma que a nossa sociedade está a meio de uma crise de privação de sono, já que muitas vezes precisamos de cumprir e de nos adaptarmos a um horário de trabalho com horários pouco naturais e impróprios para os nossos relógios biológicos.

“Este é um enorme problema para a sociedade”, diz o investigador, em entrevista ao The Guardian.

“Nós somos, em geral, uma sociedade privada de sono, mas o grupo de pessoas entre os 14 e os 24 anos é mais privado do que qualquer outro sector da sociedade”, acrescenta o especialista em ciência do sono.

“Isto traz sérias ameaças à saúde, ao desempenho, ao humor e à saúde mental”, conclui Kelley.

Novos horários desde a escola

Paul Kelley está envolvido no programa Teensleep, que pretende recrutar 100 escolas no Reino Unido para participar num ensaio experimental, na qual adoptarão horários escolares que começa, mais tarde.

De acordo com Kelley, os jovens britânicos, em média, estão a perder cerca de 10 horas de sono por semana por serem forçados a habituar-se a aulas num horário não natural — cedo demais.

Kelley defende que as aulas devem começar às 8h30 para as crianças dos oito aos dez anos, às 10h para adolescentes de 16 anos e às 11h para jovens de 18 anos.

O especialista explica que os horários aos quais nos acostumamos fazem sentido em certas idades – como aos 10 ou aos 55 anos – mas isso varia ao muito longo da vida.

“Dependendo da nossa idade, precisamos mesmo de começar o nosso dia mais ou menos 3 horas mais tarde, o que é inteiramente natural”, diz Kelley.

Tudo errado com o horário de expediente

Se Kelley estiver certo, isso significa que durante toda a nossa vida, desde o início da nossa adolescência até ao fim da meia-idade, estamos a ser acordados muito cedo. Todos os dias.

“Os funcionários deveriam começar o seu dia de trabalho às 10h”, afirmou o especialista, durante o Festival Britânico de Ciência.

Além de o sono ser crucial para a nossa memória, não dormir o suficiente pode provocar uma enorme variedade de problemas de saúde, incluindo algumas doenças graves, como a doença de Alzheimer, e efeitos dramáticos sobre o corpo humano.

“Quem já está a trabalhar muito mais cedo do que isto, todos os dias – ou seja, a maior parte da população – está normalmente privado de sono”, concluiu o especialista.

Venham então daí as manhãs a começar às 10h… sem esquecer que dormir demais faz pior do que dormir de menos.

HypeScience

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. NEM ++++ bem dito, e PURA VERDADE,é so experimentarem e verem os RESULTADOS,e os despois verão os EFEITOS devastadores e os beneficios,do dormir BEM e DORMIR º….MAL,aiaiauiuiiiii………

    a.g.p.

RESPONDER

As águas profundas provocam terramotos e tsunamis (e já se sabe como)

Uma nova investigação vincula diretamente o ciclo da água na Terra com a produtividade magmática e a atividade sísmica. A água (H2O) e outros elementos voláteis (como o CO2 e o enxofre) que circulam nas profundezas …

Cidade japonesa acaba de proibir a utilização de telemóveis enquanto se caminha

A cidade japonesa de Yamato acaba de aprovar uma proposta de lei que proíbe as pessoas de utilizarem telemóveis enquanto caminham. A cidade, localizada num subúrbio de Tóquio, entende que os telemóveis são um risco …

MIT apagou base de dados popular que ensinou IA a ser racista e sexista

O Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT), nos Estados Unidos, viu-se obrigado apagar uma base de dados de treinamento de Inteligência Artifical (IA) depois de esta ensinar vários algoritmos a usar insultos racistas e sexistas. …

Escola Básica e fábrica de Paços de Ferreira encerradas, com nove casos positivos

A Escola Básica n.º 2 e a Fábrica de Lacados Abrelac, em Paços de Ferreira, Porto, foram encerradas após diagnosticados nove casos de covid-19 para “prevenção” e para “interromper as cadeias de transmissão”, disseram hoje …

Mais nove mortes e 328 casos confirmados em Portugal

Portugal regista hoje mais nove óbitos por covid-19, em relação a sábado, e mais 328 casos de infeção confirmados, dos quais 254 na região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo os dados da Direção-Geral …

Cientistas criam miniatura de ondas de choque de supernovas (e quase desvendam um mistério)

Esta versão em miniatura das ondas de choque das supernovas pode ter ajudado os cientistas a chegar muito perto da resolução de um antigo mistério cósmico. Uma equipa de investigadores do Departamento de Energia do Centro …

Na Indonésia, são os recém-licenciados quem mais vai sofrer com o impacto económico da covid-19

A covid-19 continua a desacelerar a economia na Indonésia e pode causar graves impactos nos recém-licenciados que entram no mercado de trabalho pela primeira vez. Na Indonésia, o crescimento económico diminuiu para 2,97% durante o primeiro …

Mudanças climáticas ameaçam 60% das espécies de peixes do mundo

Uma nova investigação levada a cabo por cientistas do Instituto Alfred Wegener, na Alemanha, sugere que as mudanças climáticas podem destruir mais espécies de peixes do que se pensavam anteriormente. Se as temperaturas globais subirem …

Engenheiros desenvolvem célula de combustível duas vezes mais eficiente do que a de hidrogénio

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveu um novo processo para uma célula de combustível que funciona com o dobro da tensão das células a combustível tradicionais de hidrogénio. O novo …

Preços das bebidas concertados durante anos. Seis supermercados sob suspeita de cartel

Seis grupos de distribuição alimentar e dois fornecedores de sumos, vinhos e outras bebidas, foram acusados pela Autoridade da Concorrência de concertarem preços durante vários anos em prejuízo do consumidor. "Após investigação, a Autoridade da Concorrência, …